FUNÇÕES PSÍQUICAS E SUAS ALTERAÇÕES
45 pág.

FUNÇÕES PSÍQUICAS E SUAS ALTERAÇÕES


DisciplinaPsicopatologia6.531 materiais107.333 seguidores
Pré-visualização4 páginas
FUNÇÕES PSÍQUICAS ELEMENTARES E SUAS 
ALTERAÇÕES 
Devemos observar que as distintas áreas ou
funções psíquicas não são autônomas, separadas
umas das outras. \u201c(...) Não existem funções
psíquicas isoladas e alterações psicopatológicas
compartimentalizadas desta ou daquela função. É
sempre a pessoa na sua totalidade que adoece.\u201d
\u201cFunções perturbadas fazer pressentir
transtornos subjacentes (...)\u201d.
FUNÇÕES MAIS AFETADAS NOS
TRANSTORNOS PSICORGÂNICOS
Os quadros psicorgânicos são aqueles cuja sintomatologia
psíquica é de origem fundamentalmente orgânica, tais como
em traumatismos e doenças vasculares, tóxicas, infecciosas,
metabólicas, neoplásicas, degenerativas, imunológicas, etc.
Correspondem às chamadas psicossíndromes cerebrais
orgânicas ou reações psicóticas exógenas agudas e crônicas.
\u2022 CONSCIÊNCIA 
\u2022ATENÇÃO (TAMBÉM NOS QUADROS AFETIVOS)
\u2022ORIENTAÇÃO
\u2022MEMÓRIA
\u2022INTELIGÊNCIA
\u2022LINGUAGEM (TAMBÉM NAS PSICOSES)
FUNÇÕES MAIS AFETADAS NOS TRANSTORNOS 
AFETIVOS, NEURÓTICOS E DE PERSONALIDADE
\uf097AFETIVIDADE
\uf097VONTADE
\uf097PSICOMOTRICIDADE
\uf097PERSONALIDADE
FUNÇÕES MAIS AFETADAS NOS 
TRANSTORNOS PSICÓTICOS
\uf097SENSOPERCEPÇÃO
\uf097PENSAMENTO
\uf097VIVÊNCIA DO TEMPO E DO 
ESPAÇO
\uf097JUÍZO DE REALIDADE
\uf097VIVÊNCIA DO EU
ALTERAÇÕES DA CONSCIÊNCIA
Definições de consciência
\uf097 O estado de consciência representa o todo momentâneo das
atividades mentais ou o conjunto dos rendimentos psíquicos num
dado instante, de acordo com Jaspers
\uf097 Definição neuropsicológica: estado vigil.
\uf097 Definição psicológica: dimensão subjetiva da atividade psíquica que se 
volta para a realidade.
\uf097 Definição ético-filosófica: Capacidade de tomar ciência dos deveres 
éticos e assumir responsabilidades, os direitos e deveres concernentes a essa 
ética.
ALTERAÇÕES QUANTITATIVAS DA CONSCIÊNCIA 
(REBAIXAMENTO DE SEU NÍVEL)
\uf097 1.Obnubilação (turvação da consciência)\u2013 rebaixamento
em grau leve e moderado, de difícil diagnóstico.
\uf097 2. Sopor \u2013 estado marcante de turvação, com incapacidade 
de ações espontâneas.
\uf097 3. Coma \u2013 Grau mais profundo de rebaixamento, sem 
qualquer atividade voluntária consciente.
SÍNDROMES PSICOPATOLÓGICAS ASSOCIADAS AO 
REBAIXAMENTO DA CONSCIÊNCIA: 
A) DELIRIUM: rebaixamento leve a moderado do nível de consciência, acompanhado de
desorientação temporo-espacial, dificuldade em concentrar-se, perplexidade, ansiedade
em graus variados, agitação ou lentificação psicomotora, ilusões e/ou alucinações,
quase sempre visuais (diferente de DELÍRIO, alteração do juízo de realidade).
B) ESTADO ONÍRICO: estado semelhante a um sonho muito vívido, com atividade
alucinatória visual intensa e grande carga emocional. Comum nas psicoses tóxicas,
síndromes de abstinência e quadros febris tóxico-infecciosos.
C) AMÊNCIA: quadros mais ou menos intensos de confusão mental, com excitação
psicomotora, incoerência do pensamento, perplexidade e sintomas alucinatórios
oniróides.Atualmente tais quadros são chamados de delirium.
D) SÍNDROME DO CATIVEIRO: paciente aparentemente não responsivo, em virtude
de lesões em determinadas áreas do cérebro.
ALTERAÇÕES QUALITATIVAS DA CONSCIÊNCIA 
(relacionadas à alteração parcial ou focal do campo)
A) ESTADOS CREPUSCULARES: estreitamento transitório do campo da consciência que
surge e desaparece abruptamente, com preservação da atividade psicomotora global
mais ou menos coordenada, podendo durar horas ou algumas semanas.
