A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
experimento3

Pré-visualização | Página 1 de 2

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
Campus Crateús
Engenharia de Minas/Ambiental
EXPERIMENTO 3
SISTEMAS E REAÇÕES QUÍMICAS
Alunos: Paulo César Ribeiro da Silva Júnior, 403520
Thalia Lopes de Sousa, 390201
Prof.: Luísa G. A. T. Farias
Crateús, outubro de 2018
1.0. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA
A matéria pode sofrer dois tipos de transformações principais, a física e a química. A transformação física é quando não se altera a natureza da matéria, ou seja, a sua composição. Por exemplo, quando cortamos um pedaço de papel, ele sofreu uma transformação, mas foi um fenômeno físico, porque ainda continua sendo papel, a sua constituição é a mesma do início. Por outro lado, uma transformação ou fenômeno químico ocorre quando a natureza ou composição da matéria é alterada. Nesse caso, as partículas iniciais (que podem ser moléculas, átomos, aglomerados iônicos, íons etc.) são como que desmontadas e seus átomos se rearranjam, montando novas moléculas, aglomerados, átomos, íons etc., isto é, novas substâncias. 
Nas reações químicas, as substâncias iniciais são chamadas de reagentes e as finais de produtos, e as reações são representadas por meio de equações químicas, que seguem a seguinte estrutura geral: 
REAGENTES → PRODUTOS
Existem alguns fatores visuais que indicam que houve uma reação química, que são: 
* Desprendimento de gás; 
* Mudança de cor; 
* Formação de precipitado; 
* Aparecimento de chama ou luminosidade.
2.0. OBJETIVOS 
Concluir sobre a ocorrência de reações químicas
Identificar tipos de precipitado
Identificar um composto utilizando suas propriedades químicas
3.0. PARTE EXPERIMENTAL
Este experimento consiste em quatro partes: mudança de cor, tipos de precipitados, reação com formação de gás e propriedades químicas dos compostos. 
3.1. MATERIAIS UTILIZADOS 
Mudança de cor
Tubos de ensaio;
Tipos de precipitados
Tubos de ensaio;
Reação com formação de gás
Tubos de ensaio;
Propriedades químicas dos compostos
Tubos de ensaio;
Recipiente para banho maria;
3.2. REAGENTES UTILIZADOS
Mudança de cor
Solução 0,2 M de CuSO4;
Solução 0,2 M de Fe2(SO4)3;
Solução 0,3 M de K2CrO4
Solução 1 M de H2SO4
Solução 3 M de NH4OH
Tipos de precipitados
Solução de 1 M de HCl;
Solução de 0,01 M de AgNO3;
Solução de 0,1 M de BaCl2;
Solução de 1 M de H2SO4;
Solução de 1 M de MgCl2;
Solução de 3 M de NaOH;
Solução de 0,1 M de Na2S2O3;
Solução de 1 M de H2SO4;
Reação com formação de gás
Solução de 0,2 M de NaHCO3;
Solução de 1 M de HCl;
Magnésio sólido;
Solução de 1 M de HCl;
Propriedades químicas dos compostos
Solução de 0,1 M de KMnO4;
Solução de1M de H2SO4;
2 mL de H2O2;
Solução de 0,1 M de CuSO4;
Pitada de NaCl;
Bolinha de alumínio;
Solução de 1M de AgNO3;
Solução de 3M de NaOH;
Solução de 3M de NH4OH;
30 gotas da solução de glicose;
3.3. PROCEDIMENTO EXPERIMENTAL
Mudança de cor
Misturou-se em tubo de ensaio uma solução de 0,2M de sulfato cúprico (CuSO4) e o,2M de sulfato férrico (Fe2(SO4)3).
Em outro tubo de ensaio realizou-se o mesmo teste, agora com os reagentes cromato de potássio (k2CrO4) 0,3M e ácido sulfúrico (H2SO4) 1M.
Em outro tubo realizou-se o mesmo procedimento com os seguintes reagentes: sulfato cúprico (CuSO4) 0,2M e hidróxido de amônia (NH4OH) 3M.
Tipos de precipitados
Misturou-se em tubo de ensaio uma solução 1M de ácido clorídrico (HCl) e nitrato de prata (AgNO3).
Observou-se bem os reagentes antes e após a mistura.
Em outro tubo de ensaio realizou-se o mesmo teste, agora com os reagentes: cloreto de bário (BaCl2) 1M e ácido sulfúrico (H2SO4) 1M.
Em outro tubo realizou-se o mesmo procedimento com os seguintes reagentes: tiossulfato de sódio (Na2S2O3) 0,1M e ácido sulfúrico (H2SO4) 1M.
Reação com formação de gás
Em um tubo de ensaio adicionou-se bicarbonato de sódio (NaHCO3) 0,2M e ácido clorídrico (HCl) 1M.
Em outro tubo de ensaio, adicionou-se magnésio sólido (Mg) e ácido clorídrico (HCl).
Propriedades químicas dos compostos
Misturou-se em um tudo de ensaio 2mL da solução Permanganato de potássio (KMnO4) 0,1M, 1mL de ácido sulfúrico (H2SO4) 1M e 2mL de Peróxido de hidrogênio (H2O2).
Misturou-se em outro tubo de ensaio 3mL da solução 0,1M de sulfato cúprico (CuSO4), uma pitada de cloreto de sódio (NaCl). Após observar a temperatura inicial da solução e adicionou-se uma bola de papel de alumínio. Observou-se novamente a temperatura final da solução. 
Adicionou-se em outro tubo de ensaio 10 gotas de nitrato de prata (AgNO3), 3 gotas de hidróxido de sódio (NaOH) 3M até que houvesse precipitação. Em seguida adicionou-se aproximadamente 30 gotas de hidróxido de amônia (NH4OH) 3M até a total dissolução do precipitado de óxido de prata. Após isso, adicionou-se 30 gotas de glicose. Agitou-se a solução e colocou-a em banho maria por aproximadamente 3 minutos. 
4.0. RESULTADOS E DISCURSÕES
Mudança de cor
No primeiro tubo de ensaio, com 1mL de cada substância, temos os seguintes reagentes:
CuSO4+ Fe2(SO4)3
No segundo tubo, temos estes:
K2CrO4 + H2SO4
No terceiro, estes:
CuSO4 + NH4OH
As mudanças foram observadas e anotadas imediatamente após o procedimento, e após alguns minutos de repouso. As seguintes mudanças foram observadas:
A mistura entre as substâncias CuSO4, que tem uma coloração azul, com o Fe2(SO4)3, que tem coloração amarela, resultou em uma mistura de cor verde, e a temperatura permaneceu constante durante todo o procedimento. Não há reação, e a mudança de cor só ocorre devido à combinação das cores dos reagentes. Não há formação de precipitado. Sendo assim, a equação química será:
CuSO4 (aq) + Fe2 (SO4)3(aq) → CuSO4(aq) + Fe2(SO4)3(aq)
A mistura entre as substâncias K2CrO4 (amarelo) e H2SO4 (incolor) resultou em uma mistura de coloração amarelo alaranjado. Logo de início é possível afirmar que houve reação, sendo os reagentes amarelo e incolor, a cor esperada deveria também ser amarelo, porém, a cor resultante é laranja. Abaixo, analisando a equação química, é possível comprovar a reação.
2 K2CrO4 + H2SO4 → H2O + K2Cr2O7 + K2SO4
A mistura entre as substâncias CuSO4, (azul claro) com o NH4OH (incolor), resulta em uma mistura de cor azul escuro, comprovando a existência da reação, já que que há uma mudança para uma cor inesperada. A reação ocorre formando um complexo Tetramino de Cobre II e há formação de precipitado de coloração azul.
CuSO4 + NH4OH → Cu(NH4OH)4 + SO4
.
4 
 
