5. Teoria da Contabilidade
52 pág.

5. Teoria da Contabilidade


DisciplinaContabilidade / Ciências Contábeis80.516 materiais527.238 seguidores
Pré-visualização11 páginas
Teoria da Contabilidade 
Aula 1 - Objetivos e Abordagens 
Importância da Contabilidade 
Essa ciência contribui, principalmente, para o processo de gestão: 
\uf0b7 Da própria organização \u2013 através das etapas de planejamento, execução e controle; 
\uf0b7 De outros organismos que se relacionam com a empresa \u2013 tais como investidores, bancos, 
governo, clientes, fornecedores, empregados etc. 
Por outro lado, apesar de essa constatação ser óbvia para contadores, pesquisadores e estudantes 
da área, por diversas vezes, o profissional contábil é ignorado em organizações \u2013 seja por 
shareholders, stakeholders, seja pela própria sociedade. 
A história da Contabilidade está relacionada diretamente ao avanço da sociedade, das atividades 
econômicas, das mudanças sociais e tecnológicas. 
É certo que as organizações necessitam, cada vez mais, de informações que sustentem sua 
sobrevivência, ou seja, que garantam sua continuidade no mercado. 
Para tanto, tem-se dinamizado o conjunto de dados sistematizados e inteligíveis por meio da 
Tecnologia da Informação (TI), que é capaz de auxiliar o processo decisório. 
Essa é uma realidade que não mudará, e os futuros contadores não podem ficar alheios a isso. 
Os profissionais contábeis que não acompanham essa evolução e \u2013 mais do que isso \u2013 que não 
compreendem a essência da Contabilidade, mas se preocupam somente em debitar e creditar, em 
registrar, em cumprir com as obrigações tributárias e acessórias, estão fadados à obsolescência e, 
assim, ao fracasso. 
 
Competência do profissional contábil 
Apesar da crise econômica global e mesmo com o aumento de licenciados, todos os anos, pelos 
exames de suficiência do Conselho Federal de Contabilidade (CFC), a demanda por profissionais 
contábeis só tem aumentado. 
Nesse sentido, um grande nicho é ofertado. Se buscarem a educação continuada, os estudantes e 
futuros profissionais da área poderão garantir seu lugar no mercado. 
Em síntese, a teoria da Contabilidade propicia ao profissional contábil \u2013 seja qual for sua 
especialidade, sua área de atuação ou o ramo da ciência contábil em que exerce a profissão \u2013 a 
competência para explicar e interpretar os fatos contábeis que foram registrados, e não apenas 
identificá-los e mensurá-los. 
 
 
Enfoques teóricos 
No decorrer da evolução contábil, diversos enfoques têm sido adotados num esforço para resolver 
problemas em Contabilidade. De acordo com Hendriksen e Van Breda (2007), são eles: 
\uf0b7 Fiscal: O enfoque preferido por muitos iniciantes em ciência contábil consiste em perguntar 
o que a Receita Federal ou a legislação fiscal diz sobre determinado assunto. Contudo, a 
legislação fiscal propriamente dita não tem sido um pioneiro do pensamento contábil. 
Embora as leis fiscais tenham acelerado a adoção de boas práticas contábeis e, portanto, 
provocado uma análise mais crítica de procedimentos e conceitos contábeis aceitos, 
também têm representado um obstáculo à aceitação da boa teoria contábil. 
\uf0b7 Legal: O segundo enfoque comum para os iniciantes em Contabilidade é buscar o aspecto 
legal de determinado assunto. Embora a lei proporcione numerosos exemplos que podem 
estimular o pensamento em questões da teoria contábil, raramente esse fator é decisivo. 
\uf0b7 Ético: O terceiro enfoque pergunta se há uma solução ética para determinado assunto. 
A moderna Contabilidade admite como um de seus pilares a subjetividade responsável do 
contador, que exerce grande influência sobre toda a área. 
O enfoque ético à teoria da Contabilidade dá ênfase aos conceitos de justiça, verdade e 
equidade. Afinal, questões éticas fundamentais são importantes para toda a moderna 
construção de teorias. 
\uf0b7 Econômico: Nos últimos anos, tem havido verdadeira explosão de pesquisas que analisam 
a correspondência entre interpretações econômicas e dados contábeis. Dentro do enfoque 
econômico, estão as abordagens da macroeconomia, da microeconomia e da Contabilidade 
socioempresarial. 
\uf0b7 Comportamental: Uma alternativa ao enfoque econômico consiste em confiar nas visões 
da Psicologia e da Sociologia no desenvolvimento das teorias da Contabilidade. 
O enfoque comportamental se preocupa, portanto, com a relevância da informação 
contábil e com o comportamento dos usuários, em consequência da apresentação das 
informações contábeis. 
Essa abordagem tem estimulado uma busca, tanto entre contadores acadêmicos quanto 
entre contadores profissionais, de objetivos fundamentais para a área. 
\uf0b7 Estrutural: Este é o enfoque clássico da Contabilidade, que visa solucionar problemas que 
se concentram na estrutura do próprio sistema contábil e lidar com tais obstáculos por 
semelhança. 
Por exemplo, os contadores procuram classificar transações semelhantes de forma similar 
ou, mais formalmente, buscam uniformidade no registro e na divulgação dessas transações. 
Apenas quando encontram uma transação que não se encaixa num molde prévio, são 
obrigados a recorrer a princípios mais fundamentais. 
Hoje, estão em moda definições mais amplas de Contabilidade, mas o processo de registro, 
classificação e sintetização ainda representa o núcleo da área. 
 
