Logo Passei Direto

A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
5 pág.
Simulado 1

Pré-visualização | Página 1 de 2

Disciplina: SDE0165 - PSICOLOGIA HOSPITALA 
	Período Acad.: 2018.2 (G) / EX
		Prezado (a) Aluno(a),
Você fará agora seu TESTE DE CONHECIMENTO! Lembre-se que este exercício é opcional, mas não valerá ponto para sua avaliação. O mesmo será composto de questões de múltipla escolha.
Após responde cada questão, você terá acesso ao gabarito comentado e/ou à explicação da mesma. Aproveite para se familiarizar com este modelo de questões que será usado na sua AV e AVS.
	
	
		
	
		1.
		Considere as afirmativas quanto ao início da Psicologia Hospitalar no Brasil:
  
1- Os relatos de inserção do psicólogo em hospitais começam na década de 50, com Matilde Neder instalando um Serviço de Psicologia Hospitalar no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo.
 
2- A psicologia Hospitalar começou sua divulgação de materiais sobre esta área de atuação na década de 90, quando Argerami-Camon, lançou uma coletânea de matérias que relatavam sobre este assunto.
 
3- Antes das publicações de Argerami-Camon, na década de 70 Belkiss já tinha implantado no Instituto do Coração, serviço de Psicologia, pela USP.
 
4- Desde o ano de 1993, a Psicologia Hospitalar foi reconhecida como uma especialidade pelo Conselho Federal de Psicologia. Além disso, a fundação da Sociedade Brasileira de Psicologia Hospitalar (SBPH), em 1997, vem fortalecendo a área no cenário brasileiro.
	
	
	
	Apenas as afirmativas 2, 3, e 4 estão corretas
	
	
	Todas as afirmativas estão corretas
	
	
	Apenas as afirmativas 1, 2, e 3 estão corretas
	
	
	Apenas as afirmativas 1, 2, e 4 estão corretas
	
	
	Apenas as afirmativas 1, 3, e 4 estão corretas
	
Explicação:
Foi somente a partir de 2000 que a Psicologia Hospitalar foi reconhecida como uma especialidade pelo Conselho Federal de Psicologia.
	
	Gabarito Coment.
	
	
	
	
		
	
		2.
		Ricardo é estudante de psicologia e gosta muito da área clínica. Ele está tendo contato com a psicologia hospitalar pela primeira vez. A ideia dele que ele faz da psicologia hospitalar é que é possível apenas o atendimento clínico individualizado no hospital. Se relacionarmos o caso com o objetivo da psicologia hospitalar, podemos afirmar que:
	
	
	
	Ricardo está correto, pois o objetivo da psicologia hospitalar é a clínica psicológica fechada através de espaços de confinamento.
	
	
	Não há correlação entre o caso de Ricardo e os objetivos da psicologia hospitalar.
	
	
	Ricardo está equivocado, pois o objetivo da psicologia hospitalar é a clínica psicológica fechada através de espaços de confinamento.
	
	
	Ricardo está equivocado, pois o objetivo da psicologia hospitalar é usar ferramentas que possam proporcionar o bem-estar daquele que se encontra internado.
	
	
	Ricardo está correto, pois o objetivo da psicologia hospitalar é usar ferramentas que possam proporcionar o bem-estar daquele que se encontra internado.
	
Explicação:
Além do atendimento individual, o psicólogo deve utilizar de todo   seu conhecimento e ferramentas para proporcionar ao paciente um ambiente que favoreça a recuperação da saúde. O psicólogo, como mediador das relações no hospital, deve estar atento a aqueles fatores que possam intervir no bem-estar do paciente.
	
	Gabarito Coment.
	
	
	
	
		
	
		3.
		Com relação a atuação da Psicologia Hospitalar os textos deixam bem claro que seu objetivo não é buscar uma prática clínica, mas sim usar das ferramentas necessárias com o intuito de:
	
	
	
	Diferenciar a Psicologia da Saúde da Psicologia Hospitalar.
	
	
	Diferenciar a Psicologia Clínica da Psicologia Hospitalar.
	
	
	Servir de base conceitual para o estudo da Psicologia.
	