	Procedimento
	Observações
	Conclusões
	
CuSO4+Fe2(SO4)3
	Apresentou uma coloração amarelada.
	
Não ocorre reação.
	
K2CrO4+H2SO4
	Apresentou uma coloração laranja.
	
Ocorre reação
	
CuSO4+NH4OH
	Apresentou uma coloração azul escuro.
	
Ocorre reação.
Tipos de precipitados
A mistura de HCl com AgNO3, formou um precipitado granular, onde era possível observar pequenos grãos de formatos irregulares que se sedimentavam com facilidade. Pela equação química, entende-se que o precipitado é cloreto de prata, e que a reação também forma o ácido nítrico. A solução apresentava coloração branca. A reação teve dupla troca.
AgNO3 + HCl → AgCl + HNO3 
Na mistura entre o BaCl2 e H2SO4, a solução apresentou coloração branca e formou o precipitado (sulfato de bário), cujas partículas eram extremamente pequenas, e demoraram mais tempo para sedimentar do que no experimento anterior. Foi formado também o ácido clorídrico volátil. Pela equação química, é também possível ver que houve dupla troca.
BaCl2 + H2SO4 → BASO4 + 2HCl
A mistura de MgCl2 e NaOH formou um precipitado do tipo coloidal gelatinoso (massa compacta com aspecto de gelatina), que se tratava do hidróxido de magnésio, e foi formado também cloreto de sódio. A coloração apresentada foi branca. Esta reação também foi de dupla troca.
MgCl2 + 2NaOH → Mg(OH)2 + 2NaCl
A mistura contendo o Na2S2O3 e H2SO4 (ambos incolores) apresentou precipitado coloidal do

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.