 
Teorias 
\uf0b7 Teoria como linguagem: A primeira forma de classificar o debate teórico consiste em 
analisar a questão que pretendemos solucionar, considerando a Contabilidade como 
linguagem de negócios. Dentro dessa classificação, a Contabilidade pode ser examinada 
com base em três aspectos da linguagem: pragmática, semântica e sintaxe. 
\uf0b7 Teoria como raciocínio: A segunda forma de classificar o debate teórico consiste em 
analisar como os argumentos são processados. Essa análise pode ser feita através do 
raciocínio dedutivo ou indutivo. 
\uf0b7 Teoria como decreto: De acordo com Hendriksen e Van Breda (1999), tanto as teorias 
indutivas quanto as dedutivas podem ser descritivas ou prescritivas. 
Para verificar cada teoria, deve seguir o esquema abaixo: 
 
Desenvolvimento das teorias 
Conforme apontam Hendriksen e Van Breda (2007) e grande parte da doutrina contábil, embora 
uma única teoria geral possa ser desejável, como ciência, a Contabilidade ainda se encontra em 
estágio de desenvolvimento. 
Isso ocorre porque a área reúne um conjunto de teorias \u2013 modelos \u2013 e subteorias complementares 
ou concorrentes. Entretanto, ainda assim, essa ciência é muito importante e valiosa. 
A teoria da Contabilidade, tal como a estudamos, concentra-se no grupo de princípios subjacentes 
e fundamentais para a prática contábil, mas não se resume apenas a isso. 
Além do desenvolvimento de tais princípios, essa teoria também busca compreender outras forças 
externas \u2013 como a política, a economia e a legislação \u2013, que formam um quadro geral de referência 
para a investigação da natureza da Contabilidade, dentro do qual a prática contábil pode ser 
explicada e prevista. 
 
Aula 2 - Evolução e principais escolas 
Surgimento da Contabilidade 
Vamos analisar alguns casos que aparecem na Bíblia Sagrada, cujos escritos antigos nos remetem a 
esse conceito: 
1. No tempo de José, no Egito, houve tal acumulação de bens que perderam a conta do que se tinha! 
(Gênesis 41.49) 
2. Houve um homem muito rico, de nome Jó, cujo patrimônio foi detalhadamente inventariado. 
Depois de perder tudo, ele recuperou os bens, e um novo inventário foi apresentado. (Jó 1.3; 42.12) 
3. Os bens e as rendas de Salomão também foram inventariados. (1 Rs 4.22-26; 10.14-17) 
4. Em outra parábola de Jesus, um construtor faz contas para verificar se o que dispunha era 
suficiente para construir uma torre. (Lucas 14.28-30) 
5. Há, também, o caso do administrador que fraudou seu senhor, alterando os registros de valores 
a receber dos devedores. (Lucas 16.1-7) 
6. Relata-se, ainda, a história de um