A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
500 Questões de HISTÓRIA   UNO

Pré-visualização | Página 28 de 50

de navegar fora dos limites do Cabo Bo-
jador.
32. O Oceano Atlântico também foi chamado por muito tempo de Mar Tenebro-
so, pois acreditava-se que nas suas águas ferventes ocultavam-se muitos mis-
térios.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
HISTÓRIA - O descobrimento do Brasil e o período pré-colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
12
27. UFSC
Américo Vespúcio, em Carta enviada de Lisboa a Lorenzo di Pier Francesco de Medici, em se-
tembro de 1502, refere-se aos habitantes da América com os seguintes termos:
“Não têm lei, nem fé nenhuma, e vivem segundo a natureza. Não conhecem a imortalidade da
Alma, não têm entre eles bens próprios, porque tudo é comum; não têm limites de reinos, e de
províncias; não têm rei; não obedecem a ninguém, cada um é senhor de si; nem favor, nem graça
a qual não lhes é necessária, porque não reina entre eles a cobiça; moram em comum em casas
feitas à moda de cabanas muito grandes, e para gente que não têm ferro, nem outro metal
qualquer, se pode dizer as suas cabanas, ou casas maravilhosas, porque eu vi casas que são longas
duzentos e vinte passos, e larguras 30, e habilmente fabricadas, e numa destas casas estavam
quinhentas ou seiscentas almas. (...) As suas comidas, raízes de ervas e frutas muito boas, inúme-
ros peixes, grande abundância de mariscos; e caranguejos, ostras, lagostas, e camarões, e muitas
outras coisas, que produz o mar.”
Com base nos fragmentos mencionados da Carta de Américo Vespúcio, marque a(s)
proposição(ões) correta(s) acerca dos habitantes da América:
01. viviam como os animais, impulsionados pela cobiça e preocupados apenas com a
sobrevivência individual;
02. não possuíam bens materiais, nem conheciam limites territoriais;
04. residiam em choupanas de palha e madeira, nas quais as condições higiênicas eram
precárias;
08. dominavam técnicas de construção que lhes permitia erguer grandes cabanas, sem a
utilização de estruturas de metal;
16. passavam dificuldades econômicas, pois eram precários os recursos alimentares ofe-
recidos pela natureza;
32. dispunham com fartura de vários tipos de alimentos de origem vegetal e animal.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
1
IM
PR
IM
IR
HISTÓRIA - O descobrimento do Brasil e o período pré-colonialVoltar Avançar
O D E SC O B R IM E N T O D O
B R A S IL E O P E R ÍO D O
P R É -C O L O NIA L
1. a
2. c
3. e
4. V – V – V – F – V – F
5. 01 + 02 = 03
6. a) Os caribes, que ocupavam várias ilhas do mar das Antilhas, os astecas e seus aliados,
que viviam no continente (México), e os incas, nos altiplanos andinos (Peru).
b) Os indígenas das Antilhas não possuíam o mesmo tipo de organização social e política
quando comparados aos do continente (astecas e incas). Os primeiros viviam princi-
palmente da caça, pesca e coleta. Os últimos fundaram impérios, organizaram exérci-
tos e tinham um sistema de acumulação de riquezas utilizando formas variadas de
trabalho compulsório e de tributação.
7. a
8. d
9. c
10. a
11. d
12. 02 + 04 = 06
13. e
14. 02 + 04 + 08 + 16 = 30
15. a) Dom Manuel viveu e reinou entre o final do século XV e início do século XVI; seu
reinado se estendeu de 1495 a 1521.
b) Dom Manuel reinou sobre Portugal, as ilhas do Atlântico, várias regiões da costa afri-
cana e na América Portuguesa (Brasil).
16. 04 + 16 = 20
17. a
18. b
19. b
20. 02 + 04 + 16 = 22
21. a
22. d
23. d
24. c
25. b
26. 04 + 32 = 36
27. 02 + 08 + 32 = 42
G
A
B
A
R
IT
O
H IS T Ó R IA
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
1
A PRIMEIRA ETAPA DO
PERÍODO COLONIAL
1. Unifor-CE Observe a char-
ge ao lado.
