A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
311 pág.
ENEM   Banco de Questões   HISTÓRIA

Pré-visualização | Página 48 de 50

Prússia, Áustria), adaptando-se às necessidades e possibilidades de cada
Estado.
Dê, como resposta, a soma das alternativas corretas.
27. UFPR
“Estado absolutista, sociedade estamental, política mercantilista, exploração colonial e desen-
volvimento mercantil são partes constituintes de um todo denominado Antigo Regime. Assim, o
Antigo Regime apresentava componentes de origem feudal e componentes que prenunciavam o
capitalismo. É devido a tal característica que se pode considerar a Idade Moderna como um
período de transição do feudalismo ao capitalismo.”
KOSHIBA, L.; PEREIRA, D. M. F. História do Brasil. 7 ed.
São Paulo. Atual, 1996, p. 10.
Para esse longo processo de transformações, identificado com a Idade Moderna, concor-
reram inúmeros fatores, dentre os quais é correto apontar, colocando V para as questões
verdadeiras ou F para as falsas:
( ) a crescente valorização da vida terrena, que favoreceu a disseminação da idéia de
liberdade pessoal e permitiu a cada indivíduo expressar suas dúvidas e paixões, em
busca da realização e da felicidade;
( ) o fortalecimento político do Estado, que tomou para si a responsabilidade de mi-
nistrar a justiça, interferindo sobremaneira nos vínculos e articulações familiares e
comunitárias;
( ) a crescente complexidade das relações econômicas, que no início decorreu do de-
senvolvimento do comércio e, posteriormente, da produção industrial;
( ) a contestação aos ideais da Renascença, que fortaleceu os princípios do pensamen-
to escolástico, base ideológica da ciência experimental moderna;
( ) a progressivo fortalecimento dos senhorios rurais, particularmente na Ingla-
terra, que ocasionou o crescimento de populações vinculadas à exploração
agrícola;
( ) a surgimento das idéias iluministas, que, juntamente com as transformações nas
relações de produção, inspiraram e orientaram as revoluções que derrotaram o An-
tigo Regime.
28. UEMS A política econômica mercantilista se caracterizou por três elementos es-
senciais:
a) balança comercial favorável, protecionismo e monopólio.
b) Sistema colonial, liberalismo e monopólio.
c) Manufatura, metalismo e liberalismo.
d) Monopólio, liberalismo e bullionismo.
e) Liberalismo, monopólio e protecionismo.
HISTÓRIA - Idade moderna I (até o final do século XVII)
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
10
29. UnB-DF A partir do século XV, inspirando-se nos princípios do direito romano, os reis
europeus passaram a reivindicar para si, de forma exclusiva, a capacidade de legislar em
função de seu poderio real absoluto. Essa tendência, não obstante, tinha um significado
mais teórico que prático. Com referência a essas informações, julgue os itens seguintes,
colocando (C) para as questões certas e (E) para as erradas.
( ) Desde fins do século XIII, os reis europeus vinham concentrado em suas mãos os
poderes de Estado, sob a influência de uma conjugação de fatores, como o desen-
volvimento mercantil e as divergências e contradições internas entre os interesses
aristocráticos e burgueses.
( ) Os letrados juristas europeus, municiados das doutrinas do direito romano, contribuíram
para a formação do poderio real absoluto ao sugerirem aos reis que subtraíssem prerroga-
tivas do direito canônico e costumeiro em proveito da ampliação da autoridade central.
( ) Apesar da sua presença na administração monárquica, inexistiu apoio ideológico
de prelados à formação da tese do direito divino da autoridade régia e à concepção
de que as deliberações reais se conformavam com os preceitos sagrados.
( ) A principal via de fortalecimento do poder absoluto dos reis construiu-se com o rompi-
mento da vassalidade e da feudalidade engendradas em séculos anteriores ao século XV.
