A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
36 pág.
MANUAL DE DIETAS HOSPITALARES DE ROTINA !

Pré-visualização | Página 1 de 5

HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
1 
 
 
 
MANUAL 
DE DIETAS HOSPITALARES 
 
 
TERESINA-PI 
SETEMBRO/2011 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
2 
 
ORIENTADORAS: 
Adriana de Azevedo Paiva 
Nutricionista, Doutora em Saúde Pública, Profa. da Disciplina 
Dietoterapia I da Universidade Federal do Piauí 
Zilda Salomão Budaruiche 
Nutricionista, Especialista em Nutrição Clínica, 
Chefe da Dietoterapia do Hospital Getúrlio Vargas 
ALUNAS: 
Elizabeth Silva Ferreira Alves 1 
Géssica Leal1 
Jôsy Maranhão1 
Nádly Vasconcelos1 
Natália Quaresma Costa1 
1 Graduandas em Nutrição pela UFPI 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
3 
 
 
SUMÁRIO 
 
 
INTRODUÇÃO..................................................................................................................................................................01 
APRESENTAÇÃO............................................................................................................................................................02 
DIETAS DE ROTINAS......................................................................................................................................................03 
DIETA LIVRE OU GERAL ...............................................................................................................................................04 
DIETA BRANDA...............................................................................................................................................................11 
DIETA PASTOSA.............................................................................................................................................................18 
DIETA LÍQUIDA-PASTOSA (PASTOSA LIQUIDIFICADA).............................................................................................25 
DIETA LÍQUIDA COMPLETA...........................................................................................................................................32 
DIETA LÍQUIDA RESTRITA.............................................................................................................................................39 
REFERÊNCIAS.................................................................................................................................................................43 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
4 
 
INTRODUÇÃO 
Segundo Isosaki et al. (2009), as dietas são elaboradas considerando-se o estado nutricional e fisiológico das 
pessoas, e em situações hospitalares, devem estar adequadas ao estado clínico do paciente, além de proporcionar 
melhoria na sua qualidade de vida. Portanto a dieta hospitalar garante o aporte de nutrientes ao paciente internado e 
preservar seu estado nutricional, por ter um papel co-terapêutico em doenças crônicas e agudas (GARCIA, 2006). 
As dietas hospitalares podem ser padronizadas segundo as modificações qualitativas e quantitativas da 
alimentação normal, assim como da consistência, temperatura, volume, valor calórico total, alterações de 
macronutrientes e restrições de nutrientes, com isso podem ser classificadas a partir das suas principais características, 
indicações e alimentos ou preparações que serão servidos (DIAS et al., 2009; ISOSAKI et al., 2009) 
A padronização das dietas tem como objetivo manter um atendimento nutricional seguro, eficiente e de qualidade 
ao paciente, portanto as dietas são classificadas em três grupos, dietas de rotina, modificadas, especiais (ISOSAKI et al., 
2009; WAITZBERG, 2000). A padronização da dieta, ainda, facilita o trabalho na produção e distribuição de refeições, 
permite treinamento de pessoal, devendo ser sempre flexível para permitir adequações as condições e necessidades 
individuais. 
De acordo com Martins et al. (2001), o manual de dietas Hospitalares tem como objetivo principal a padronização 
das refeições servidas no Hospital e informar toda a equipe envolvida com os cuidados dos pacientes sobre a 
nomenclatura, as indicações e as características de cada dieta padronizada, assim como a sua adequação nutricional. 
Assim, este manual das dietas hospitalares foi realizado com objetivo de facilitar o trabalho da equipe da 
dietoterapia e da produção do Hospital Getúlio Vargas, respeitando a disponibilidade, o cardápio da instituição, os 
hábitos ou preferências, a patologia e as necessidades nutricionais, a evolução dos pacientes e a região dos mesmos. 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
5 
 
APRESENTAÇÃO 
 
 COMO PRESCREVER AS DIETAS 
 Ao utilizar este manual para a prescrição da dieta deve-se respeitar a prescrição da dieta de acordo com a 
nomenclatura padronizada. 
 COMO SOLICITAR A AVALIÇÃO DO SERVIÇO DE NUTRIÇÃO 
 O serviço de Nutrição segue a prescrição médica, registrada no prontuário médico do paciente juntamente com 
outros dados que são relevantes para a avaliação nutricional, plano alimentar e orientação do paciente, tais como a 
identificação, o histórico, o diagnóstico provisório ou definitivo, os dados clínicos, antropométricos e laboratoriais. Em 
seguida, as dietas são encaminhadas para a produção, onde serão preparadas. 
 HORÁRIO DE ATENDIMENTO DO SERVIÇO DE NUTRIÇÃO CLÍNICA 
24h 
 HORÁRIO DAS REFEIÇÕES SERVIDAS AOS PACIENTES 
A distribuição inicia nos seguintes horários: 
Desjejum __________________ 6:00h. Lanche ____________________ 9:00h. 
Almoço ___________________ 12:00h. Lanche ____________________ 15:00h. 
Jantar ____________________ 17:00h. Ceia ______________________ 20:00h. 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
6 
 
Dietas de rotinas 
 
DIETAS DE ROTINAS 
 dietas de rotinas são aquelas que não necessitam de restrições ou 
modificações em sua composição. Podem sofrer modificações 
quanto a consistência, possibilitando melhor adaptação em períodos 
de maior dificuldade na aceitação alimentar ou em fases de 
transição relativamente curtas, adaptando a dieta às condições do 
indivíduo, como, por exemplo, nos períodos pós-operatórios (ISOSAKI et al., 2009). 
 
 
As
s 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
7 
 
 DIETA LIVRE OU GERAL 
 
 Alimentos recomendados: Pães, cereais, arroz, massas, leguminosas e seus produtos integrais, pobres em 
gorduras; hortaliças e frutas frescas; leite, iogurte, queijo com pouca gordura e sal; carnes, aves, peixes e ovos 
magros (sem pele e gordura); e gorduras, óleos e açúcares com moderação. 
 Alimentos evitados: Pães, cereais, arroz, massas, leguminosas ricos em gorduras e açúcar; hortaliças e 
frutas, enlatadas com sal e óleo, e conservas com calda de açúcar respectivamente; leite, iogurte, queijo ricos 
em gordura e sal; carnes, aves, peixes e ovos ricos em gordura e sal, como os frios em geral; e gorduras, 
óleos e açúcares em excesso. 
 
 
 
 
 
HOSPITAL GETÚLIO VARGAS 
8 
 
 Características da Dieta Livre de 1800 Kcal 
o Exemplo de cardápio qualitativo: 
Café da manhã 
Leite; Pão com Margarina 
Lanche da manhã 
Suco de Mamão 
Almoço 
Salada crua (Tomate, pepino, alface e azeite de oliva); Bife assado; 
Arroz Simples; Feijão com Batata doce 
Lanche da tarde 
 Suco de melão 
Jantar 
Salada cozida (Batata, beterraba e cenoura); Frango ao molho; Arroz 
Simples 
Ceia 
 Mingau de farinha láctea 
 
o Distribuição dos macronutrientes: 
Carboidratos 60% 1080 Kcal 270 g 
Lipídios 25% 450 Kcal 50 g 
Proteínas 15% 270 Kcal 67,5g 
VCT 100% 1800 Kcal ------- 
 
% Adequação Aceitável (90-110) 
%Adequação do VET: 101% 
%Adequação do Carboidratos: 100%