Resumo - ITU, DIP, Aneurisma e Dissecção de Aorta e Trombose Venosa Mesentérica
12 pág.

Resumo - ITU, DIP, Aneurisma e Dissecção de Aorta e Trombose Venosa Mesentérica


DisciplinaImaginologia493 materiais1.789 seguidores
Pré-visualização2 páginas
hipossinal ou 
sinal intermédio em T2; 
Conteúdo do abcesso tubo-ovárico com intensidade 
variável em T1 e T2, podendo verificar-se um halo 
hiperintenso em T1 na parede interna do abcesso; 
Após administração de contraste paramagnético, a 
parede espessada do abcesso tubo-ovárico demonstra 
intenso realce, também verificado na gordura pélvica e 
órgãos adjacentes. 
 
 
Mulher com abcesso tubo-ovárico bilateral. As imagens de RM na 
ponderação T1 com saturação de gordura após administração 
endovenosa de contraste paramagnético no plano axial (a, b), 
demonstram lesão anexial complexa, de parede espessada e com 
septos com intenso realce, também observado na gordura pélvica 
adjacente. 
 
PROCESSOS VASCULARES 
 
1. Aneurisma de Aorta 
O aneurisma da aorta é uma dilatação irreversível que 
excede seu diâmetro normal para idade e peso. 
Diâmetro transversal da aorta exceder em uma vez e 
meia o diâmetro normal. 
A formação dos aneurismas é decorrente da 
degeneração das lamelas elásticas da adventícia. 
 
Alta mortalidade para os casos não tratados 
cirurgicamente; o aumento gradual de seu tamanho 
leva a rotura \u2013 risco elevado para os maiores que 6cm. 
 
 
 
 
 
 
 
Renata Valadão Bittar \u2013 Medicina Unit / P5 
 
9 
 
US ADBOMINAL COM DOPPLER 
Podemos evidenciar: 
\uf0a7 Dilatação da aorta (aneurisma); 
\uf0a7 Fluido peri-aórtico; 
\uf0a7 Fluido na cavidade peritoneal; 
\uf0a7 Focos hemorrágicos devida rotura. 
 
 
 
A TC COM CONTRASTE É UM MÉTODO NÃO 
INVASIVO PADRÃO-OURO 
Observa-se: 
\uf0a7 Dilatação aneurismática da aorta; 
\uf0a7 Parede espessa da aorta; 
\uf0a7 Tecido perianeurismático e alterações 
inflamatórias, poupando a parede posterior, o 
que melhora com o contraste; 
\uf0a7 Bom em detectar o aprisionamento de 
estruturas retroperitoneais. 
 
 
 
A. TC com contraste Seta vermelha: Aneurisma abdominal de aorta. 
B. Seta: Rotura de um aneurisma abdominal de aorta 
 
 
 
 
 
 
 
 
Áreas de 
erosão/Irregularidade 
da parede: favorece a 
ruptura 
Aneurisma 
Contraste 
Renata Valadão Bittar \u2013 Medicina Unit / P5 
 
10 
 
2. Dissecção de Aorta 
A dissecção da aorta é caracterizada pela delaminação 
da camada média, a partir de uma ruptura da íntima 
com a criação de uma falsa luz variável. 
 
 
 
TOMOGRAFIA COMPUTADORIZADA 
\uf0a7 Padrão Ouro; 
\uf0a7 Utilizado para diagnóstico e classificar a 
dissecação; 
\uf0a7 Observar a presença de falsa luz 
\uf0a7 DUPLA LUZ: a maior é a falsa (descolamento 
da camada íntima) 
 
 
 
 
 
Luz verdadeira 
Luz falsa 
Renata Valadão Bittar \u2013 Medicina Unit / P5 
 
11 
 
3. Trombose Venosa Mesentérica 
Causa mais rara de isquemia mesentérica, 
potencialmente letal; 
10 a 15% das isquemias mesentéricas; 
 95% dos casos afeta a veia mesentérica superior; 
Apresentação é sútil e insidiosa, o que dificulta o seu 
diagnóstico numa fase inicial. 
QUADRO CLÍNICO 
A TVM apresenta-se clinicamente sob uma de três 
formas distintas: aguda, subaguda ou crônica. 
A oclusão intestinal é uma forma rara de 
manifestação de TVM que resulta do aparecimento de 
uma estenose isquêmica \u2013 ocorre geralmente ao nível 
do intestino delgado. 
 
TC DO ABDOME 
Com contraste 
- Permite estabelecer o diagnóstico em 90% dos casos; 
- Estenose jejunal associado a espessamento de alças 
de jejuno; 
- Dilatação da veia mesentérica, com defeito de 
preenchimento que representa o trombo e parede 
venosa bem delineada; 
- Em alguns casos é ainda evidente o ingurgitamento 
dos vasos mesentéricos e edema do mesentério. 
OBS: Quando a trombose se restringe aos ramos mais 
periféricos esse diagnóstico pode ser dificultado. 
 
Vários defeitos de enchimento menores (setas) numa veia esplênica 
aumentada 
 
 
Grande defeito de enchimento na veia mesentérica superior (SMV) 
(seta). O defeito de enchimento contém um foco central de 
calcificação, o que é indicativo de cronicidade. 
 
 
Trombo (seta branca) 
RESSONÂNCIA MAGNÉTICA 
 
 
Renata Valadão Bittar \u2013 Medicina Unit / P5 
 
12 
 
 
 
 
ULTRASSONOGRAFIA COM DOPPLER 
O ecodoppler dos vasos mesentéricos permite 
observar o trombo ou anomalia no fluxo visceral. 
OBS: embora seja uma técnica operador-dependente 
e, nos casos em que a distensão intestinal é importante, 
a visualização dos vasos mesentéricos torna-se difícil. 
 
Mostra ausência de fluxo na veia esplênica (seta preta) e dentro da 
confluência venosa (seta branca). Houve também ausência de fluxo 
na veia porta direita.