A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
1 pág.
DIREITO PROCESSUAL CIVIL III   semana 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

DIREITO PROCESSUAL CIVIL III - CCJ0037
Processo nos Tribunais. Disposições gerais. Ordem dos processos nos Tribunais. (art. 929 e seguintes).
Questão discursiva:
1) A data da sessão de julgamento da apelação interposta por Manoel Carlos foi devidamente publicada no Diário Oficial. Diante do alto número de recursos pautados para serem julgados, o julgamento da apelação de Manoel foi transferida para sessão do dia seguinte. Após o julgamento desfavorável do respectivo recurso, o advogado de Manoel requereu a nulidade do julgamento vez que não foi intimado e que o recurso não poderia ter sido julgado no dia posterior à data previamente designada. Assiste razão ao patrono de Manoel?
R: Não assiste razão o patrono de Manoel uma vez que por força do art. 935 do CPC, o julgamento do processo poderá ser adiado para uma próxima sessão os processos que não forem julgados na sessão de julgamento previamente estabelecida. 
Questões objetivas:
2) Incumbe ao relator, exceto:
a) negar provimento a recurso que for contrário a súmula do Supremo Tribunal Federal, do Superior Tribunal de Justiça ou do próprio tribunal.
b) não conhecer de recurso inadmissível, prejudicado ou que não tenha impugnado especificamente os fundamentos da decisão recorrida.
c) dirigir e ordenar o processo no tribunal, inclusive em relação à produção de prova, bem como, quando for o caso, homologar autocomposição das partes.
X d) decidir o incidente de desconsideração da personalidade jurídica, quando este for instaurado em sede de primeiro grau de jurisdição. (art. 932, VI, CPC)
3) Quando o resultado do julgamento do recurso de apelação não for unânime deverá o Presidente do respectivo órgão fracionário do respectivo Tribunal:
a) dar prosseguimento ao julgamento considerando a extinção do recurso de embargos de infringentes;
b) deverá sobrestar o julgamento do recurso até a resolução da divergência pelos
Supremo Tribunal Federal;
Xc) deverá instaurar incidente para resolução da divergência instaurada no julgamento do recurso;
d) inadmitir o recurso de apelação que originou a divergência.