A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
96 pág.
APOSTILA DIR. CONSTITUCIONAL II   PROF. RENATA VELO

Pré-visualização | Página 9 de 17

Você é o (a) 
Procurador Geral do Município. Como orientaria o Prefeito? Pode o Prefeito negar 
a aplicação da lei por inconstitucionalidade? 
 
Leitura recomendada: 
 
Ler capítulo correspondente do Livro Didático Direito Constitucional. 
 
 
 
Plano de aula 10: Processo Legislativo: Espécies 
Legislativas: 
 
 
Resumo: 
	 48	
 
 
- Processo Legislativo Sumário: 
- Existência de prazos fixados para que as casas do CN deliberem sobre o PL 
apresentado. 
- O PR pode solicitar urgência para PL de sua iniciativa (64, § 1º da CF) 
- Com isso, cada casa do CN tem até 45 dias para votar o PL sob pena de 
trancamento de pauta, salvo as que tenham prazo também determinados pela CF. 
(64, § 2º da CF) 
- Caso o SF emende a CD tem 10 dias para apreciar as emendas, sob pena de 
trancamento de pauta. (64,§ 3º da CF). 
- Não cabe processo legislativo sumário para projetos de Códigos. 
 
- Processo Legislativos especiais: (que não sejam as LC e LO): 
 
1) Emendas Constitucionais: 
- Art. 60 da CF 
- Fases: 
1) Apresentação de proposta por iniciativa de um dos legitimados (art. 60, I a III da 
CF: 
a) Um terço no mínimo dos membros da CD ou SF; 
b) do PR, 
c) mais da metade das AL das unidades da Federação, manifestando-se cada uma 
delas pela maioria relativa dos membros. 
 
2) Discussão e votação em cada casa do CN em dois turnos de votação, 
considerando-se aprovada quando houver três quintos dos votos em cada um dos 
turnos (60, § 2º da CF). 
 
3) Pode haver emendas da segunda casa legislativa e aí voltam as emendas para 
a primeira casa. 
 
	 49	
4) Será promulgada pelas mesas da CD e do SF (60, § 3º da CF). 
 
5) Caso a proposta seja rejeitada será arquivada e não poderá ser objetivo de nova 
proposta na mesma sessão legislativa (60, § 5º da CF). 
 
- Cláusulas Pétreas: 
a) Forma federativa do Estado, 
b) Voto: DUPS 
c) Separação de Poderes 
d) Direitos e Garantias individuais 
 
 
- Medidas provisórias: Artigo 62 da CF: 
- 2 Regimes: 
a) CF 88 até EC 32/2001; 
b) Da EC 32/2001 para cá. 
 
- Artigo 62 da CF: Em caso de relevância e urgência o PR pode adotar MP com 
força de lei, devendo submetê-la de imediato ao CN. (Se em recesso não obriga 
que seja convocado extraordinariamente), mas se for convocado 
extraordinariamente será automaticamente incluída em pauta. 
 
- Limitações materiais: 62 § 1º da CF: 
1) Nacionalidade, cidadania, direitos políticos, partidos políticos e direito eleitoral; 
2) Direito penal, processual penal e processual civil; 
3) Organização do MP, do Poder Judiciário e garantia de seus membros; 
4) Planos plurianuais, diretrizes orçamentárias, orçamentos e créditos adicionais e 
suplementares; 
- Salvo artigo 167, § 3º da CF: abertura de crédito extraordinário: despesas 
imprevisíveis e urgentes: guerra, comoção interna, calamidade pública. 
5) Que objetive a detenção ou seqüestro de bens de poupança popular; 
	 50	
6) Reservadas a lei complementar, 
7) Já disciplinada em PL aprovado pelo CN e pendente de sanção ou veto do PR 
8) 25, § 2º da CF (MP estadual para regulamentação de exploração de gás 
canalizado). 
9) Art. 246 da CF: MP para regulamentar artigo da CF que tenha sido emendado 
entre janeiro de 1995 e a promulgação da EC 32-2001. 
 
- Procedimento Legislativo: 
a) Artigo 62 da CF: Em caso de relevância e urgência adotada a MP pelo PR esta 
deve ser submetida de imediato ao CN que terá o prazo de 60 dias (prorrogável por 
mais 60 dias) para apreciá-la: não corre o prazo durante o recesso: (art. 62, § 3º e 
4º da CF). 
 
b) No CN as MP serão apreciadas por comissão mista (DF e SF) que dará parecer 
sobre a MP ser ou não convertida em lei: (art. 62, § 9º da CF). 
 
c) Será apreciada pela CD e depois pelo SF: Neste caso três situações podem 
ocorrer: 
 
1) Ser convertida em lei: O presidente da Mesa do CN a promulga e remete para 
publicação. 
 
