A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
25 pág.
WISC IV - TAI

Pré-visualização | Página 1 de 3

Informações sobre o 
Teste WISC – IV
Breve Histórico do Desenvolvimento
de Testes de Inteligência
• Sir Francis Galton - tarefas sensoriais e motoras
• Alfred Binet – orientado pela linguagem, enfatizando 
julgamento, memória, compreensão e raciocínio. A Escala 
Binet-Simon levou ao teste de Stanford-Binet IQ.
• Lewis Terman - adaptou o teste francês para a cultura 
americana. Escalas de Inteligência Stanford-Binet - agora na 
5ª edição
• Na Primeira Guerra Mundial, o Exército precisava de um 
método para selecionar oficiais e colocar recrutas. Terman
e outros psicólogos do Exército usam Stanford-Binet para 
desenvolver o teste de QI verbal administrado por grupo -
chamado Teste Alpha do Exército (Army Alpha).
Breve Histórico do Desenvolvimento
de Testes de Inteligência (cont.)
• Problemas com os recrutas imigrantes que falavam 
pouco inglês levaram os psicólogos do Exército a 
desenvolver um teste não-verbal em grupo chamado 
Army Beta.
• Mais tarde, os psicólogos do Exército desenvolvem de 
Escala de Desempenho do Exército administrado 
individualmente - tarefas não-verbais desta Escala são 
encontradas em testes hoje em dia.
• David Wechsler integra as medidas do Stanford-Binet / 
Army Alpha e Army Performance Scale / Army Beta em 
escalas verbais e de desempenho.
Breve Histórico do Desenvolvimento
de Testes de Inteligência (cont.)
• Wechsler procura por informação na dinâmica clínica, além 
das ferramentas psicométricas. Desenvolve Wechsler-Bellevue 
Adult Intelligence Scale (1939), a forma “II” deste teste levou 
ao WISC em 1949. Usado para avaliar o funcionamento 
intelectual em crianças em idade escolar. PL 94-142 (1975) 
que garante educação para todas as crianças independente da 
gravidade de sua deficiência, aumenta a necessidade de 
testes intelectuais e educacionais.
• WISC revisado como WISC-R por Wechsler em 1974. 
Psychological Corporation revisa como WISC III em 1991 (No 
Brasil em 2002) e como WISC-IV em 2003 (No Brasil em 2018). 
WISC-V, lançado em 2014, utiliza computador e correção 
online.
Guia Conceitual e Interpretativo
• Avaliação do funcionamento cognitivo
– Com o WISC-IV, pode-se identificar talentos e 
deficiências intelectuais, capacidades e dificuldades 
de percepção em crianças em diferentes condições 
neurológicas e de desenvolvimento.
– Resultado como base para planejamento de 
tratamento, tomada de decisão clínica ou pedagógica
– Fornece informações importantes para avaliação 
neuropsicológica e dados para pesquisas.
Visão geral
• Definição de Inteligência
– Wechsler definiu a inteligência como a capacidade de um indivíduo de 
se adaptar e resolver construtivamente problemas no ambiente. 
– É significativo que Wechsler tenha visto a inteligência não em termos 
de capacidade, mas sim em termos de desempenho. Ou seja, as 
escalas de Wechsler não pretendem medir a quantidade de 
inteligência, mas medem o desempenho intelectual de uma pessoa. 
– A justificativa para conceituar a inteligência como uma variável de 
desempenho é que, na verdade, não importa quanto de inteligência se 
tenha, para se adaptar ao ambiente. O que importa é quão bem 
alguém usa sua inteligência. Além disso, como a capacidade 
intelectual não pode ser vista nem a sua existência concretamente 
verificada, ela não pode ser mensurada com segurança. O 
desempenho pode ser medido e, portanto, deve ser o foco do teste.
– Embora Wechsler tenha escrito muito para apoiar essa posição, outros 
desenvolvedores de inteligência adotaram essencialmente a mesma 
posição em relação à natureza da inteligência. A maioria dos grandes 
testes de inteligência, como o Stanford-Binet, o Peabody Picture 
Vocabulary Test e o Guilford Intelligence Scales, baseiam-se na visão 
de testes de inteligência como medidas de desempenho.
