A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
78 pág.
Abrangência das Ações de Saúde ( Módulo IV ) Unime 2018.2

Pré-visualização | Página 7 de 30

seus gestores 
 Normatizar o SUS 
 
 Normas Operacionais Básicas (NOBs) 
 
 É uma legislação além das leis orgânicas – Tem como objetivo definir 
estratégias que orientem sua operacionalização para nortear e aumentar sua 
implementação, além de estimular mudanças que colaborassem com o seu 
crescimento. 
 As NOBS foram definidas como recursos para investimento na saúde, com a 
criação do CONAS ( Conselho Nacional de Secretários de Saúde ) e do CONASENS ( 
Conselho nacional das secretarias municipais de saúde ), também deram ênfase na 
municipalização da saúde, onde município passou a ser responsável imediato pela 
assistência às necessidades do cidadão. 
 
 Normas Operacionais de Assistência à Saúde (NOAS); 
 
 O objetivo da NOAS/SUS é promover maior equidade na alocação de recursos e no 
acesso da população às ações e serviços de saúde em todos os níveis de atenção. 
Estabelece o processo de regionalização como estratégia de hierarquização dos serviços 
 
 
de saúde e de busca de maior equidade. Institui o Plano Diretor de Regionalização 
(PDR) como instrumento de ordenamento do processo de regionalização da assistência 
em cada Estado e no Distrito Federal. 
 As NOAS foram em 2 edições, 2001 e 2002, e estabeleceram como meta 
disponibilizar maior acesso da população aos serviços de saúde em todos os níveis, 
promovendo ampliação da equidade e utilizando a regionalização como forma de 
organizar as hierarquias desses equipamentos de saúde. 
 
 Central de Regulação 
 
 Mecanismo de gestão que visa garantir a organização das redes e fluxo de vagas 
 É um sistema que monitora a disponibilidade de vagas em atendimento 
especializado e de leitos, tornando mais ágil a marcação de consultas e exames e, 
ainda, a transferência de pacientes em estado grave de saúde e que precisam de 
cuidados em Unidade de Terapia Intensiva (UTI) ou de procedimentos complexos. 
 
 Assistente Social 
 
 Ela tem como função atuar no combate às desigualdades da sociedade. Ela 
realiza o planejamento e a execução de políticas públicas e de programas sociais 
que proporcionem o bem- estar e a integração do indivíduo com a sociedade. 
 
 Hospital de Referência 
 
É um hospital especializado em determinada doença / tratamento. 
 
 Médico de Família e Comunidade 
 
 Especialidade médico com foco na Atenção Primária à Saúde. 
 Como será o primeiro contato com o paciente, deve cuidar de forma 
longitudinal , integral e coordenada da saúde de uma pessoa, considerando 
seu contexto familiar e comunitário. 
 Essa especialidade ficou muito tempo em posição marginal, só ganhando 
maior visibilidade após a expansão do programa saúde da família. 
Seus princípios e práticas são centrados na pessoa e não na doença, na 
relação médico – paciente , na interlocução com o indivíduo , sua família e a 
comunidade que está inserido, onde o processo de adoecimento é relacionado 
à interação de fatores de ordem biológica, psicológica e sócio – ambiental . 
 
 
 
 CAIXA -> IAP’S -> INPS -> SINPAS ( INAMPS ) 
 
 
 Problema 1 – Fechamento 
 
Lei n. 8.142/90 - participação da comunidade na Gestão do Sistema Único 
de Saúde 
 
