20 pág.

Apego ao lugar, apropriação e percepção ambiental (1).pptx

Disciplina:Psicologia Ambiental63 materiais404 seguidores
Pré-visualização1 página
Apego ao lugar, apropriação e percepção ambiental
Apego ao lugar
É um conceito complexo e multifacetado, cujo estudo exige atenção para as características físico espaciais do local e os significados simbólicos/afetivos a ele associados pelos indivíduos e/ou grupos. Dessa maneira, ele desenvolve gradualmente e exige algum tempo para consolidar-se.

Place attachement
É um sentido dinâmico e complexo, que acontece quando uma interação particular é acompanhado de uma forte significado e para entender exige que sejam consideradas dois componentes: o “passado interacional (vivencias/memórias relacionadas ao ambiente em questão) e o “potencial interacional” (experiências futuras imaginarias ou antecipadas).

Apego ao lugar = Place attachement

O apego ao lugar, ou Place attachment, combina as palavras attachment, ou “vinculo”, “ligação”, uma referência direta à relação afetiva, e “place”, ou “lugar” designando o ambiente com o qual as pessoas são e/ou estão ligadas quer emocionalmente ou culturalmente.

Dimensões
Dimensão funcional: diz respeito ao papel do espaço físico como elemento que atrai, encoraja ou inibe movimentos, interferindo nos comportamentos ocorridos ali.
Dimensão simbólica: refere-se ao conteúdo simbólico de origem sociocultural e individual que atua como intermediário no relacionamento pessoa-ambiente, influenciando o modo como cada indivíduo e/ou grupo compreende e age frente às diferentes situações em que se encontra.
 Dimensão racional: corresponde à dinâmica entre o envolvimento social cotidiano (sobretudo no tocante a amigos e familiares) e as características do ambiente onde o mesmo acontece, relação que, ao conectar cognitiva e afetivamente pessoas e ambientes, auxilia na definição da identidade pessoal e comunitária. O sentimento de comunidade surge no indivíduo quando ele se sente parte do grupo.

Apropriação
É a interação do individuo com o seu entorno onde ele se projeta no espaço e o transforma em um prolongamento de sua pessoa, criando um lugar seu. Quando moldados e adaptados às necessidades de seus habitantes, uma casa, um quarto ou um escritório são considerados exemplos típicos de apropriação.
Apropriar-se significa também exercer domínio sobre um objeto e espaço, embora não seja necessário ter posse legal. Onde essa apropriação varia de intensidade, o olhar sendo o menor grau
Histórico
A noção sociológica de apropriação se origina das observações empíricas das interações do homem com o ambiente e se delineia em contraponto à noção de alienação.
No processo de apropriação se tem um reconhecimento do sujeito no lugar e nos objetos que escolho ou cria.

Manifestações de apropriação
Apropriação por ação/transformação: é a demarcação de um espaço ate uma ocupação territorial mais elaborada e complexa.
Apropriação por identificação simbólica: compreende processos simbólicos, cognitivos, afetivos e interativos que transformam o espaço em lugar reconhecível e peno de significado para o sujeito ou grupo social.

Segundo Vilela Petit (1976), o individuo se apropria do espaço e o espaço se apropria do individuo. É o que ele chama de espaço apropriante.

Percepção ambiental
A percepção ambiental está relacionada em como as pessoas se relacionam com os aspectos ambientais físicos, psicossociais (cognição, afeto, preferências etc.), socioculturais (significados, valores, estética) e históricos (contextos políticos, econômia etc.) e tem papel fundamental nos processos de apropriação e identificação dos espaços e ambientes.

Os estudos da percepção
Segundo Hochberg (1973) para estudar a percepção é necessário entender os fenômenos físicos e biológicos para explicar o mundo.
Para Piaget (1978) a percepção é essencial para o processo cognitivo, por nos permitir tomar consciência do mundo principalmente pela visão.
Vygotsky (1998) descobre que as crianças percebem o mundo através da visão e da fala.
O filósofo Merleau-Ponty (1999) afirma que o homem está no mundo, e é neste ambiente que ele se conhece.

Percepção ambiental
A percepção ambiental passa a ser objeto de estudo da Psicologia ambiental.
Garcia Mira (1997) diz que o estudo do ambiente deve envolver não somente aspectos isolados de um lugar, mas todos os elementos perceptivos envolvidos no ambiente envolto das pessoas.

No Brasil, Del Rio e Oliveira trazem uma definição ampla de percepção ambiental, como um “processo mental que a depender do interesse e da necessidade, estruturamos e organizamos nossa interface com a realidade e o mundo, selecionando as informações percebidas, armazenando e lhes dando um significado”
Dentre as dimensões psicossociais presentes na percepção ambiental podem ser citados: a cognição é o processo em que as pessoas criam imagens mentais, o afeto em relação ao ambiente que leva ao apego, imprimindo ao lugar algo da própria identidade do indivíduo e as preferências relacionadas ao ambiente determina o grau de atratividade de seus elementos para as pessoas.

Processo de construção da percepção ambiental

O contato com o ambiente físico envolve um processo complexo e dinâmico, internalizamos determinadas imagens que fazemos desse espaço exterior a partir das nossas experiências cotidianas.
As imagens são constituídas a partir das sensações imediatas e lembranças das experiências vividas.
Referência
ELALI, Gleice; MEDEIROS, Samia. Apego ao lugar (Vinculo com o lugar – Place attachment). In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice (Orgs.). Temas básicos em psicologia ambiental. 1. ed. Rio de Janeiro: VOZES, 2017. Cap. 4
CAVALCANTE, Sylvia; ELIAS, Terezinha. Apropriação. In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice (Orgs.). Temas básicos em psicologia ambiental. 1. ed. Rio de Janeiro: VOZES, 2017. Cap. 5
 KUHNEN, Ariane. Percepção Ambiental. In: CAVALCANTE, Sylvia; ELALI, Gleice (Orgs.). Temas básicos em psicologia ambiental. 1. ed. Rio de Janeiro: VOZES, 2017. Cap. 21