A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
24 pág.
MEC2A2013 [Modo de Compatibilidade]

Pré-visualização | Página 1 de 2

Capítulo 2 - Estática dos fluidos
2.1 - Pressão em um ponto (Lei de Pascal)
2.2 - Equação básica do campo de Pressão (hidrostática) 
2.3 - Variação de pressão num fluido em repouso
2.4.1- fluido incompressível
2.4.2 - fluido compressível
2.4 - Pressão absoluta e pressão efetiva 
2.5 - Atmosfera Padrão
2.6 - Conceito de Carga
2.7 - Diagramas de Pressões
2.8 - Manometria
2.9 - Força hidrostática em superfícies submersas
2.7.1. planas
2.7.2. curvas
2.10 - Equilíbrio de corpos submersos e flutuantes
(Flutuação e estabilidade) 
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Análise de problemas onde o fluido está em repouso. 
•as tensões de cisalhamento nas superfícies das
partículas do fluido são nulas e as únicas forças que
atuam são as de pressão.
2.1- Pressão 
Vetor tensão normal
Direção: normal à superfície 
Sentido: de fora para dentro, compressão
Dimensão: P=F/A (M.Lt-2)/(L2)=ML-1t-2 ou [FL-2]
Unidades: SI - N/m2
Inglês - Psi=lbf/in2,
x
y
z
dz dl
dx
dy pz
px
p
W=ρρρρg (dx dy dz)
2
2.2 - Pressão em um ponto - Lei de Pascal
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
dx
dz
F em x : + px.dy.dz - (p cosα dl.dy) =0
px.dz=p.dl.consαααα
mas consαααα=dz/dl e senαααα=dx/dl
portanto: px.dz=p.dz px.=p
e
αααα
dl
z
x
αααα
p senα
p cosα
∑ =∑ = 00 zx FeF
rr
p=px=pz=py
que estabelece que no interior de um fluido em re-
pouso a pressão é constante em cada ponto
F em z : pz.dx.dy-(p.dl.dy)senα − γγγγ ((dx.dz.dy)/2)=0
desprezando o termo γγγγ ((dx.dy.dz)/2) em relação 
aos demais, por ser diferencial de segunda ordem
pz.dx=p.dl.senα α α α e da definição de senαααα
pz.dx=p.dx pz.=p
logo
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
TEF301 - DETEF/UFOP
2.3 - Equação Básica da estática dos fluidos
z
y
x
k
ijdz dx
dy
P
a) a força de campo (corpo ou massa) 
 
dF gdm gd gdxdydzc
r r r r
= = ∀ =ρ ρ 
 
b) a força de superfície (contato), p = p(x,y,z) 
 
a componente resultante da força de superfície em y 
 
jdxdydz
y
p
jdxdzdy
y
ppjdxdzdx
x
ppFx
ˆ
ˆ
2
ˆ
2






−=












+−











−=
∂
∂
∂
∂
∂
∂r
 
analogamente, para as componentes x e z 
 
 idxdydz
x
pFx ˆ





−== ∂
∂r
 kdxdydz
z
pFz ˆ





−== ∂
∂r
 
dzdydx
x
pp 











∂
∂
−
2
dzdydx
x
pp 











∂
∂
+
2
∑ =∑ =∑ = 000 zyx FeFF
rrr
0=∑F
r
Força de corpo + Força de superfície
-
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
dxdydzk
z
pj
y
pi
x
pFs 





++−=
rrrr
∂
∂
∂
∂
∂
∂
assim 0=+ cFsF
rr
Equação fundamental de equilíbrio estático
0=+∇ kgp
rr
ρ
0=+





++ kgpk
z
j
y
i
x
rrrr ρ∂
∂
∂
∂
∂
∂
0=+





++ kgk
z
pj
y
pi
x
p rrrr ρ∂
∂
∂
∂
∂
∂
0=−





++− kgdxdydzdxdydzk
z
pj
y
pi
x
p rrrr ρ∂
∂
∂
∂
∂
∂
kdxdydz
z
pjdxdydz
y
pidxdydz
x
pFs
rrrr






