A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
78 pág.
Abrangência das Ações de Saúde ( Módulo IV ) Unime 2018.2

Pré-visualização | Página 4 de 30

Caso o pajé não conseguisse tratar o doente e essa doença passasse para 
outros da tribo, os outros deveriam buscar outra terra, sem esse males 
 
 Saúde no Brasil com a chegada dos Europeus 
 
 Os índios viviam de acordo com a natureza, não possuíam muitas doenças e 
por isso seu sistema imune também não era tão forte. Com a chegada dos 
Europeus chegaram também as doenças, que dizimaram muitos indígenas. 
Eram doenças que para os Europeus eram simples e não levavam à morte, 
entretanto , uma simples gripe era mortal para os índios. Além de gripe 
 
 
chegaram as epidemias de malária, sarampo, febre amarela, disenteria e 
varíola. 
 Durante o período colonial o acesso ao tratamento variava de acordo com a 
condição social ( Ainda podemos observar isso ), a assistência à população 
pobre e indigente ficava sob cuidados das Santas Casas de Misericórdia. As 
pessoas com maiores condições buscava ajuda dos boticários, barbeiros, 
sangradores, empíricos, curandeiros ( Apresentavam conhecimento de 
algumas ervas medicinais brasileiras ) ... 
 Quem cuidava da saúde dos Europeus com maiores condições, nessa 
época, eram os jesuítas. Que atuavam no tratamento de doenças, epidemias, 
fundavam hospitais, estudavam as doenças curativas das regiões e mantinham 
eficientes enfermarias no Brasil. Alguns jesuítas vieram de Portugal já 
formados nas áreas médicas, mas a maioria atuava informalmente. 
 Em 1574 Inácio de Loiola determinou que em todas as aldeias fossem 
criadas enfermarias e casas isoladas, que funcionassem como hospitais. 
 Duas grandes epidemias tomaram conta do Brasil colônia : Varíola e 
Sarampo. Elas dizimaram milhares de índios e escravos. O Tratamento foi 
realizado pelo padre Anchieta era realizado por sangria. Os jesuítas se 
consideravam um médico espiritual e corporal. 
 Ainda assim predominava uma precária organização dos serviços de saúde 
 
 Chegada da família real no Brasil – Império 
 
 Após a chegada da família real no Brasil o país teve avanços na área da 
saúde, de acordo com a época. 
 Com a família real no Brasil era necessário uma estrutura sanitária mínima, 
capaz de dar suporte ao poder que se instalava na cidade do Rio de Janeiro 
pois a péssima condição de vida e de salubridade facilitavam a disseminação 
de diversas doenças. 
 Em 1808 Dom João VI fundou na Bahia o colégio médico cirúrgico, no real 
hospital militar de Salvador. No mesmo ano foi criado a escola de cirurgia de 
Salvador, anexo ao Real hospital militar, finalizando assim o período de Brasil 
colônia. 
 É importante ressaltar que essas medidas sanitárias durante esse período 
não tinha como preocupação a melhora no nível de saúde da população em 
geral , mas sim proteger os nobres portugueses de doenças. 
 
 Saúde no Brasil República 
 
 Já no início da República, o Brasil sofria com grande epidemias, como 
varíola, febre amarela, entre outras que matavam milhares de pessoas. Essas 
epidemias eram “ ajudadas” pelas condições precárias das condições 
sanitárias e de higiene da população. Essas epidemias começaram a interferir 
também na economia do país, já que muitos imigrantes não queriam vim para o 
Brasil e eles eram a melhor mão de obra para o café, sem contar os navios que 
evitavam atracar no país, fazendo com que o produto não fosse exportado. 
 Para os pobres a situação não mudou muito, ainda tinham que buscar 
benzedeiras ou entidades filantrópicas mantidas pela Igreja. 
 Em 1900 Oswaldo Crus é nomeado diretor do Instituto em Manguinhos, 
nesse instituto serão produzidas vacinas para essas enfermidades. O problema 
 
