A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
12 pág.
MBA AEE Atividade II   Fatores que explicam a ascensão dos países em desenvolvimento

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE DO VALE DO RIO DOS SINOS - UNISINOS 
UNIDADE ACADÊMICA DE PESQUISA E PÓS GRADUAÇÃO 
MBA EM GESTÃO E NEGÓCIOS 
 
ADÃO MARTINS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ATIVIDADE II – ABORDAGEM PESSOAL 
Fatores que explicam a ascensão dos países em desenvolvimento 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Leopoldo/RS 
2018 
 
 
 
 
 
 
 
ADÃO MARTINS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ATIVIDADE II – ABORDAGEM PESSOAL 
Fatores que explicam a ascensão dos países em desenvolvimento 
 
 
 
 
Trabalho apresentado à disciplina 
Ambiente Econômico e Empresarial, pelo 
Curso de MBA em Gestão e Negócios da 
Universidade do Vale do Rio dos Sinos - 
UNISINOS, ministrada pelo professor 
Márcio Eloir Schweig. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Leopoldo/RS 
2018
 
 
 
 
SUMÁRIO 
 
1 INTRODUÇÃO .......................................................................................................... 4	
2 OBJETIVO ................................................................................................................ 4	
3 FATORES QUE EXPLICAM A ASCENSÃO DOS PAÍSES EM 
DESENVOLVIMENTO ................................................................................................. 5	
3.1 Fatores explicam esta ascensão dos países em desenvolvimento ................ 7	
3.1.1 Índice de Educação ........................................................................................... 9	
REFERÊNCIAS ......................................................................................................... 11	
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
LISTA DE FIGURAS 
 
 
 
Figura 1: Divisão dos países mediante o desenvolvimento segundo a ONU e FMI, 
Fonte: OECD ........................................................................................................ 6	
Figura 2: IDH Mundial, Fonte: PNUD .......................................................................... 8	
Figura 3: Ranking Mundial de Educação, Fonte: OCDE ............................................. 9	
 
4 
 
1 INTRODUÇÃO 
De forma geral os países em desenvolvimento vêm apresentando uma taxa 
de crescimento econômico bem superior aos países desenvolvidos. Os 
investimentos estrangeiros diretos (investimentos produtivos) estão se direcionando 
cada vez mais para os países em desenvolvimento. Muitos outros indicadores, como 
a taxa de desemprego, a participação no comércio internacional, entre outros, são 
muito favoráveis aos países em desenvolvimento. Tudo isso vem fazendo com que 
estes países tenham uma importância econômica e política cada vez maior no 
mundo. 
 
2 OBJETIVO 
Apresentar sob o ponto de vista pessoal que fatores explicam esta ascensão 
dos países em desenvolvimento e comentar sobre um a escolha. 
 
5 
 
3 FATORES QUE EXPLICAM A ASCENSÃO DOS PAÍSES EM 
DESENVOLVIMENTO 
Ainda nos dias de hoje a não existe um senso comum quanto a definição e 
classificação de países quanto ao nível de desenvolvimento pois, dependendo dos 
critérios adotados, distintas entidades e organismos podem categorizar os países 
em diferentes condições. 
Antigamente conhecidos como países de “Segundo e Terceiro Mundo”, 
período compreendido precisamente entre 1945 à 1989, Guerra Fria, e 
posteriormente denominados países “emergentes”, por volta de 1980, hoje 
conhecidos como países em “desenvolvimento”, desde 1990, segundo a ONU, 
através da Índice de Desenvolvimento Humano ou IDH, são países 
subdesenvolvidos que apresentam crescimento socioeconômico significativos e 
prósperos, com um nível de industrialização comparativamente maior que os demais 
e valores expressivos de PIB. 
Assim sendo, é coerente afirmarmos que estes incorporam aspectos próprios 
do primeiro mundo e, ao mesmo tempo, outros aspectos do terceiro mundo. Com 
base nisso, instituições como o Banco Mundial, o Fundo Monetário Internacional ou 
a Oxfam discordam ou rebatem contra a ONU na definição do IDH, isto porque já 
ONU considera a situação econômica como sendo um fator de extrema importância, 
mas não leva em conta aspetos como a corrupção, a fragilidade institucional e a 
segurança da cidadania. Deste modo, eles sugerem que se busque uma 
denominação e/ou classificação que expresse com mais objetividade o bem-estar 
das nações. 
Outros pontos apontados como deficiência ao modelo empregue pela ONU 
são: os dados econômicos não são suficientemente significativos, os parâmetros 
6 
 
