Estrutura das Demonstrações  RESUMO AULA 1 A 10
80 pág.

Estrutura das Demonstrações RESUMO AULA 1 A 10

Pré-visualização20 páginas
Estrutura das Demonstrações Contábeis
Aula 1: Estrutura conceitual da contabilidade e apresentação das demonstrações contábeis gerais e PME
Introdução
Nesta aula, abordaremos os requisitos gerais para a apresentação das demonstrações contábeis, as diretrizes para a sua estrutura, bem como os requisitos mínimos para seu conteúdo, no intuito de assegurar a comparabilidade tanto com as demonstrações contábeis de períodos anteriores da mesma empresa quanto com as demonstrações contábeis de outras instituições.
Estudaremos ainda as especificações e particularidades para as empresas de forma geral, bem como as especificações para as micro e pequenas empresas.
O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), trata da Estrutura Conceitual e da apresentação das Demonstrações Contábeis nos Pronunciamentos:
\u2022 CPC 00 (R1) \u2014 Estrutura Conceitual para Elaboração e Divulgação de Relatório Contábil-Financeiro;
\u2022 CPC 26 (R1) \u2014 Apresentação das Demonstrações Contábeis;
\u2022 CPC PME \u2014 Contabilidade para Pequenas e Médias Empresas com Glossário de Termos.
Objetivos
Compreender os conceitos básicos e fundamentais a serem utilizados na elaboração das Demonstrações Contábeis e na Interpretação dos Pronunciamentos Técnicos do CPC.
Reconhecer o conjunto completo das Demonstrações contábeis.
Identificar as especificações acerca das Demonstrações Contábeis para as micro e pequenas empresas.
Estrutura Conceitual da Contabilidade
Os objetivos desta Estrutura Conceitual do CPC são:
Características Qualitativas das Informações Contábeis
Para a Contabilidade atingir seu objetivo de fornecer informações para tomada de decisão, as informações reportadas pela Contabilidade devem possuir as seguintes características qualitativas como requisitos mínimos:
RELEVÂNCIA
Aquela capaz de fazer diferença nas decisões que possam ser tomadas pelos usuários (se tiver valor preditivo, valor confirmatório ou ambos).
MATERIALIDADE
Aspecto de relevância específico da entidade baseado na natureza ou na magnitude, ou em ambos, dos itens para os quais a informação está relacionada no contexto do relatório contábil-financeiro de uma entidade em particular.
REPRESENTAÇÃO FIDEDIGNA
Para ser útil, a informação contábil-financeira não tem só que representar um fenômeno relevante, mas também representar com fidedignidade o fenômeno a que se propõe. Para isto, a realidade retratada precisa ter três atributos: ser completa, neutra e livre de erro.
As características qualitativas de melhoria da informação contábil são:
COMPARABILIDADE
As decisões de usuários implicam escolhas entre alternativas, como, por exemplo, vender ou manter um investimento, ou investir em uma entidade ou em outra. Consequentemente, a informação acerca da entidade que reporta informação será mais útil caso possa ser comparada com informação similar sobre outras entidades e com informação similar sobre a mesma entidade para outro período ou para outra data. Comparabilidade é a característica qualitativa que permite que os usuários identifiquem e compreendam similaridades dos itens e diferenças entre eles.
VERIFICABILIDADE
Significa que diferentes observadores, cônscios e independentes, podem chegar a um consenso, embora não cheguem necessariamente a um completo acordo, quanto ao retrato de uma realidade econômica em particular ser uma representação fidedigna. Informação quantificável não necessita ser um único ponto estimado para ser verificável. Uma faixa de possíveis montantes com suas probabilidades respectivas pode também ser verificável.
TEMPESTIVIDADE
Ter informação disponível para tomadores de decisão a tempo de poder influenciá-los em suas decisões.
COMPREENSIBILIDADE
Classificar, caracterizar e apresentar a informação com clareza e concisão torna-a compreensível.