Índices do WISC-IV
• Índice de Compreensão Verbal (ICV): formação de conceito 
verbal.
– Avalia a capacidade das crianças de ouvir uma pergunta, basear-se em 
informações aprendidas da educação formal e informal, raciocinar por 
meio de uma resposta e expressar seus pensamentos em voz alta. Ele 
pode explorar as preferências por informações verbais, uma 
dificuldade com situações novas e inesperadas ou um desejo de mais 
tempo para processar informações, em vez de decidir 
“imediatamente".
• Índice de Organização Perceptual (IOP): raciocínio não verbal 
e fluido. 
– Avalia a capacidade das crianças de examinar um problema, basear-se 
em habilidades visuo-motoras e visuo-espaciais, organizar seus 
pensamentos, criar soluções e depois testá-las. Ele também pode usar 
preferências por informações visuais, conforto com situações novas e 
inesperadas ou uma preferência por aprender fazendo.
Índices do WISC-IV
• Índice de Memória Operacional (IMO): memória de trabalho. 
– Avalia a capacidade das crianças de memorizar novas informações, armazená-
las na memória de curto prazo, concentrar e manipular essas informações 
para produzir alguns resultados ou processos de raciocínio. É importante no 
pensamento, aprendizado e realização de ordem superior. Pode explorar 
concentração, capacidade de planejamento, flexibilidade cognitiva e 
habilidade de sequenciamento, mas também é sensível à ansiedade. É um 
componente importante da aprendizagem e realização, e capacidade de 
trabalhar de forma eficaz com as ideias à medida que são apresentadas em 
situações de sala de aula.
• Índice de velocidade de processamento (IVP): velocidade de 
processamento da informação. 
– Avalia as habilidades das crianças para focar a atenção e rapidamente 
examinar, discriminar e ordenar sequencialmente informações visuais. Requer 
persistência e capacidade de planejamento, mas é sensível à motivação, 
dificuldade de trabalhar sob pressão de tempo e coordenação motora 
também. Fatores culturais parecem ter pouco impacto sobre isso. Está 
relacionado também ao desempenho de leitura e desenvolvimento. Está 
relacionado com a Memória de Trabalho, na medida em que o aumento da 
velocidade de processamento pode diminuir a quantidade de informação que 
uma criança deve "manter" na memória de trabalho. Por outro lado, uma 
menor velocidade de processamento pode prejudicar a eficácia da memória 
WISC-IV
QIT
Semelhanças
Vocabulário
Compreensão
(Informação)
(Raciocínio com Palavras)
Cubos
Conceitos Figurativos
Raciocínio Matricial
(Completar Figuras)
Digitos
Seq. de Números e Letras
(Aritmética)
Códigos
Procurar Símbolos
(Cancelamento)
Aplicação do teste
• Administrado em um período de tempo entre 65 e 80 minutos, 
o WISC-IV contém 10 subtestes principais e 5 subtestes 
adicionais. 
• Estes são somados a quatro índices (o Índice de Compreensão 
Verbal, o Índice de Raciocínio Perceptivo, o Índice de Memória 
de Trabalho e o Índice de Velocidade de Processamento) e um 
QI de Escala Total que varia de 40 a 160 pontos. 
• A faixa etária para este teste é entre 6 anos e 16 anos 11 meses. 
Reaplicação
Não há definição taxativa, porém há sugestão de esperar, no 
mínimo, um ano para a reaplicação.
Levar em consideração o propósito da avaliação e a condição 
psicológica da criança.
Havendo necessidade em menos de um ano: pode-se substituir 
testes principais por suplementares não utilizados (principalmente 
os de IOP e IVP).
Índice de Compreensão Verbal
Semelhanças (SM): Avalia o raciocínio verbal, capacidade 
de abstração e generalização e a formação de conceitos 
Flexibilidade Cognitiva - do concreto ao abstrato.
A criança é apresentada a duas palavras que representam 
objetos ou conceitos comuns e descreve como são 
semelhantes.
Ex. Leite - água
Carranca - Sorria
Espaço - tempo
Avaliação: qualidade da resposta conforme lista exemplo - pontuação 0, 1 ou 
2. Resposta absurda complementando uma resposta de 1 ou 2 pontos 
(significando não entendimento