relacionados ao desenvolvimento institucional das nações deveriam ser 
incorporados e os dados nacionais deveriam ser substituídos por dados regionais. 
 
Figura 1: Divisão dos países mediante o desenvolvimento segundo a ONU e FMI, Fonte: 
OECD 
 
De acordo com a temática acima abordada se pode identificar alguns países 
emergentes mediante os diversos continentes: África (África do Sul, Egito, Nigéria, 
Tanzânia e Zimbábue), América (Argentina, Bolívia, Brasil, Chile, Cuba, Equador, 
Guatemala, México, Paraguai, Peru, Uruguai e Venezuela), Ásia (China, Filipinas, 
Índia, Indonésia, Paquistão e Tailândia), Europa (Rússia, Turquia), Oriente Médio 
(Emirados Árabes Unidos, Arábia Saudita, Qatar) 
 
 Assim sendo, é coerente afirmarmos que estes incorporam aspectos próprios 
do primeiro mundo e, ao mesmo tempo, outros aspectos de países 
subdesenvolvidos. 
 
7 
 
3.1 Fatores explicam esta ascensão dos países em desenvolvimento 
Para que um país seja considerado em desenvolvimento, ou seja, para que 
ele seja considerado em ascensão é necessário que o mesmo possua um 
crescimento acentuado em fatores como: 
• Índice de educação; 
• Taxa de escolarização; 
• Paridade do Poder de Compra (PPC) ou Paridade do Poder Aquisitivo 
(PPA). 
• A longevidade; 
• Investimento de capital estrangeiro; 
• Exploração da força de trabalho; 
• Distribuição mais equilibrada de renda; 
• Economias voltadas fundamentalmente para o mercado externo; 
• Crescimento do nível de industrialização; 
• Autonomia económica política e cultural relativamente aos países 
desenvolvidos; 
• Investimento em tecnologia e na ciência, geralmente com o apoio de 
países desenvolvidos; 
• Tendência para a diminuição da pobreza e crescimento da classe 
média; 
• Desenvolvimento das infraestruturas de transportes e de 
comunicações; 
• Investimento estrangeiro muito significativo, entre outros. 
O IDH é uma medida importante concebida pela ONU para avaliar a qualidade de 
vida e o desenvolvimento econômico de uma população. O aumento da renda média 
8 
 
do brasileiro fez com que o seu IDH elevasse em 0,001 ponto, mas ainda assim o 
manteve na mesma posição, 79/189, pelo terceiro ano consecutivo, o que nos leva 
a concluir que houve uma notável desaceleração no desenvolvimento do IDH do 
país. A ONU divide as nações ainda em grupos de países com: 
• Desenvolvimento humano muito alto: 59 países; 
• Desenvolvimento humano médio: 39 países; 
• Desenvolvimento humano baixo: 38 países. 
 
Figura 2: IDH Mundial, Fonte: PNUD 
9 
 
3.1.1 Índice de Educação 
A educação tem sido uma arma fortemente usada ao combate a pobreza. 
Assim sendo, de modos a responder aos desafios e às demandas específicas do 
país, Brasil, por meio de uma visão ampla de desenvolvimento, pautada na Agenda 
2030, o governo brasileiro e o Programa das Nações Unidas para o 
Desenvolvimento (PNUD) trabalham com afinco ao combate à pobreza e a 
desigualdade, fortalecer a governança democrática, o crescimento econômico e o 
desenvolvimento humano e sustentável. 
O índice de educação é medido pela taxa de alfabetização, que nos permite 
identificar a