A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
48 pág.
POP material diatico UFSJ

Pré-visualização | Página 3 de 9

de 5 a 7,5 cm. 
 
Retirada 
1. Proteger o peito do paciente com forro. 
2. Irrigar a sonda com ar, colocar clamp para evitar aspiração de líquido 
durante a retirada. 
3. Removê-la de modo suave, porém rápido. 
4. Cobrir e descartar a sonda, caso o paciente não vá reutiliza-la. 
 
Cuidados especiais 
� Irrigar a sonda a cada 4 horas, com até 20 a 30 ml de água morna. 
� Oferecer higiene nasal diária. 
 
Registro de Enfermagem 
1. Registrar data, hora e tamanho, local de inserção, área de colocação e 
confirmação da colocação adequada. 
2. Anotar o nome da pessoa que realizou o procedimento. 
 
SNE ou sonda para alimentação 
� Pacientes com exigências nutricionais altas. 
� Realizado pelo enfermeiro. 
� Indicações: paciente não tolerante a alimentação gástrica, risco de 
aspiração. 
� Contra- indicações: ausência de sons intestinais ou obstrução intestinal. 
13 
 
� Diferenças com as sondas gástricas: feitas de silicone, borracha ou 
poliuretano, diâmetro menos e maior flexibilidade para evitar o 
desconforto ao deglutir. 
 
 
SONDAGEM NASOGÁSTRICA 
 
Normalmente inserida para descomprimir o estômago, sendo capaz de prevenir 
vômito após cirurgia maior. Deve ficar instalada por 48 a 72 horas, até que 
retorne o peristaltismo. Também pode ser indicada para investigação e 
tratamento de sangramento GI superior, coleta de conteúdo gástrico para 
análise, administração de medicamentos e nutrientes. 
 
Material 
• sonda (12,14,16 ou 18 para adulto). 
• toalha ou forro para cama. 
• lenços de papel. 
• cuba rim. 
• lanterna. 
• esparadrapo. 
• micropore. 
• luvas. 
• xylocaína gel. 
• abaixador de língua. 
• seringa de 20 ml. 
• estetoscópio. 
 
Procedimento 
1. Preparar equipamento, examinar sonda, verificar defeitos, irrigar com 
água para desobstrução. 
2. Manter a privacidade, lavar as mãos, calçar as luvas. 
3. Confirmar a identidade do paciente. 
14 
 
4. Explicar o procedimento, mostrar a sonda, informá-lo que poderá ter 
vontade de vomitar e que deglutir facilitará o avanço da sonda. 
5. Ajudar o paciente a ficar na posição semi Fowler alta. 
6. Colocar uma toalha ou forro no peito do paciente. 
7. Pedir para o paciente soprar o nariz a fim de desobstruir. 
8. Pedir para ele segurar a cuba rim e os lenços. 
9. Para medir, segurar a extremidade distal da sonda da ponta do nariz até 
o lobo da orelha, até o apêndice xifóide, marcar com esparadrapo, caso 
a pessoa seja alta pode ser necessário o acréscimo de alguns 
centímetros. 
10. Usar uma lanterna para examinar as narinas, verificar obstruções, 
desvio de septo, etc. Escolher a narina com melhor fluxo de ar. 
11. Lubrificar as extremidades da sonda com xylocaína. 
12. Segurara a sonda com a extremidade apontada para baixo e na direção 
do ouvido mais próximo, empurrando-a lentamente. 
13. Quando a sonda chegar à nasofaringe, orientar o paciente a abaixar o 
queixo até o peito para fechar a traquéia. 
14. Pedir para o paciente engolir. 
15. Usar abaixador de língua e lanterna para examinar a boca e garganta e 
verificar se a sonda não está enrolada. 
16. Aspirar conteúdo gástrico para confirmar a colocação da sonda ou 
radiografia. 
17. Firmar a SNG no nariz com micropore. 
 
Retirada 
1. Proteger o peito do paciente com forro. 
2. Irrigar a sonda com ar, colocar clamp, para evitar aspiração de líquido 
durante a retirada. 
3. Removê-la de modo suave, porém rápido. 
4. Cobrir e descartar a sonda. 
 
Registro de Enfermagem 
15 
 
Registrar data, hora e tamanho, local de inserção, área de colocação e 
confirmação da colocação adequada. Anotar o nome da pessoa que fez o 
procedimento. 
 
