Estágio Supervisionado II   Gabriela Schaefer
42 pág.

Estágio Supervisionado II Gabriela Schaefer


DisciplinaProjetos Consultório Odontológico Isolado1 materiais24 seguidores
Pré-visualização10 páginas
0 
 
UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA 
 
 
 
 
 
 
 
GABRIELA SCHAEFER 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE: CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS ISOLADOS 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
São Miguel do Oeste - SC 
2018 
 
1 
 
GABRIELA SCHAEFER 
 
 
 
 
 
 
 
 
ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE: CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS ISOLADOS 
 
 
 
 
 
 
 
Pré-projeto apresentado ao Componente Curricular de 
Estágio supervisionado II, ao curso de Engenharia Civil, 
Área das Ciências Exatas e Tecnológicas da 
Universidade do Oeste de Santa Catarina \u2013 Campus de 
São Miguel do Oeste, com vias a obtenção da nota 
necessária a aprovação na Disciplina de Estagio 
Supervisionado II. 
 
 
 
 
 
Orientadora: Prof.ª Ms. Rebecca Iva Carreiro Simonetti do Pillar 
 
 
 
 
 
São Miguel do Oeste \u2013 SC 
2018 
 
2 
 
GABRIELA SCHAEFER 
 
 
 
 
 
ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE: CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS ISOLADOS 
 
 
 
 
Projeto apresentado ao Componente Curricular de 
Estágio supervisionado II, ao curso de Engenharia Civil, 
Área das Ciências Exatas e Tecnológicas da 
Universidade do Oeste de Santa Catarina \u2013 Campus de 
São Miguel do Oeste, com vias a obtenção parcial da 
nota necessária a aprovação na Disciplina de Estágio 
Supervisionado II. 
 
 
 
 
Aprovada em:..................de...............de 2018 
 
 
 
 
BANCA EXAMINADORA 
 
___________________________________________________________________ 
Prof....... Universidade do Oeste de Santa Catarina 
 
___________________________________________________________________ 
Prof....... Universidade do Oeste de Santa Catarina 
 
___________________________________________________________________ 
Prof....... Universidade do Oeste de Santa Catarina 
 
 
3 
 
RESUMO 
 
Este estudo objetiva o conhecimento das normativas vigentes que estabelecem o que um 
consultório odontológico isolado deverá conter em sua arquitetura, atendendo há critérios 
como o controle de risco infecções e atendimento de portadores com deficiência. Foi 
percebida a necessidade deste estudo após informações do Setor de Vigilância Sanitária da 1ª 
Gerencia Regional de Saúde (2018) de São Miguel do Oeste (SC), que informou a raridade de 
aprovação dos Projetos Básicos de Arquitetura (PBAs) em primeira análise, sendo assim, 
necessárias 2 ou até 3 análises até que sejam aprovados. Além disso, foram escolhidos os 
consultórios odontológicos isolados para o estudo em função de ser a maior demanda de 
projetos avaliados da região. Após pesquisas bibliográficas, as normativas vigentes a um 
consultório deste padrão, dando ênfase questões sanitárias e de acessibilidade são: NBR 9050 
(2015), Portaria de dispensa de análise (Portaria 852, 2017), RN 002 (2017), RDCs 15(2012), 
50 (2002), 51 (2011) e 222(2018). Após o estudo, ficou claro porque ocorrem dificuldades no 
entendimento das mesmas e consequentes não aprovações de PBAs, pois, por mais que 
existam as normas, estas não são de fácil interpretação, principiante para situações de menor 
complexidade, como clínicas e consultórios, por exemplo, como os odontológicos isolados. 
Assim como, não há muita informação durante a graduação sobre as mesmas ou sobre 
arquitetura de estabelecimentos de saúde, sendo aconselhado então especializações e estudos 
na área para quem quiser projetar obras este padrão. Foi possível determinar também quais 
são os ambientes mínimos a um consultório odontológico isolado: recepção e espera, 
sanitário, sala de atendimento, depósito de materiais de limpeza (DML) e abrigo externo de 
resíduos. Tendo os ambientes como opcionais, como o CME Classe I e/ou sala de utilidades. 
No entanto, ressalta-se que ao realizar um projeto de saúde tanto o projetista quanto 
odontólogo deverão se preocupar com o risco de infecções, tomando cuidado para que haja 
fluxo dos materiais e resíduos, ou seja, materiais esterilizados não tenha contato com 
materiais que ainda não passaram pelo processo e tenha-se o melhor gerenciamento de 
resíduos possível. E, por fim, com as informações foi desenvolvido um Checklist, cujo 
objetivo é a conferência in loco ou em projeto do que um consultório odontológico isolado 
deverá atender no que tange aos seus ambientes necessários e alguns detalhamentos destes 
conforme um PBA. Destaca-se então que o estudo teve grande relevância, pois, a acadêmica 
adquiriu conhecimentos relevantes a sua formação e pode contribuir com a região onde está 
inserida e sociedade como um todo, com a proposição desta ferramenta. 
Palavras-chave: ANVISA. Projeto Básico de Arquitetura. Consultório odontológico isolado. 
 
4 
 
LISTA DE ILUSTRAÇÕES 
Figura 01 \u2013 Lavatório acessível ..................................................................................... 18 
Figura 2 \u2013 Pia de despejo em aço inox ......................................................................... 19 
Fluxograma 1 \u2013 Estágio Supervisionado II ........................................................................... 28 
Fluxograma 2 \u2013 Trabalho que se pretende realizar no TCC .................................................. 32 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
5 
 
SUMÁRIO 
1. INTRODUÇÃO .................................................................................................... 7 
2. REFERENCIAL TEÓRICO ............................................................................. 10 
2.1. ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE .................................................................. 10 
2.2. PROJETO DE ESTABELECIMENTOS DE SAÚDE .......................................... 11 
2.3. CONSULTÓRIOS ODONTOLÓGICOS ............................................................. 13 
2.3.1. Consultório Odontológico Isolado ..................................................................... 14 
2.3.1.1. Recepção e espera ................................................................................................ 16 
2.3.1.2. Sanitários ............................................................................................................. 17 
2.3.1.3. Sala de utilidades ................................................................................................. 19 
2.3.1.4. Deposito de materiais de limpeza \u2013 DML ............................................................. 20 
2.3.1.5. Sala de atendimento ............................................................................................. 20 
2.3.1.6. Local para limpeza e esterilização dos materiais ................................................... 21 
2.3.1.6.1. CME Classe I ou Simplificada ............................................................................. 22 
2.3.1.6.2. Limpeza e esterilização na sala de atendimento .................................................... 23 
2.3.1.7. Gerenciamento de Resíduos de Serviço de Saúde ................................................. 23 
2.3.1.7.1. Abrigo temporário de resíduos ............................................................................. 24 
2.3.1.7.2. Abrigo externo de resíduos ................................................................................... 24 
2.3.1.8. Materiais e acabamentos ...................................................................................... 25 
3. METODOLOGIA .............................................................................................. 27 
4. RESULTADOS DA PESQUISA ........................................................................