 É o complemento da Lei 8.080. Na época que a lei 8.080 foi aprovada, 
algumas partes foram vetadas pelo presidente da época, a parte envolvendo 
participação da comunidade mesmo foi vetada, então em 1990, mesmo com a 
aprovação da lei 8080 existiram várias manifestações da população em busca 
dos seus direitos participativos, então no mesmo ano foi editada uma nova lei 
trazendo essa parte da participação da comunidade, além disso trouxe a parte 
de financiamento do SUS. 
 Essa participação popular irá ocorrer nas Conferências de Saúde e nos 
Conselhos de Saúde. 
 A conferência de saúde irá ocorrer a cada 4 anos com a representação dos 
vários segmentos sociais ( Segmentos da sociedade, de pessoas que precisam 
ou trabalham com a saúde ) , a principal finalidade dessas conferências de 
saúde é justamente avaliar a situação da saúde no país ou naquela localidade, 
outra finalidade é propor diretrizes para a formulação da política de saúde, 
também será proposto saídas para o SUS, ou seja, formas para o SUS atuar. A 
convocação é através do poder executivo, com exceção de uma convocação 
extraordinária, ou seja, uma convocação além desses 4 anos, caso aconteça 
alguma situação de saúde diferente do normal, o conselho de saúde daquela 
localidade também pode solicitar um conselho de saúde extraordinária. 
 O Conselho de Saúde apresenta caráter permanente e deliberativo ( Vão 
tomar decisões ), sendo esses conselhos um órgão colegiado composto por 
quatro grupos, representantes do : Governo, prestadores de serviços para o 
SUS, profissionais da saúde e os usuários. A finalidade desses Conselhos é 
formular estratégias ligadas a saúde, também promovem o controle da 
execução da política de saúde daquela localidade, vão fiscalizar aspectos 
econômicos e financeiros. As decisões que o Conselho vai tomar não quer 
dizer que elas já vão ter força de comprimento, elas terão que ser homologadas 
pelo chefe de poder legalmente constituído em cada esfera de governo, ou 
seja, o Conselho toma as decisões e elas são enviadas para o gestor da 
saúde. 
 A representação dos usuários, tanto no conselho quanto na conferência de 
saúde, será paritária em relação ao conjunto dos demais segmentos, ou seja, 
50 % será composto por usuários e 50 % por gestores. 
 O Conselho Nacional de Saúde terá representantes do Conselho Nacional 
de Secretários de Saúde ( CONASS )/ESTADOS E DISTRITO FEDERAL e do 
Conselho Nacional de Secretários Municipais de Saúde ( CONASEMS ). 
 Quando se fala do financiamento teremos : 
 Os recursos do Fundo Nacional de Saúde ( FNS ) serão enviados 
diretamente para a conta do Município, sem passar antes pelo Estado. O 
Município recebe 70% dos recursos ligados a saúde e o Estado apenas 30%, 
isso acontece porque os Municípios estão com a parte de Atenção Primária da 
Saúde, ou seja, apresenta uma demanda maior. 
 
 
 
 Normas Operacionais 
 
 As normas operacionais definiram critérios para que estados e municípios se 
habilitassem a receber repasses de recurso do Fundo Nacional de Saúde para 
seus respectivos fundos de saúde. 
 Desde o início do processo de implantação do SUS foram publicadas 4 
NOBS, já as NOAS só foram 2 
 
 
 
 Norma Operacional Básica ( NOBS ) 
 
 Tem por finalidade primordial promover e consolidar o pleno exercício, por 
parte do poder público municipal e do Distrito Federal, da função de gestor da 
atenção à saúde dos seus municípios, com a consequente redefinição das 
responsabilidades dos Estados, do Distrito Federal e da União, avançando na 
consolidação dos princípios do SUS. Responsabilidade não só para prestação 
de algum serviço, mas sim na gestão de um sistema que atenda , com 
integralidade, à demanda das pessoas pela assistência à saúde e as 
exigências sanitárias ambientais. 
 Busca-se, dessa forma, a plena responsabilidade do poder público 
municipal. Assim, esse poder se responsabiliza como também pode ser 
responsabilizado, ainda que não isoladamente. Os poderes públicos estadual e 
federal são sempre co-responsáveis, na respectiva competência ou na 
ausência da função municipal. Essa responsabilidade, no entanto, não exclui o 
papel da família, da comunidade e dos próprios indivíduos, na promoção, 
proteção e recuperação da saúde. 
 Ao tempo em que aperfeiçoa a gestão do

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.