	
	Proporcionar o bem estar aquele que se encontra no espaço hospitalar.
	
	
	Conhecer melhor as técnicas de intervenção de todas as abordagens.
	
Explicação:
A psicologia hospitalar não possui uma prática clínica específica, cabe ao psicólogo hospitalar ter uma escuta sensível ao sofrimento humano no momento de sua maior fragilidade. Deve ter a habilidade necessária para estar do lado não só do paciente, mas também de sua família e ajuda-los a atravessar, muitas vezes, situações limites de dor e sofrimento. Seu objetivo fundamental é, através de suas ferramentas, proporcionar o bem-estar a pessoa internada.
 
	
	
	
	
		
	
		4.
		A definição: "conjunto de contribuições científicas, educativas e profissionais que as diferentes disciplinas psicológicas fornecem para dar melhor assistência aos pacientes no hospital" (Rodríguez-Marín 2003, apud Castro e Bernhold, 2004, p. 51) está relacionada a que área da Psicologia?
	
	
	
	Psicologia Hospitalar
	
	
	Psico-Oncologia
	
	
	Psicologia Clínica
	
	
	Psicologia da Saúde
	
	
	Psicologia Comunitária
	
Explicação:
Psicologia Hospitalar tem sua função centrada nos âmbitos secundário e terciário de atenção à saúde, atuando em instituições de saúde e realizando atividades como: atendimento psicoterapêutico; grupos psicoterapêuticos; grupos de psicoprofilaxia; atendimentos em ambulatório e unidade de terapia intensiva; pronto atendimento; enfermarias em geral; psicomotricidade no contexto hospitalar; avaliação diagnóstica; psicodiagnóstico; consultoria e interconsultoria. Portanto, sua construção se deu a partir da contribuição de diversas disciplinas, de diversos saberes.
	
	
	
	
		
	
		5.
		Bruna estava na aula de psicologia hospitalar quando leu que, em 1990, foi lançada uma coletânea de materiais falando sobre o assunto. Ela questionou acerca do autor e o professor respondeu:
	
	
	
	Carl Rogers
	
	
	Melanie Klein
	
	
	Angerami-Camon
	
	
	W. Winnicott
	
	
	Abraham Maslow
	
Explicação:
Na década de 90, o psicólogo Angerami-Camon  lançou uma coletânea de livros falando sobre a Psicologia Hospitalar. Essa coletânea é utilizada até hoje, servindo como referência para inúmeros estudiosos da área.
	
	
	
	
		
	
		6.
		Maria atuava na psicologia quando ela entrou na área hospitalar. Para ela foi uma época difícil, pois ela não sabia qual era o espaço da psicologia no hospital. Essa dificuldade se devia a:
	
	
	
	Escassez de hospitais públicos e privados.
	
	
	Submissão da psicologia à medicina.
	
	
	Submissão da psicologia à enfermagem.
	
	
	Escassez de unidades de saúde.
	
	
	Escassez de livros e materiais sobre o assunto.
	
Explicação:
Os novos paradigmas que passaram a reger o binômio saúde/doença proporcionou se repensar a forma de intervenção e nesse repensar surgiu o espaço para a inserção do psicólogo no hospital. Porém, o caminho foi construído com muita resistência, pois não tinha livros ou publicações que deixasse claro qual o espaço da psicologia e como ela deveria atuar. Inicialmente, muitos dos parâmetros da clínica serviram como guia para o estabelecimento de uma prática da psicologia hospitalar.  É um campo que ainda se abre e se fortalece, pois se confirma cada dia a importância do fator emocional para a recuperação da saúde do paciente.
	
	Gabarito Coment.
	
	
	
	
		
	
		7.
		Pablo é um psicólogo que atua em um hospital público. Ele se preocupa e busca criar espaços de reflexão para avaliar as possibilidades de acesso da população aos serviços, as condições em que se dão os trabalhos dos profissionais, as características sociais da população atendida, dentre outros fatores que estão ligados aos processos de saúde e doença. Ao correlacionarmos o caso de Pablo com a teoria acerca da Psicologia Hospitalar, podemos afirmar que:
	
	
	
	Não há correlação entre o caso de Pablo e as teorias acerca
Página12