Estrutura Conceitual das Demonstrações Contábeis
Os elementos diretamente relacionados com a mensuração da posição patrimonial e financeira são definidos como segue:
O resultado é frequentemente utilizado como medida de desempenho ou como base para outras medidas, tais como o retorno do investimento ou o resultado por ação. Os elementos diretamente relacionados com a mensuração do resultado são as receitas e as despesas, conforme segue:
RECEITAS
São aumentos nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de entrada ou aumento de ativos ou diminuição de passivos, que resultam em aumentos do patrimônio líquido e que não sejam provenientes de aporte dos proprietários da entidade.
DESPESAS
São decréscimos nos benefícios econômicos durante o período contábil sob a forma de saída ou redução de ativos ou incrementos em passivos, que resultam em decréscimo do patrimônio líquido e que não sejam provenientes de distribuição de resultado ou de capital aos proprietários da entidade.
AJUSTES PARA MANUTENÇÃO DE CAPITAL
A reavaliação ou a atualização de ativos e passivos dão margem a aumentos ou a diminuições do patrimônio líquido. Embora tais aumentos ou diminuições se enquadrem na definição de receitas e de despesas, sob certos conceitos de manutenção de capital eles não são incluídos na demonstração do resultado.
MANUTENÇÃO DO CAPITAL FINANCEIRO
De acordo com esse conceito, o lucro é considerado auferido somente se o montante financeiro (ou dinheiro) dos ativos líquidos, no fim do período, exceder o seu montante financeiro (ou dinheiro) no começo do período, depois de excluídas quaisquer distribuições aos proprietários e seus aportes de capital durante o período. A manutenção do capital financeiro pode ser medida em qualquer unidade monetária nominal ou em unidades de poder aquisitivo constante.
MANUTENÇÃO DO CAPITAL FÍSICO
De acordo com esse conceito, o lucro é considerado auferido somente se a capacidade física produtiva (ou capacidade operacional) da entidade (ou os recursos ou fundos necessários para atingir essa capacidade), no fim do período, exceder a capacidade física produtiva, no início do período, depois de excluídas quaisquer distribuições aos proprietários e seus aportes de capital durante o período. O conceito de manutenção de capital está relacionado com a forma pela qual a entidade define o capital que ela procura manter.
Conjunto completo de demonstrações contábeis
As demonstrações contábeis são preparadas e apresentadas para usuários externos. As exigências para atender a fins específicos não devem afetar as demonstrações contábeis preparadas segundo esta Estrutura Conceitual.
O objetivo das demonstrações contábeis preparadas, segundo esta Estrutura Conceitual, é fornecer informações à tomada de decisão e avaliações por parte dos usuários em geral.
O conjunto completo das Demonstrações Contábeis inclui:
BALANÇO PATRIMONIAL
Demonstração que apresenta a relação de ativos, passivos e patrimônio líquido de uma entidade em data específica.
DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO
Apresenta lucro ou prejuízo do período, itens de receita e despesa reconhecidos diretamente no patrimônio líquido do período, os efeitos das alterações na política contábil e correção de erros reconhecidos no período, e as quantias das transações com sócios, em sua condição de sócios, durante o período.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO
Apresenta todos os itens de receita e despesa reconhecidos no período, excluindo os itens de outros resultados abrangentes.
DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ABRANGENTE
Começa com lucro ou prejuízo do período e a seguir mostra os itens de outros resultados abrangentes do período.
DEMONSTRAÇÃO DOS FLUXOS DE CAIXA
Oferece informações sobre as alterações em caixa e equivalentes de caixa da entidade por um período, mostrando alterações separadamente durante o período em atividades operacionais, de investimento e de financiamento.
DEMONSTRAÇÃO DE LUCROS OU PREJUÍZOS ACUMULADOS
Apresenta as alterações em lucros ou prejuízos acumulados para um período.
DEMONSTRAÇÃO DO VALOR ADICIONADO (DVA)
Representa um dos elementos componentes do Balanço Social e tem por finalidade evidenciar a riqueza criada pela entidade e sua