30. UFCE O Calvinismo se destacou dentre as demais correntes protestantes, uma vez que
defendia:
a) a valorização do próprio trabalho como um serviço de Deus, que legitimava os anseios
da burguesia.
b) a condenação ao individualismo, como uma reação aos ideais burgueses, que ameaça-
vam a difusão das idéias reformistas.
c) a concepção de combate à burguesia, que se manifestava favorável à usura e ao con-
trole dos gastos.
d) o misticismo e a vida de reclusão em mosteiros, valorizando uma religiosidade apolítica.
e) a desagregação dos ideais de fraternidade e respeito ao próximo, afim de garantir a
força da liberdade individual.
31. UFRN No século XVI, surgiu, na Europa, um movimento de caráter religioso, político
e econômico que deu origem à Reforma Protestante, iniciada como uma reação à(ao)
a) progresso do capitalismo comercial, que preconizava o lucro e estimulava o desenvol-
vimento das atividades mercantis, condenados pela Igreja Católica.
b) crise da Igreja Católica, que se manifestava através da vida desregrada, do luxo do
alto clero, da venda de cargos eclesiásticos e de relíquias sagradas.
c) teoria religiosa católica, que estava alicerçada na predestinação absoluta, na salvação
pela fé e no livre exame da Bíblia.
d) fortalecimento do Estado Nacional Absolutista, cuja consolidação representava o apoio
à teoria da supremacia e do universalismo do poder papal.
32 UFF-RJ As reformas religiosas, protestante e católica, indicaram, simbolicamente, a
vitória da quaresma sobre o carnaval, pois:
a) apontavam uma nova ordem social apoiada no projeto de eliminação da miséria, da
implantação da tolerância e da afirmação dos valores burgueses;
b) acentuavam o caráter de reerguimento moral oriundo das críticas ao mundanismo do
clero católico e às desordens sociais decorrentes das disputas teológicas, do medo do
diabo e das atitudes místicas que rompiam com os procedimentos hierárquicos da
Igreja Católica;
c) praticavam a repressão à cultura popular proibindo qualquer manifestação cultural que
pudesse ridicularizar a Igreja e introduziam o carnaval no calendário oficial da vida civil;
d) reproduziam o novo pensamento religioso, mais aberto para as reivindicações sociais
e preocupado com a formação dos estados estamentais;
e) reivindicavam um modo de vida contemplativa, no qual o exame de consciência e o
livre arbítrio adquiriam um lugar central na formação da vocação religiosa.
HISTÓRIA - Idade moderna I (até o final do século XVII)
IM
PR
IM
IR
Voltar
GA
BA
RI
TO
Avançar
11
33. PUC-RJ
“A ti, Ó Adão, não te temos dado nem uma sede determinada, nem um aspecto peculiar (...) Eu
te coloquei no centro do mundo, a fim de poderes inspecionar, daí, de todos os lados, da maneira
mais cômoda, tudo que existe. Não te fizemos nem celeste, nem terreno, mortal ou imortal, de
modo que assim, tu, por ti mesmo, qual modelador e escultor da própria imagem, segundo tua
preferência e, por conseguinte, para tua glória, possas retratar a forma que gostarias de ostentar.
Poderás descer ao nível dos seres embrutecidos; poderás, ao invés, por livre escolha de tua alma,
subir aos patamares superiores que são divinos.”
MIRANDOLA, Pico della. A dignidade do homem. (1486).
O autor do texto acima, Pico della Mirandola, foi um dos defensores do humanismo
cristão. Assinale a afirmativa que não analisa corretamente as afirmações desse autor.
a) Na cosmologia dos humanistas cristãos, a ação divina de criação do universo teria
delegado ao homem uma centralidade e uma inventividade subordinadas, por sua vez,
à onisciência do Criador.
b) As idéias de Pico della Mirandola influenciaram as formulações de reformistas pro-
testantes, em particular na elaboração do princípio da predestinação da alma, defendi-
do, entre outros, pelos calvinistas.
c) Os humanistas cristãos promoveram a defesa de uma concepção de natureza humana
caracterizada, por um lado, pela imagem e semelhança com o Criador e, paralelamen-
te, pela valorização do livre arbítrio.
d) O ideal de devoção de muitos humanistas cristãos enfatizava a capacidade humana de
fazer-se a si próprio, exercitando a fé de forma