AULA 9  LOCALIZAÇAO DAS EMPRESAS
36 pág.

AULA 9 LOCALIZAÇAO DAS EMPRESAS


DisciplinaAdministração de Produção491 materiais558 seguidores
Pré-visualização2 páginas
ADMINISTRAÇÃO DA PRODUÇÃO E OPERAÇÕES
LOCALIZAÇÃO DA EMPRESA - AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS
AULA 9
PROF. MSC. NOERBECK MOTTA JÚNIOR
OBJETIVOS DO ENCONTRO
Conhecer os métodos de avaliação de alternativas de localização de instalações; Conhecer as principais 
técnicas de localização industrial e de serviços.
\ufffd2
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
\ufffd3
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
\u2022 Dadas várias localizações alternativas, muitos modelos têm sido 
desenvolvidos para auxiliar na escolha final. 
\u2022 Alguns desses modelos consideram como problema a localização de uma só 
unidade, enquanto outros trabalham com diversas unidades ao mesmo 
tempo.
\ufffd4
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
\u2022 Ponderação qualitativa 
\u2022 Comparação entre os custos fixos e variáveis 
\u2022 Modelo do centro de gravidade 
\u2022 Modelo da mediana
\ufffd5
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
PONDERAÇÃO QUALITATIVA
\ufffd6
PONDERAÇÃO QUALITATIVA
\u2022 A ponderação qualitativa pode ser usada quando não se conseguir apropriar 
uma estrutura de custos a cada localidade considerada. 
\u2022 Consiste em determinar uma série de fatores julgados relevantes para a 
decisão, nos quais cada localidade alternativa recebe um julgamento. 
\u2022 Esse julgamento é convertido numa nota, através de uma escala numérica 
arbitrária.
\ufffd7
PONDERAÇÃO QUALITATIVA
\u2022 A cada fator, segundo sua importância relativa, é então atribuído um peso. 
\u2022 A soma ponderada das notas pelos pesos dos fatores dará a pontuação final 
para cada localidade. Será escolhida a localidade que ostentar a maior 
pontuação final.
\ufffd8
!" 		 = 	%&'"	(")"*+
PONDERAÇÃO QUALITATIVA
\ufffd9
ATIVIDADE
ATIVIDADE 1
\ufffd10
ATIVIDADE 1
\ufffd11
FATORES
\u2022Mão-de-obra
\u2022Clima
\u2022Condições de vida
\u2022Transportes
\u2022Assistência médica
\u2022Escolas
\u2022Atitudes da comunidade
\u2022Água
\u2022Energia
ATIVIDADE 1
\ufffd12
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
COMPARAÇÃO ENTRE CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS
\ufffd13
COMPARAÇÃO ENTRE CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS
\u2022 Rigorosamente falando, mesmo que as empresas ou instituições à procura de 
uma localidade não visem ao lucro, o ideal seria conhecer-se em detalhes os 
custos nos quais se irá incorrer. 
\u2022 Para cada localidade, seriam levantados os custos distribuídos por categorias 
pré-estabelecidas. 
\u2022 Pensando de forma simples, os custos poderiam ser divididos em custos fixos 
e variáveis, conforme a sua independência ou não da quantidade produzida.
\ufffd14
COMPARAÇÃO ENTRE CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS
\u2022 A - Dispondo-se de uma estimativa da quantidade que se irá produzir, pode-
se calcular o lucro associado a cada localidade alternativa, escolhendo-se a 
que propiciar maior lucro. Caso a receita seja a mesma, independente da 
localidade considerada, basta calcular-se o custo total em cada localidade, 
optando por aquela de menor custo total (CF + cv*q).
\ufffd15
COMPARAÇÃO ENTRE CUSTOS FIXOS E VARIÁVEIS
\u2022 B \u2013 Calcula-se, para cada localidade, o ponto de equilíbrio, ou seja, a 
quantidade a produzir que iguala os custos e as receitas. 
\u2022 Escolhe-se então a localidade com o menor ponto de equilíbrio, na qual se 
espera mais rapidamente recuperar os investimentos efetuados.
\ufffd16
! = 	 $%&'	 \u2212 )*
ATIVIDADE
ATIVIDADE 2
\ufffd17
ATIVIDADE 2
\u2022 A Mercúrio Industrial S.A. é uma fabrica de baterias para veículos que deseja 
construir uma nova fábrica para atender certa parte do mercado. Duas 
localidades foram previamente selecionadas (Serra Brava e Monjolinho), sendo 
levantados em cada uma os custos fixos anuais e os custos variáveis por 
bateria padrão fabricada. O custo variável da bateria padrão resulta dos 
custos unitários de cada tipo de bateria, ponderados pela estimativa de suas 
participações nas vendas. Os custos obtidos estão na tabela a seguir: 
\ufffd18
ATIVIDADE 2
\ufffd19
ATIVIDADE 2
\u2022 Espera-se vender 100.000 baterias por ano, ao preço médio de R$ 80.000 
cada. 
