A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
fisiologia I- homeostase, transportes ,potencial de membrana,sinapses

Pré-visualização | Página 1 de 3

Estudo de Fisiologia para P1
- Homeostase
. Capacidade do corpo de manter o meio interno relativamente estável frente a uma variação interna ou externa.
. Incapacidade da homeostase -> estado de doença ou condição patológica.
. Exemplo: Os pulmões provêem oxigênio ao fluido extracelular para repor o oxigênio utilizado pelas células, os rins mantêm as concentrações de íons constantes, e o sistema gastrointestinal fornece nutrientes.
- Membrana Plasmática
. É uma “capa” dupla que envolve e protege todo o interior da célula.
. A membrana celular é uma fina camada de lipídios intercalados com proteínas que:
# Define os limites de cada célula;
# Mantém um meio químico apropriado para os processos metabólicos da célula;
# Regula o volume citoplasmático;
# Transfere informação sob a forma de sinais químicos e elétricos;
# Transporte de substâncias e proteção.
. Permeabilidade seletiva: Capacidade de selecionar as substâncias que entram e saem da célula.
OBS: As moléculas de colesterol aumentam as propriedades da barreira ( bicamada lipídica ) e devido a seus rígidos anéis planos de esteroides diminuem a mobilidade e torna a bicamada lipídica menos fluida. 
- Proteínas da Membrana
. Proteínas constituem 50% de toda massa da membrana;
. Associam-se de vários modos com a bicamada lipídica;
. Transmembrana – região hidrofílica ( adora água ) e hidrofóbica ( detesta água );
. Outras localizadas inteiramente fora da bicamada, sendo ligadas apenas por 1 ou + grupos lipídicos covalentemente ligados ( Proteínas ancoradas ).
. Outras são ligadas por outras proteínas ( Periféricas ).
# Transportadoras – responsáveis pela bomba de Na/K, por exemplo, – Na para fora e K para dentro;
- Transporte de Membrana
. 2 classes principais de proteínas transportadoras de membrana podem ser distinguidas:
# Proteínas Carreadoras – se ligam ao soluto em um lado da membrana e levam-no para outro lado por meio de uma mudança na conformação da proteína carreadora;
# Proteínas Canal – formam minúsculos poros hidrofílicos na membrana, pelos quais solutos podem passar por difusão ( canais iônicos ).
. Soluções: Íons + pequenas moléculas orgânicas ( glicose, aminoácidos ), dissolvidos em água.
. Colóides: Macromoléculas Orgânicas ( Proteínas, polissacarídeos ) dissolvidos na água. Obs: Aspecto mais gelatinoso.
- TRANSPORTE PASSIVO:
. Difusão simples ( Oxigênio e gás Carbônico ):
# Muitas substâncias penetram nas células ou delas saem por difusão passiva, o soluto penetra na célula quando sua concentração é menor no interior celular do que no meio externo, e sai da célula no caso contrário.
# Neste processo não há consumo de energia.
# Ocorre a favor do gradiente de concentração.
# A passagem do soluto pode ocorrer tanto através dos poros como pela dupla camada lipídica.
. Difusão Facilitada:
# Algumas substâncias, como a glicose, galactose e alguns aminoácidos têm tamanho superior, o que impede a sua passagem através dos poros. No entanto, estas substâncias passam através da matriz, por transporte passivo, contando, para isto, com o trabalho de proteínas carregadoras ( proteínas transportadoras ).
- OSMOSE:
. O movimento de água de uma região de baixa concentração de solutos, portanto alta concentração de água, para uma região de alta concentração de solutos, mas baixa concentração de água.
. A força impulsora da água é chamada de pressão osmótica.
. Este equilíbrio só é possível graças a bomba de Na/K que controla a concentração de solutos.
- TRANSPORTE ATIVO:
. É a passagem de um soluto de um meio menos concentrado, para um meio mais concentrado ( contra o gradiente ), que ocorre com gasto de energia.
. Transporte ativo primário:
# A energia é derivada diretamente da degradação do trifosfato de adenosina ( ATP ) ou de qualquer outro composto de fosfato rico em energia.