−+





−+





−= ∂
∂
∂
∂
∂
∂
zyxs FFFF
rrrr
++=
Vetorialmente, tem-se
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
2.3 - Variação de pressão num fluido em repouso
0=+∇ kgp
rr
ρ
g
dz
dp ρ−=kgg ˆ−=rQuando gx=gy=0 e
00 =
∂
∂
=
∂
∂
y
p
e
x
p γ−=
dz
dp
ou
2.3.1- fluido incompressível
tecons tan=ρ
integrando dzgdp
B
A
Bz
Az
∫ ∫−= ρ
( )ABAB zzgpp −−=− ρ
2.3.2- fluido compressível
Se pA=patm ghpp atmB ρ+=
.cte
dz
dp
= A
B
g
y
h
)( pρρ =
Se é gas perfeito RT
p
=ρ
Substituir o valor de ρ antes de integrar a equação abaixo
g
dz
dp ρ−=
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Lei de Stevin
A lei de Pascal não se aplica quando 
o fluido não é contínuo, conforme 
mostrado na figura a seguir:
2.3 - Pressão em um ponto - Lei de Pascal
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
Prensa Hidráulica
Principio de Pascal:
�A força resistiva F2
é considerada 
constante
�Em qualquer 
instante de operação 
essa força é 
compensada por F1
�Em equilíbrio se 
tem:
[ ]2
2
2
2
1 mNcte
A
F
A
Fp ===
•A relação de forças é determinada pela
razão de áreas dos pistões, isto é:
F1 F2
p p
y2
y1
A2A1
1
1
2
2 FA
AF 





=
CAT118-DECAT/UFOP
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
2.4 - Pressão Absoluta e Pressão Efetiva
onde Pefetiva=Pman ou Pvac.
Manômetros e 
vacuômetros
medem pressões 
efetivas (para eles a 
pressão atmosférica
é igual a zero)
O manômetro mede
este valor ( a partir da
pressão atmosférica
O vacuômetro mede
este valor ( a partir da
pressão atmosférica
Pressão 
atmosférica
zero absoluto
Nota: Se você desejar conhecer a pressão absoluta em um
dado local, deverá somar a pressão efetiva, medida através
de um manômetro, com a pressão atmosférica, medida 
através de um barômetro
O barômetro
mede este
valor
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
abs
atm
efeabs PPP ++++====
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
2.5 - Atmosfera Padrão
Propriedades da Atmosfera Padrão Americana no Nível do mar
Temperatura, T
Pressão, p
Massa específica, ρ
Viscosidade, µ
288,15 K=15OC
101,33 kPa (abs.)
1,225 kg/m3
1,789 x10-5 N.s/m2
Aceleração da gravidade, g 9,807 m/s2
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
É a atmosfera ideal terrestre e foi avaliada numa latitude
média com uma condição ambiental média anual de modo
que se pudesse ter um padrão em todo o globo terrestre.
Uma das organizações responsável por essa medição, a
American National Standard Institute – ANSI
2
1
2.6 - Conceito de Carga
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
Plano de referência
Linha de carga efetiva (LCE)
1z 2z
γ
2p
3
3z
Linha de carga absoluta (LCA)
γ
abs
atmp
{ }mHzpzpzp ∴=+=+=+ 332211 γγγ
γ
1p
γ
3p
Válvula
fechada
H
hp gρ=
A equação mostra que a pressão em um ponto a uma profun-
didade h abaixo de uma superfície de um líquido é dada pelo 
produto γ γ γ γ h ou em termos equivalente de h isto é P/γγγγ
esta razão é denominada de carga






= 3
2
LF
LFL
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
h1
h2
P
Plano de referênciaPo
Patm
Po
2.7 - Diagramas de pressões
1hγ
2hγ
2hγ
1hγ1
h
2h
1hγ
2hγ
2.8 - Manometria
2.8.1 - Tubos Piezométricos
2.8.2 - Manômetro com o Tubo em U
2.8.3 - Manômetro com 
o Tubo Inclinado
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
Pequenas variações de pressão
Sistemas de gases
21int eentreegrandog
dz
dp ρ=
atmppeghpp ==− 2121 ρ
11 ghpp A ρ==
32 pp = App =1
2
2
1
1 ghghpA ρρ =+
BA phylyhyp =−−+ 332211 senθ
331122 sen hyhylypp BA +−=− θ
gases
ecomo 231 γγγ <<<
θsen22lypp BA =−
CAT118 - DECAT/EM/UFOP
Capítulo 2 - Estática dos fluidos
2.9- Forças hidrostáticas sobre superfícies submersas.
ApdFd
rr
−=
2.9.1 - Superfícies planas
∫−=
A
R ApdF
rr
pdAxFxepdAyFy
A
R
A
R ∫∫ == ''
• a magnitude da força
• o sentido da força
• a linha de ação
RF
r Fd
rh
dx
dy
Ad
r
y
x
Superfície do líquido
dA
0=∑ rM
r
g
dh
dp ρ=mas
cp centróide
x
rFM R ×=
rr
ρ
op
integrando
ghpp o ρ+=( )↓+h
θ
Resumo de equações
g
dh
dp ρ=
a magnitude da força
a direção da força
o ponto de aplicação
∫=
A
R ApdF
rr
Normal à superfície
∫∫ ×−=×=×′
A
R ApdrFdrFr
rrrrrr
CAT118 - DECAT/EM/UFOP

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.