A charge demonstra que, no
início do século XVI,
a) Portugal, por estar conse-
guindo altos lucros com o
comércio asiático e o con-
seqüente monopólio do
comércio da distribuição
de especiarias, resolveu
iniciar a colonização atra-
vés da implantação do sistema de Capitanias Hereditárias, financiadas pela Coroa.
b) a Coroa portuguesa, através do Foral e da Carta de Doação (sistema jurídico de im-
plantação das Capitanias), destinou grandes investimentos para o processo de coloni-
zação do Brasil.
c) pelo fato da Coroa portuguesa não ter destinado recursos para o processo de implanta-
ção das Capitanias Hereditárias, fez com que tivesse que abrir mão da soberania sobre
as terras brasileiras e entregá-las aos donatários que se tornaram donos da terra.
d) o donatário (sentado) mostra interesse pela Capitania devido aos inúmeros benefícios
oferecidos pela Coroa, bem como ao dinheiro que receberia para iniciar a ocupação de
terra oferecida.
e) a Coroa portuguesa, tinha falta de recursos para financiar a colonização e resolveu
dividir o Brasil em Capitanias Hereditárias e entregá-las à “iniciativa privada”, isto é,
aos donatários que vinham com seus próprios recursos e recebiam o direito de admi-
nistrar a Capitania como província do Estado.
2. F.M. Triângulo Mineiro-MG A produção de açúcar, desenvolvida no Nordeste brasi-
leiro a partir do século XVI,
a) priorizou o uso de mão-de-obra indígena, graças ao domínio da técnica de cultivo;
b) promoveu a organização de uma sociedade aristocrática, patriarcal e escravista;
c) foi financiada por capitais da Coroa e da burguesia lusitana;
d) gerou uma economia monocultora e voltada para o mercado interno;
e) realizou-se em latifúndios, favorecendo o povoamento do sertão.
3. UFMG A respeito da economia e da sociedade no Brasil Colônia, é correto afirmar que:
a) no nordeste, a atividade pecuária ficou vinculada ao engenho, utilizando trabalho es-
cravo negro e pouco contribuindo para a colonização do sertão;
b) na região das Minas, o surgimento de irmandades ou confrarias, que em geral se orga-
nizavam de acordo com linhas raciais definidas, estimulou a arte sacra barroca;
c) com o desenvolvimento da economia açucareira, as relações sociais foram adquirindo
caráter aberto, favorecendo a mobilidade social de mestiços e homens brancos pobres;
d) as missões religiosas formadas pelos jesuítas visavam, através da catequese, preparar os
indígenas para viverem integrados à sociedade dos brancos como mão-de-obra escrava.
A P R IM E IRA E T A PA D O
P E R ÍO D O C O L O N IA L
H IS T Ó R IA
HISTÓRIA - A primeira etapa do período colonial
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
2
4. UFPEL
“(...) Até cerca de 300 anos atrás, a humanidade não usava aditivos doces na sua dieta ordiná-
ria. Os povos antigos (...) não conheciam o famoso aditivo doce. O mel era usado eventualmente,
mais como remédio. Esse processo histórico prova que o açúcar branco é desnecessário como
alimento. Foi só a partir dos dois últimos séculos que o açúcar começou a ser produzido e consu-
mido de forma cada vez mais intensa. Com a sofisticação da técnica, purificou-se mais ainda o
açúcar de cana, retirando-se dele apenas a sacarose branca. Hoje, somos uma civilização consumi-
dora de milhares de toneladas diárias de açúcar.(...)”
BONTEMPO, Márcio. Relat. Orion: denúncia médica sobre os perigos dos alimentos industrializados e agrotóxicos. 3. ed. Porto
Alegre, L&PM, 1985, p. 86.
Conforme os documentos, pode-se afirmar que:
a) o mapa confirma as informações do texto, já que a produção de açúcar no Brasil, com
trezentos anos de tradição, está diretamente relacionada com o clima subtropical do
Nordeste e com o solo de terra roxa daquela região;
b) o mapa confirma as informações do texto, indicando que o Brasil já produzia açúcar
desde o século XVI, pois o clima quente e seco do nordeste e o latossolo daquela
região eram favoráveis ao cultivo da cana;
c) o mapa indica que a produção açucareira ocorria apenas no Nordeste do Brasil, cujo
clima quente e úmido e o solo de massapê eram favoráveis ao cultivo da cana;
d) historicamente