2) Ser integralmente rejeitada a conversão ou perder a sua eficácia por não 
apreciação no prazo: a MP será arquivada. 
 
- O CN baixa ato declarando a MP insubsistente ex tunc e deve disciplinar por meio 
de decreto legislativo, no prazo de 60 dias da rejeição ou perda da eficácia as 
relações jurídicas decorrentes: (art, 62, § 3º da CF). 
 
- Caso o CN não edite o Decreto Legislativo no prazo, as relações constituídas 
durante o seu prazo de vigência permanecerão regidas pela MP. (art. 62, § 11º da 
CF), 
	 51	
 
- Durante a sessão legislativa não pode ser reeditada MP que foi rejeitada ou perdeu 
a sua eficácia por decurso do prazo. (art. 62, parágrafo 10 da CF). 
 
3) Se houver modificações no texto adotado pelo PR: a MP será transformada 
em Projeto de lei de Conversão e o texto aprovado pelo Legislativo será 
encaminhado ao PR para que haja sanção ou veto e segue o trâmite de 
aprovação de lei ordinária. (62, parágrafo 12 da CF) 
 
- Aqui como há necessidade de sanção ou veto do PR o prazo de 60 dias e mais 60 
dias pode ser ultrapassado. 
 
- A MP vale até projeto de lei de conversão ser apreciado. 
 
- O que foi rejeitado será arquivado. 
 
4) MP pendente de apreciação pelo CN pode ser revogada por outra MP. 
- MP fica com eficácia suspensa até a apreciação da nova. (se convertida em lei 
revoga a MP e se não convertida retorna a eficácia da MP anterior até o período 
que lhe resta). 
 
- Efeitos da MP sobre lei pretérita: 
- Com a publicação de determinada MP, a LO com ela incompatível não será 
revogada, mas terá a sua eficácia suspensa até ser apreciada pelo CN: 
a) Se rejeitada a MP: volta a eficácia da lei; 
b) Se aprovada a MP: a nova lei revoga a anterior. 
 
 
- MP e impostos: 
- MP pode instituir ou majorar impostos se produzir efeitos apenas no exercício 
seguinte em que ela for convertida em lei: art. 62, § 2º da CF. 
	 52	
 
 
- Trancamento de pauta: 
- Se a MP não for apreciada em até 45 dias (corridos e improrrogáveis) de sua 
publicação entrará em regime de urgência a casa que estiver em mora ficando 
sobrestadas todas as demais deliberações. 
 
- Não confundir: prazo para apreciação da MP (60 dias prorrogáveis por mais 60 
dias) com prazo de trancamento da pauta do legislativo em que estiver tramitando. 
 
- MP anteriores a EC 32-2001: 
- Artigo 2º da EC 32-2001: As MP editadas antes da publicação da emenda 
continuam em vigor até que MP revogue explicitamente ou haja deliberação 
definitiva do CN ou sejam revogadas por lei ou MP superveniente. 
- Espécies normativas com vigência indeterminada. 
 
- Apreciação judicial dos pressupostos constitucionais: 
- Nem a conversão em lei tem o condão de sanar a irregularidade. 
- A ausência de urgência e relevância podem trazer vício à lei de conversão. 
 
- MP nos Estados: 
- Possível desde que prevista na CE e nos moldes da CF. 
- Também aos Municípios: Lei orgânica. 
 
- Decretos Legislativos e Resoluções: 
- Decreto Legislativo é o instrumento normativo por meio do qual serão 
materializadas as competências exclusivas do Congresso Nacional, previstas no 
art. 49 da CF e também os efeitos decorrentes de MP não convertidas em lei (62§3º 
da CF) 
- Discutido no CN e votado por maioria relativa e promulgado pelo P do SF que 
determinará a sua publicação. 
	 53	
 
- Resolução: Matéria de competência privativa da CD, SF ou em alguns casos do 
CN. Discussão e votação na própria casa por maioria simples e promulgação 
também. 
 
- Leis Delegadas: 
-Elaborada pelo Poder Executivo após solicitação ao CN, delimitando o assunto 
sobre o qual pretende legislar. Se o CN admitir, aprovará por resolução, 
especificando o conteúdo da delegação. (68§ 2º) 
- matérias que não podem