 
é que na hora da aplicação da vacina, o povo não tinha conhecimento do que 
era e não queriam tomar, o governo utilizou de sua força militar para tornar 
obrigatória a aplicação, isso gerou muitas brigas, mas no final o governo vence 
utilizando sua força. Só para ressaltar, a vacina era obrigatória e foi apenas no 
Rio de Janeiro. 
 Outro fato importante para a saúde foi o médico Emílio Ribas morar com 
portadores de Febre Amarela, mostrando assim que a doença não era 
transmitida apenas pelo contato com o doente, hoje sabemos que a doença é 
transmitida por picada de mosquito infectado pelo vírus. 
 A gripe espanhola assola o Brasil, matando milhares de pessoas. 
 O médico Geraldo Paula Souza volta ao Brasil para instaurar os Centros de 
Saúde, após um curso de saúde pública na Hopkins. Esse Centro de saúde é 
social e educativo, o médico sanitarista e as educadores iriam substituir os 
guardas e inspetores. A família passa a ser o centro da ação. 
 Vargas vai assumir o poder e decide centralizar e uniformizar as estruturas 
de saúde 
 Vargas cria o instituto de aposentadoria e pensões dos marítimos. Todas as 
categorias profissionais teriam seus IAP’s ( Instituto de aposentadorias e 
pensões ) para substituir as “ caixas`` . As pessoas teriam uma parte do 
dinheiro do salário descontados para depois ter pleno direito à assistência 
médica, aposentadorias e pensões após um tempo de trabalho. 
 O pagamento deve ocorrer todo mês durante 30 anos ( Lembrando que a 
expectativa de vida antigamente era muito menor que hoje ). 
 Os recursos dos IAPS foram sempre aplicados pelo governo no 
financiamento da industrialização do país. 
 Quem não consegue pagar as contribuições acaba ficando sem direito 
algum. 
 
 1937 – O ESTADO NOVO 
 
 O dinheiro da previdência continua sendo investido na industrialização do País ( Isso 
é muito errado já que o dinheiro do povo está sendo desviado ). 
 SESP ( Atividades do Serviço Especial de Saúde Pública no interior do país ) -> 
Iniciativa da nossa saúde pública para combater a malária e proteger os “ soldados da 
borracha “ . Os americanos financiam o SESP porque eles precisam da borracha para a 
guerra. Para o Brasil o SESP é importante pois ele faz parte da saúde pública que vem 
combatendo as epidemias, são ações de comportamento preventivo , é uma preocupação 
mais social. Alcança lugares, com doenças nunca vistas ou estudadas, como Carlos 
Chagas descobriu. 
 
 1951 - Vargas volta À presidência, eleito pelo voto popular. 
 
 É criado o Ministério da Saúde 
 O Ministério da Saúde foi criado para fortalecer as ações na saúde pública ( Medicina 
Preventiva ) 
 
 1961 - Jânio quadros ( Vassourinha ) assume à presidência e promete 
varrer a corrupção 
 
 Os IAPS são separados de acordo com os valores, quem ganha mais têm IAPS 
 
 
melhores, sendo assim alguns IAPS conseguem construir seus próprios hospitais, 
entretanto algumas empresas não ficam satisfeitas com o atendimento que seu IAPS 
oferece e aí surge a ideia da medicina de grupo, ou seja, empresas que tem a finalidade 
de prestar serviços médicos privados aos empregados das empresas que o contrata. A 
vantagem desse sistema é que ocorre uma maior seleção da mão de obra e empregados 
que faltem menos, diziam que era o futuro da assistência médica, as empresas médicas. 
 
 DITADURA MILITAR 
 
 A classe operária e a classe média vão para a miséria, o êxodo rural está 
fazendo a população cada vez mais pobres, aumentando o número de 
doenças( favelas, cortiços ) , a saúde sendo sucateada, programas e serviços 
importantes sem verbas ( Ex. Saneamento básico ).O Governo só da 
importância para o que pode ser repassado para o privado, a saúde pública 
tem que ser de investimento estatal, logo é negligenciada. 
 O governo vai unificar todo o sistema previdenciário, IAPS e outros órgãos 
em um sistema único que recebe o nome de Instituto Nacional e previdência 
social ( INPS ),

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.