# Entre as substâncias que são transportadas por este mecanismo, estão os íons Na, K, H, Cl, entre outros.
# Bomba de Na/K: Bombeia íons sódio para fora, através da membrana celular, enquanto que ao mesmo tempo, bombeia os íons potássio de fora para dentro da célula. 3 Na para fora – 2 K para dentro. Uma das mais importantes funções da bomba de Na/K é a de controlar o volume das céls. Sem essa função da bomba, grande parte das células iria inchar até estourar.
. Transporte ativo secundário:
# A energia é derivada, secundariamente, de gradientes iônicos que foram criados, primariamente, por transporte ativo primário. Em ambos os casos, o transporte depende de proteínas transportadoras, que atravessam a membrana, de modo semelhante à difusão facilitada.
# Quando há o transporte dos íons Na para fora da cél pelo TA ( transporte ativo) primário, forma-se, um gradiente de concentração de Na muito intenso. Esse gradiente representa um reservatório de energia, já que o excesso de Na no exterior da cél tende sempre a se difundir para o interior. O Na pode puxar outras substâncias junto, através da membrana. Esse fenômeno recebe o nome de co-transporte.
. Fibrose Cística: É decorrente da deficiência no canal de cloreto ( responsável por eliminar cloreto para o meio extracelular ), que faz com que haja aumento da concentração de Na e água no meio interno, fazendo com que o muco externo se torne mais denso, impedindo a filtração e causando infecções pulmonares graves devido ao acumulo de bactérias.
- Canais iônicos e Potencial da membrana
. Na membrana existem canais pequenos ( poros aquosos ) que permitem passagem de pequenas moléculas hidrossolúveis;
. E existem canais iônicos que são seletivos a íons e têm portões;
. Estes diferentemente dos poros aquosos não ficam permanentemente abertos;
. Os canais iônicos diferem um dos outros em relação:
# Seletividade iônica
# Controle – condições que influenciam sua abertura e fechamento
. Para um canal controlado por voltagem a abertura é controlada pelo potencial de membrana;
. Para um canal com portão controlado por ligante, como receptor para Ach ( Acetilcolina ), essa probabilidade é controlada pela ligação de alguma molécula à proteína do canal;
. Canal ativado por estiramento a abertura é controlada por uma força mecânica aplicada sobre o canal.
- Potencial da membrana:
. A bomba de sódio e potássio transporta, ativamente e constantemente, íons sódio de dentro para fora da célula e, ao mesmo tempo, íons potássio em sentido contrário, isto é, de fora para dentro das células.
. A bomba de sódio e potássio transporta mais rapidamente íons sódio ( de dentro para fora ) do que íons potássio ( de fora para dentro ). Para cada cerca de 3 íons sódio transportados ( para fora ), 2 íons potássios são transportados em sentido inverso ( para dentro ).
. Isso acaba criando uma diferença de cargas positivas entre o exterior e o interior da célula, pois ambos os íons transportados pela bomba ( sódio e potássio ) são cátions ( com 1 valência positiva ), e a Bomba de sódio e potássio transporta, portanto, mais carga positiva de dentro para fora do que fora para dentro da célula.
. Cria - se assim um gradiente elétrico na membrana celular, conhecido como Potencial de Membrana Celular: No seu lado externo acaba se formando um excesso de cargas positivas enquanto que no seu lado interno ocorre o contrário, isto é, uma falta de cargas positivas faz com que o líquido intracelular fique com mais cargas negativas do que positivas. Na maioria das células nervosas tal potencial equivale a algo em torno de -85 mv.
OBS: O potencial da membrana depende principalmente do gradiente de potássio. Isso porque o potencial de membrana se aproxima do potencial de membrana do potássio porque a condutância do mesmo é maior do que a do sódio devido a uma maior quantidade de canais.
- Potencial de Ação:
. Quando a membrana de uma célula excitável realmente se excita, uma sucessão de eventos fisiológicos ocorre através da tal membrana, tais fenômenos, em conjunto, produzem o Potencial de Ação. A membrana celular pode ser excitada momento em que recebe um determinado estímulo ( calor, frio, solução salina