Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
56 pág.
DIARRÉIA+E+DESIDRATAÇÃO+QV+PARA+IMPRIMIR

Pré-visualização | Página 1 de 3

*
DOENÇAS DIARREICAS E DESIDRATAÇÃO
*
OBJETIVOS DA AULA
Ao final desta aula o aluno deverá ser capaz de:
Reconhecer os sinais e sintomas da doença diarreica e da desidratação;
Classificar a doença diarreica segundo tipo e agentes etiológicos e a desidratação segundo tipo e gravidade;
Correlacionar os fatores predisponentes, fisiopatologia e as manifestações clínicas;
Conhecer o tratamento da doença diarreica e da desidratação segundo a gravidade;
Identificar através do exame físico os sinais clínicos de desidratação;
Conhecer a terapia de reidratação oral e as 3 fases da terapia de reidratação parenteral: reparação, reposição e manutenção;
Propor a Assistência de Enfermagem para crianças com doença diarreica e/ou desidratação.
*
DOENÇAS DIARREICAS
É uma das principais causas de morbidade e mortalidade infantil no Brasil, principalmente em crianças com menos de 6 meses de idade e que não estão em aleitamento exclusivo. 
*
FATORES PREDISPONENTES 
1. Idade: quanto menor a idade maior a gravidade.
2. Quantidade de água endógena:
É maior a quantidade de líquido no LEC do que no LIC.
*
ÁGUA ENDÓGENA
Existe maior porcentagem de água endógena no RN, devido ao aumento do líquido extracelular.
Esse líquido diminui progressivamente com a idade. Quanto menor a idade maior quantidade de líquido extra-celular.
RNPT 80% 
RNT 75% 
*
FATORES DESENCADEANTES 
1. Desmame precoce: entre outras coisas, o leite materno protege porque:
Contém lactobacilos: impedem a colonização de entero bactérias
Contém lactoferrina: tem efeito bacteriostático
*
FATORES DESENCADEANTES 
Contém lisozima: provoca lise de agentes infecciosos principalmente a E.Coli
Contém elevada concentração de IgA: dificulta a ação de agentes infecciosos
2. Falta de saneamento básico: principalmente tratamento de água e esgoto
*
3. Clima quente: perda de líquido orgânico e proliferação de agentes patológicos
4. Desnutrição anterior: agrava o quadro devido à anorexia e má absorção da mucosa intestinal.
5.Desinformação: ausência de educação para a saúde
FATORES DESENCADEANTES
*
CLASSIFICAÇÃO DAS DIARRÉIAS
As diarreias podem ser classificadas em agudas (osmótica ou secretora) e crônicas.
Diarréia aguda é quando há:
Mudança súbita do hábito intestinal com aumento do número de evacuações (+/- 3 a mais do que o hábito normal em 24 horas)
Aumento de perda de água e eletrólitos nas fezes
*
DIARRÉIA AGUDA
É caracterizada por:
Diminuição da consistência das fezes para mais líquida
Distúrbios digestivos que podem estar associados: dor ou desconforto abdominal, vômitos, dor à evacuação. 
*
Diarreia crônica
Diarreia crônica é quando :
Prolonga-se por 30 dias (OMS)
Após uma semana de evolução nota-se exacerbação dos sintomas
*
DOENÇAS DIARREICAS
Diarréia Aguda Osmótica 
Fisiopatologia: aumento do bolo fecal, da osmolaridade, do peristaltismo e do trânsito intestinal causados por:
· Oferta de alimento inadequado para a idade
· Insuficiência enzimática de lactose 
*
DOENÇAS DIARREICAS
 Características:
· Há excreção acentuada de líquidos e eletrólitos
· O volume das fezes é menor que 500 mL nas 24h
·  Não há agente infeccioso
·  É auto limitada
*
DOENÇAS DIARREICAS
Diarréia secretora 
Fisiopatologia:
· Invasão do trato intestinal por um microorganismo (vírus, bactéria ou protozoário) com produção de enterotoxinas, ou patogenia das bactérias da flora intestinal.
· Há Inflamação local com destruição de células intestinais, sendo dificultada a absorção de líquido e íons para o plasma. 
*
DOENÇAS DIARREICAS
Diarréia secretora 
É uma forma grave de diarréia persistente.
 Prolonga-se por mais de 2 semanas (OMS).