LAVAGEM GÁSTRICA 
 
Indicações: após envenenamento, dose excessiva de medicamentos, 
reflexo de vômito inadequado, esvaziamento do estômago para endoscopia, 
sangramento gástrico ou esofágico. A lavagem gástrica irriga o estômago, 
removendo as substâncias ingeridas. Deve ocorrer em até 60 minutos a 
partir da ingestão. Contra indicada: após ingestão de substância corrosiva 
(petróleo, amônia, alcalinos ou ácidos minerais), pois a sonda pode perfurar 
o esôfago. 
 
Material 
• dois recipientes graduados para drenagem. 
• sonda de borracha com lúmen grande, conector Y, clamp. 
• 2 a 3 litros de solução salina 0,9%. 
• sonda gástrica 36 a 40. 
• xylocaína gel. 
• estetoscópio. 
• esparadrapo. 
• seringa 20 ml. 
• luvas. 
• protetor para rosto. 
• forro protetor de roupa de cama. 
• aspirador para sucção. 
• recipiente para amostras com identificador. 
• formulário de solicitação ao laboratório. 
 
Procedimento 
1. Explicar o procedimento ao paciente, oferecer privacidade e lavar as mãos. 
2. Colocar luvas e protetor para o rosto. 
16 
 
3.Cobrir com toalha ou protetor para roupa de cama o peito do paciente. 
4.Inserir a sonda de lavagem via nasal ou oral e empurrar de forma lenta e 
delicada. Verificar a colocação da sonda, injetando 10 a 20 ml de ar dentro 
dela, usando seringa com bulbo e em seguida, ausculta o abdome do paciente 
com estetoscópio. 
5. Uma vez que o paciente poderá vomitar quando a sonda de lavagem chegar 
à faringe posterior durante a inserção, estar preparado para aspiração de via 
aérea, imediatamente, com dispositivo de aspiração. 
6. Após a sonda de lavagem passar pela faringe posterior, ajudar o paciente a 
ficar na posição de Trendelenburg e virá-lo para o lado esquerdo. 
7. Firmar a sonda com esparadrapo e conecta-la ao equipo com a solução de 
lavagem. 
8. Verificar colocação. 
9. Possibilitar que os conteúdos gástricos do estômago sejam esvaziados no 
recipiente de drenagem antes de instilar qualquer irrigante. 
10. Iniciar a lavagem gástrica, instilando cerca de 200 a 300 ml de líquido para 
adulto. Deve ser usada água ou solução salina 0,9%, de preferência, aquecida 
a 20,0°C para evitar risco de hipotermia. 
11. Abrir o equipo da solução de lavagem. 
12. Repetir o ciclo de entrada e saída de fluxo até o líquido que retorna parecer 
transparente. 
13. Avaliar sinais vitais, o débito urinário e o nível de consciência do paciente a 
cada 15 minutos. 
14. Quanto prescrito, retirar a sonda de lavagem. 
 
CURATIVO DE FERIDA CRÔNICA 
Material 
• pacote de curativo simples (pinças anatômica, Kelly, dente de rato) 
• pacote de gaze estéril (quantidade conforme extensão da lesão) 
• atadura de crepom 
• fita adesiva hipo-alergênica 
• solução salina aquecida (37oC) 
• agulha 40 x 12 
17 
 
• coberturas prescritas 
• bandeja 
• impermeável 
• saco plástico 
• bacia ou cuba rim (para escoar a solução salina, analisar a necessidade 
conforme localização e dimensão da ferida) 
• máscara 
• óculos 
• luvas de procedimento (no mínimo 2 pares) 
 
Procedimento 
1. Lavar as mãos e reunir o material. 
2. Fixar saco plástico em local apropriado. 
3. Explicar o procedimento ao paciente. 
4. Posicionar o paciente de maneira confortável. 
5. Proteger a roupa de cama com impermeável ou forro sob o local do 
curativo. 
6. Verificar a necessidade do uso da bacia e cuba rim para limpeza da 
ferida. 
7. Expor a área. 
8. Abrir o material. 
9. Furar o frasco de solução salina com a agulha 40 x 12. 
10. Abrir pacote de curativo simples e colocar as pinças com os cabos 
voltados para a borda do campo. 
11. Abrir pacote de gaze estéril e colocar sobre o campo. 
12. Colocar máscara, óculos e luvas de procedimento. 
13. Remover fita adesiva e o curativo sujo com a pinça dente de rato. 
14. Desprezar o curativo no saco plástico. 
15. Depositar a pinça dente de rato na borda mais distante do campo. 
16. Caso haja contato da luva utilizada na remoção do curativo anterior, 
desprezá-la e colocar outro par de luvas para prosseguir o 
procedimento. 
18 
 
17. Lavar o leito da ferida com solução salina, através de jatos de pressão, 
que serão suficientes