MAGALHAES, C. (Org.). Reflexões sobre a análise crítica do discurso
114 pág.

MAGALHAES, C. (Org.). Reflexões sobre a análise crítica do discurso


Disciplina<strong>teatro</strong>13 materiais48 seguidores
Pré-visualização50 páginas
Estudos Lingüísticos é
uma série que tem por objetivo
divulgar trabalhos de pesquisa
científica na área dos estudos
da linguagem. Editada pelo
Programa de Pós-Graduação
em Estudos Lingüísticos da
Faculdade de Letras da
Universidade Federal de
Minas Gerais, esta série
publica trabalhos sobre a
linguagem humana e suas
inúmeras interfaces, tanto sob
uma perspect iva teó r i ca
quanto aplicada.
3BN 85-87470-22-1 FALE
CÉLIA MAGALHÃES
ORGANIZADORA
REFLEXÕES SOBRE
A ANÁLISE CRÍTICA DO DISCURSO
3
H(/>
U!
m
</>
C
oo
W
r
Z
o
e;
ÀEXTOÇ
CÉLIA M. MAGALHÃES
(Organizadora)
REFLEXÕES SOBRE
A ANÁLISE CRÍTICA
DO DISCURSO
FALE-UFMG
BELO HORIZONTE
2001
Série Estudos Lingüísticos: volume 2
Realização: Programa de Pós-Graduação em Letras: Estudos
Lingüísticos (FALE-UFMG)
Apoio: Departamento de Letras Anglo-Germânicas (FALE-
UFMG)
Ficha Catalográfica elaborada pelas Bibliotecárias da FALE/UFMG
R332 Reflexões sobre a análise crítica do discurso /
Célia Maria Magalhães (org.). -
Belo Horizonte: Faculdade de Letras, UFMG, 2001.
228 p. : il. - (Estudos lingüísticos; 2)
ISBN : 85-87470-22-1
Análise do discurso. LMagalhães, Célia Maria.
n.Série.
CDD : 418
ÍNDICE
Prefácio 5
Agradecimentos 9
Informações sobre os autores H
Capítulo l
A Análise Crítica do Discurso enquanto Teoria e
Método de Estudo
Célia Maria Magalhães 15
Capítulo 2
A Analise Crítica do Discurso e a Mercantilização do
Discurso Público: as Universidades
Norman Fairclough, tradução de Célia M. Magalhães 31
Capítulo 3
Gêneros Híbridos
Adriana Silvina Pagano 83
Capítulo 4
O Gênero Audiência Pública
Maria Carmen Aires Gomes 121
Capítulo 5
A Hibridização e a Constituição do Discurso Evangélico
na Mídia Televisiva
Cláudio Márcio do Carmo 143
Capítulo 6
Informação Científica e Sobrevivência Discursiva:
Aspectos da Produção, Socialização e Consumo
do Jornal Televisivo Brasileiro
Janaína Minelli de Oliveira 163
Capítulo 7
A Semiótica Social e a Semiótica do Discurso de Kress
Sônia Maria de Oliveira Pimenta 185
Capítulo 8
Análise do Discurso: em Busca das (In)Congruências entre
a Vertente Francesa e a Anglo-saxã
Angélica Alves Ruchkys e
Maria Aparecida de Oliveira Martins de Araújo 207
PREFACIO
Este livro tem por objetivo divulgar, entre os pesquisa-
dores brasileiros, uma das teorias da área de estudos em Análise
do Discurso (AD), bem como resultados parciais ou finais de tra-
balhos realizados por pesquisadores vinculados ao programa de
pós-graduação em estudos lingüísticos da FALE/UFMG a partir
daquele referencial teórico/metodológico. A idéia é promover o
diálogo sobre a Análise Crítica do Discurso (ACD), ou teoria
social do discurso, em âmbito local e nacional, com pesquisado-
res que já desenvolvam estudos críticos da linguagem na FALE
e em outras instituições. Além disso, visa-se ampliar o universo
da pesquisa acadêmica na área na FALE, atraindo o interesse de
futuros pesquisadores para o programa de pós-graduação da ins-
tituição e contribuindo para a consolidação da vertente de estu-
dos anglo-americana de AD deste programa.
Tal idéia nasceu a partir de discussões teóricas e práticas
com a colega Adriana Pagano, cujo incentivo e estímulo ao de-
bate e produção acadêmica há longo tempo têm feito parte da
minha carreira de pesquisadora. O resultado dessas discussões foi
a organização da disciplina &quot;Análise Crítica do Discurso&quot;, junto
ao programa de pós-graduação em estudos lingüísticos da FALE,
no segundo semestre de 2000, em seminários, dos quais partici-
param colegas do departamento e os próprios alunos da discipli-
na. A etapa seguinte foi a idealização do presente volume, que
se pretende como canal de interlocuções com os pares, além de
orientação para futuros interessados no engajamento com a faceta
discursiva da mudança social contemporânea.