B) DISSOCIAÇÃO DA CONSCIÊNCIA: perda da unidade psíquica comum a partir da
divisão ou fragmentação do campo da consciência.
C) TRANSE: estado de dissociação que se assemelha a um sonho acordado e dele difere
pela presença de atividade motora automática e estereotipada. Ocorre geralmente em
contextos religioso-culturais. Diferente do transe histérico.
D) ESTADO HIPNÓTICO: estado de consciência reduzida e estreitada e de atenção
concentrada, que pode ser induzido por outrem. Não há nada de místico ou paranormal no
hipnotismo.
FUNÇÃO PSÍQUICA ATENÇÃO
A atenção é uma função psíquica estreitamente relacionada com o estado de consciência,
consistindo num dos principais elementos de observação clínica para determinação do
nível desta.
Podemos decompô-la em dois aspectos básicos, complementares:
a) Vigilância: estado de alerta para os estímulos vindos do meio ambiente ou do próprio
organismo. Ex.: interrupção da leitura em função do soar de uma campainha.
b) Tenacidade: concentração da atenção ou ao foco da consciência. Demonstra-se nos
aspectos cognitivos da atenção. Ex.: não interrompemos a leitura em função de um
estímulo externo ou interno por estarmos absortos no que fazemos (sequer ouvimos a
campainha).
FUNÇÃO PSÍQUICA ATENÇÃO
\uf0d8 Na psicologia contemporânea da atenção atualmente, subdivide-se a 
atenção em quatro aspectos básicos:
\uf097 1. Capacidade e foco de atenção,
\uf097 2. Atenção seletiva,
\uf097 3. Seleção de resposta e controle executivo.
\uf097 4. Atenção constante ou sustentada (sustained attention) (COHEN; 
SALLOWAY;ZAWACKI, 2006 apud DALGALARRONDO, 2008)
FUNÇÃO PSÍQUICA ATENÇÃO
\uf097 Transtornos do humor (depressão e transtorno bipolar), transtorno obsessivo-compulsivo
(TOC), esquizofrenia e transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) são os 
que mais apresentam alterações da atenção.
\uf097 Nos quadros depressivos, geralmente há diminuição geral da atenção. Em alguns casos 
graves, ocorre a fixação da atenção em certos temas depressivos (hipertenacidade), com 
rigidez e alguma diminuição da capacidade de mudar o foco da atenção (hipovigilância). 
Isso acontece pelo fato de o indivíduo estar em depressão grave, muitas vezes voltado 
totalmente para si, concentrado em conteúdos de fracasso, doença, culpa, pecado, ruína, 
etc. Em pacientes deprimidos, o desempenho prejudicado em tarefas de atenção constante 
é, de modo geral, proporcional à gravidade do estado depressivo. A atenção seletiva 
sensorial é geralmente menos afetada.
(COHEN; SALLOWAY; ZAWACKI, 2006).
ALTERAÇÕES DA ATENÇÃO
1) HIPOPROSEXIA: Diminuição global da atenção, com perda básica da capacidade de
concentração, e fadigabilidade aumentada, dificultando a percepção de estímulos
ambientais e a compreensão.
2) APROSEXIA: Total abolição da capacidade de atenção, por mais fortes e variados que
sejam os estímulos.
3) HIPERPROSEXIA: Estado de atenção exacerbada, com surpreendente
infatigabilidade.
4) DISTRAÇÃO: sinal de superconcentração ativa da atenção sobre determinados
conteúdos ou objetos, com inibição de tudo o mais (hipertenacidade e hipovigilância).
5) DISTRAIBILIDADE: estado patológico onde existe a instabilidade marcante e
mobilidade acentuada da atenção voluntária, com dificuldade ou incapacidade para se
fixar ou se manter em qualquer coisa que implique esforço produtivo.
FUNÇÃO PSÍQUICA ORIENTAÇÃO
A orientação pode ser definida como \u201c(\u2026) a capacidade de situar-se
quanto a si mesmo e ao ambiente\u201d, sendo sua avaliação um instrumento
para a verificação de perturbações da consciência (se está turva ou
levemente rebaixada, por exemplo).
A orientação pode ser:
\uf097 AUTOPSÍQUICA \u2013 orientação do indivíduo em relação a si mesmo
(nome, idade, profissão, etc).
\uf097 ALOPSÍQUICA \u2013 capacidade de orientar-se em relação ao mundo, em
termos de tempo (orientação temporal, que se caracteriza por ser mais
sofisticada e tardia no desenvolvimento do indivíduo) e espaço
(orientação espacial).
ALTERAÇÕES DA ORIENTAÇÃO
Geralmente a desorientação ocorre primeiro quanto ao tempo, só
depois influenciando na orientação quanto ao espaço e a si mesmo, na
medida em que o transtorno se agrava. Existem vários tipos de
desorientação:
A)Desorientação por redução do nível de consciência (ou Desorientação
torporosa ou confusa), ocorre pela turvação da