 Após uma semana de evolução nota-se exacerbação dos sintomas
*
CARACTERÍSTICAS
·Acomete lactentes já desnutridos
· Não cede com o jejum
·Sinais associados de febre, anorexia, vômito e dor abdominal
·Tendência à cor esverdeada das fezes contendo muco ou sangue, tenesmo e odor muito fétido(desinteria)
·     
*
DOENÇAS DIARREICAS
Intolerância persistente a lactose, sacarose, glicose e a algumas proteínas alergênicas. Ex: ovo
O volume de fezes é maior que 1000 ml nas 24h
A excreção de sódio e potássio é muito acentuada
*
Agentes Etiológicos da Diarréia Aguda
Escherichia coli: é o agente mais freqüente, atinge lactentes abaixo de 6 meses com transmissão por mamadeiras, água e alimentos
Salmonellas: encontrada no cólon e no intestino / enterocolite. Transmissão por carnes e peixes
*
Agentes Etiológicos da Diarréia Aguda
Shigella: enterocolite É muito contagiosa, com muitos surtos em instituições e creches. Transmissão via fecal oral
Rotavírus: maior índice de desidratação no mundo inteiro. atinge crianças de 6 meses a 2 anos e pré-escolares, principalmente no inverno. A transmissão via fecal oral
*
VACINAÇAO PARA ROTAVIRUS
VORH (Vacina Oral de Rotavírus Humano)
A aplicação é via oral. A 1ª dose deverá ser ministrada quando a criança estiver entre o primeiro mês e 15 dias de vida a três meses e 7 dias. 
A 2ª dose deverá ser aplicada do terceiro mês e 7dias até cinco meses e 15 dias, com intervalo mínimo de um mês entre as duas doses.
*
Prevenção: Vacina – Anti ROTAVÍRUS
Aplica-se aos 2 meses e 4 meses de idade junto com a Sabin e a Tetravalente
Não deve ser dada após os 5meses e 15 dias
Não há contra-indicações 
A reação adversa é o Abdômen agudo obstrutivo por invaginação intestinal
*
Tratamento medicamentoso
Só utilizar se estritamente necessário porque:
Antibióticos – como a diarreia é autolimitada os antibióticos são desnecessários. Exceções para:
1-Desinteria (fezes com muco e sangue) e estado toxêmico acentuado (febre alta, abatimento) em lactentes.
2- Diarréia aquosa e aparecimento de sangue no terceiro dia. 
3-Cólera grave.
*
Tratamento medicamentoso
Antieméticos (Plasil, Amplictil, etc.) – são depressores do sistema nervoso central e podem dificultar ou mesmo impedir a criança de tomar o soro.
Antiespasmódicos (Elixir paregórico, novatropina, bentil, loperamide, etc.) – inibem o peristaltismo intestinal, facilitando a proliferação dos germes e, por conseguinte, o prolongamento do quadro diarreico
*
Tratamento medicamentoso
Adstringentes (Caolin, Pectina, Carvão, etc.) – têm apenas efeito cosmético sobre as fezes, retirando água da luz intestinal e aumentando a consistência do bolo fecal,(simula melhora) além de serem agentes espoliadores de sódio e potássio.
Antipiréticos (Dipirona, Novalgina, etc.) – produzem efeito de prostração e sonolência, dificultando a tomada do soro. Nos casos em que a febre se deve a outra infecção associada, usar preferencialmente o ácido acetilsalisílico.
*
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA A CRIANÇA COM DIARRÉIA
· Evoluir diarréia, febre e vômitos
· Se houver deficiência enzimática, retirar lactose e sacarose
· Evitar alimentos com muitas fibras e condimentados
*
Manutenção da alimentação em menor quantidade, maior freqüência e alimentos energéticos cozidos, com Introdução gradual de novos alimentos.
Evitar contatos com animais.
Incentivar o aleitamento materno e ingestão de líquidos para crianças em aleitamento artificial
*
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA A CRIANÇA COM DIARRÉIA
Avaliar sinais de desidratação, alteração dos sinais vitais e assaduras, para prevenir complicações
Orientar a família quanto a:
Não gravidade da doença se bem tratada.
Identificar a fonte de infecção (pode ser um familiar)
*
ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM PARA A CRIANÇA COM DIARRÉIA
Higiene dos alimentos e da água
Identificar destino dos dejetos
Manter animais distantes
Lavar períneo da criança com água e sabão após defecar
Administrar solução de reidratação oral para prevenir ou corrigir a diarréia.
Orientar a administração da TRO ou o preparo da SRO  
*
Osmolaridade: 310mOsm
Página123