\u2022 A - Qual a melhor localização considerando-se o lucro esperado em cada 
localidade? E 
\u2022 B - Haveria alguma diferença se a escolha da localidade fosse feita com base 
no menor ponto de equilíbrio?
\ufffd20
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
MODELO DO CENTRO DE GRAVIDADE
\ufffd21
MODELO DO CENTRO DE GRAVIDADE
\u2022 O modelo do centro de gravidade é usado quando se quer localizar uma nova 
instalação dentro de uma rede de instalações e/ou mercados já existentes. 
\u2022 Essa rede, em alguns casos, pode constituir tão-somente de mercados 
consumidores ou fornecedores, enquanto que em outros pode englobar 
mercados e outras instalações.
\ufffd22
MODELO DO CENTRO DE GRAVIDADE
\u2022 dix = coordenada horizontal da instalação ou mercado i 
\u2022 diy = coordenada vertical da instalação ou mercado i 
\u2022 pi = custo de transporte na direção da instalação ou do mercado i 
\u2022 Ci = volume transportado de/para a instalação ou mercado 
\ufffd23
!" =	\u2211&'"\ufffd\ufffd 	 )'*'\u2211 )'*'\ufffd\ufffd
!+ = 	\u2211&'+\ufffd\ufffd 	)'*'\u2211 )'*'\ufffd\ufffd
MODELO DO CENTRO DE GRAVIDADE
\ufffd24
MODELO DO CENTRO DE GRAVIDADE
\ufffd25
AVALIAÇÃO DE ALTERNATIVAS DE LOCALIZAÇÃO
MODELO DE MEDIANA
\ufffd26
MODELO DE MEDIANA
\u2022 O cálculo da mediana serve ao mesmo propósito do modelo do centro de 
gravidade, ou seja, procura localizar uma nova instalação dentro de uma 
malha já existente, através da minimização dos custos de transportes. São 
dados básicos do modelo: 
\u2022 As coordenadas horizontais e verticais das instalações ou mercados já 
existentes; e 
\u2022 As cargas que devem ser movidas de/para cada uma das instalações ou 
mercados.
\ufffd27
PERSPECTIVA DE REDE DE OPERAÇÕES
LOCALIZAÇÃO DE UNIDADES DE EMERGÊNCIA
\ufffd28
LOCALIZAÇÃO DE UNIDADES DE EMERGÊNCIA
\u2022 A técnica apresenta um procedimento interessante e muito simples para se 
determinar a localização de unidades de emergência, tais como corpo de 
bombeiros postos de ambulância e postos policiais de atendimento externo 
de ocorrências. 
\u2022 Em todos esses casos, supõe-se que a rapidez no atendimento é 
fundamental, o que dá a base ao modelos.
\ufffd29
LOCALIZAÇÃO DE UNIDADES DE EMERGÊNCIA
\u2022 Define-se quais as comunidades que serão servidas, geralmente bairros 
relativamente próximos entre si; 
\u2022 Define-se quais as localizações possíveis para o posto de atendimento, 
geralmente um dos bairros da região; 
\u2022 Dada a configuração espacial dos bairros ou regiões, determinam-se as várias 
rotas de ligação entre eles, bem como os tempos de acesso 
correspondentes, ou seja, o tempo para ir de um bairro a outro pelas vias de 
acesso definidas;
\ufffd30
LOCALIZAÇÃO DE UNIDADES DE EMERGÊNCIA
\u2022 Supondo a unidade de atendimento localizada em uma região X, entre as 
possíveis, determina-se o mínimo tempo para atingir cada uma das outras 
regiões. Anotar quais desses tempos mínimos é maior. Este tempo 
representará o máximo tempo de acesso da região X (onde supomos 
localizada a unidade de atendimento) à qualquer uma outra; 
\u2022 O procedimento para a região X é seguido para todas as outras onde haja 
possibilidade de se instalar a unidade de atendimento; e 
\u2022 A unidade localizar-se-á na região que assegura o mínimo entre os máximos 
tempos de atendimento.
\ufffd31
PERSPECTIVA DE REDE DE OPERAÇÕES
LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE SERVIÇOS
\ufffd32
LOCALIZAÇÃO DE INSTALAÇÕES DE SERVIÇOS
\u2022 Como já foi visto, instalações de serviços tendem a se localizar perto dos 
mercados consumidores e, eventualmente, também perto da concorrência. 
\u2022 Na verdade, considerações sobre recursos é uma abordagem mais típica da 
instalação de indústrias. 
\u2022 No caso de organizações de serviço, em geral o custo de abrir e fechar 
instalações é substancialmente menor que o caso de indústrias.
\ufffd33
PERSPECTIVA DE REDE DE OPERAÇÕES
MODELO DE ARDALAN
\ufffd34
MODELO DE