Integram o presente volume oito capítulos. O primeiro
capítulo, de minha autoria, visa ao detalhamento da teoria social
do discurso, apresentando seus conceitos chaves, além de um
percurso do pensamento teórico da ACD, de acordo com as pu-
blicações que marcam o território da disciplina emergente. O
segundo capítulo é uma tradução, também de minha autoria, de
&quot;Criticai discourse analysis and the marketization of public
discourse: the universities&quot; (FAIRCLOUGH, 1993), a convite do
próprio autor, uma vez que este apresenta a teoria, de forma sin-
tética, além de proceder a uma aplicação da mesma em analise
de textos acadêmicos, evidenciando o fenômeno da comodifica-
ção, ou mercantilização do discurso das universidades públicas
inglesas contemporâneas. A tradução, de caráter inédito, consti-
tui um esforço adicional ao objetivo de lançar as bases para o
diálogo proposto.
Os capítulos 3, 4, 5 e 6 são estudos de casos, análises
descritivas de diferentes gêneros textuais, que confirmam o status
de teoria e método da ACD. No capítulo 3, Adriana Pagano fo-
caliza aspectos da mudança discursiva em textos de propagandas,
representados através do hibridismo nesse gênero, confirmando
em textos de publicidade brasileiros e argentinos algumas das
tendências apontadas por Fairclough nos textos ingleses; nos ca-
pítulos 4 e 5, Maria Carmem Aires Gomes e Cláudio Márcio do
Carmo, respectivamente, acoplando o conceito de gêneros híbri-
dos de FAIRCLOUGH (1992) ao de comunidade discursiva, da
teoria de gêneros de SWALES (1990), apresentam resultados
parciais de sua pesquisa, procedendo a uma descrição dos gêne-
ros objeto de seu estudo: audiência pública (cap. 4) e programa
evangélico de TV (cap. 5). No capítulo 6, Janaína Minelli apre-
senta os resultados de uma investigação do gênero notícia cien-
tífica divulgada por jornal televisivo, em que evidencia o fenô-
meno do diálogo entre os discursos científico, publicitário e de
entretenimento através da introdução de certas convenções retó-
ricas no gênero.
Embora, na introdução, tenhamos nos concentrado na ver-
tente teórica da ACD idealizada por Fairclough, no capítulo 7,
Sônia Maria Oliveira Pimenta, baseia-se na vertente da ACD pro-
posta por Kress. Embora Pimenta focalize o diferencial dessa te-
oria em sua análise, isto é, a primazia dada ao elemento semiótico
em articulação com a pratica social, ela também usa conceitos
comuns às duas vertentes enquanto propostas de estudo crítico
da linguagem, com tradição de análise baseada na Lingüística
Sistêmica Funcional.
Finalmente, visando um mapeamento de pontos de articu-
lação, bem como de pontos de tensão, entre a teoria da ACD e teo-
rias da vertente francesa da AD, Angélica Alves Ruchkys e Ma-
ria Aparecida Araújo, comparam e confrontam, no capítulo 8, os
pensamentos teóricos de Fairclough, Pêcheaux e Charaudeau,
fechando o círculo de reflexão teórica iniciado na introdução deste
volume.
AGRADECIMENTOS
A organizadora gostaria de agradecer a todos que colabo-
raram para a realização deste projeto, participando dos seminári-
os da disciplina e, mais tarde, produzindo os textos que compõem
o presente volume. Em especial, gostaria de agradecer a generosi-
dade acadêmica da colega Adriana Pagano, pela leitura atenta do
texto da introdução e pelas sugestões e críticas. Agradeço tam-
bém à Denise Gontijo, Nádia Biavati e Marilene Cortez, que tam-
bém apresentaram seminários além de participar dos incansáveis
debates sobre a teoria.
Agradeço ao Prof. Dr. Norman Fairclough o gentil convi-
te para tradução e posterior permissão para publicação do artigo:
\u2022 &quot;Criticai discourse analysis and the marketization of
public discourse: the universities&quot;. Discourse & Society,
Vol. 4(2), 1993, p. 133-168.
Agradeço, também, aos editores da Área, da Royal
Geographical Society, a permissão para reprodução do artigo
&quot;Agentsof Ice&quot;.
Finalmente, agradeço ao Departamento de Letras Anglo-
Germânicas da FALE/UFMG, pelos recursos financeiros, e ao
Programa de