A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
44 pág.
Cuidados com estoma.pdf

Pré-visualização | Página 1 de 1

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO
DIRETORIA DE ENFERMAGEM
SERVIÇO DE EDUCAÇÃO EM ENFERMAGEM
Cuidados com estomas
Instrutora: Enfa Nayara Cândida Gomes
1º Semestre de 2013 
MINICURSO: Assistência de enfermagem ao cliente com 
feridas
ESTOMAS
ESTOMA
ESTOMIA
COLOSTOMIA
= boca ou abertura
colo + stoma + ia
composto por três vocábulos 
ORIGEM: grega = STOMA
São orifícios abertos intencionalmente, através de
intervenção cirúrgica, para comunicar órgãos ocos à
superfície corporal dos pacientes. Favorece a
administração de oxigênio, de alimentos e
drenagem de efluentes.
Podem ser temporárias ou definitivas.
TRAQUEOSTOMIA
O tubo de traqueostomia é colocado entre 
a segunda e terceira cartilagem traqueal
TRAQUEOSTOMIA
TIPOS:
URETEROSTOMIA CUTÂNEA
VESICOSTOMIA
PIELOSTOMIA CUTÂNEA
ESTOMAS URINÁRIOS
ESTOMAS URINÁRIOS
UROSTOMIA À BRICKER: 
CRIANÇAS: fraldas
ADULTOS: equipamentos coletores
DISPOSITIVOS COLETORES 
PARA ESTOMAS URINÁRIOS
Estomas mais comuns do 
SISTEMA DIGESTIVO
ESOFAGOSTOMIA
Desviar as secreções 
salivares impedindo a 
aspiração
• Local difícil de adaptar 
equipamento coletor 
umidade infecção 
fúngica
GASTROSTOMIA Descomprimir e alimentar
• Doenças neurológicas
• Incapacidade de alimentar
• Atresia ou estonose de esôfago
• Risco de aspiração
Dispositivos utilizados
Complicações
• Dermatite periestoma
• Alargamento do orifíco
• Obstrução
• Perda ou migração do cateter para 
o duodeno
ESTOMAS INTESTINAIS
TIPOS
• Jejunostomia
• Ileostomia
• Colostomia 
JEJUNOSTOMIA
ESTOMAS INTESTINAIS
FISIOLOGIA INTESTINAL
FEZES SEMI SÓLIDAS
POUCO CORROSIVAS
FEZES SEMI LÍQUIDAS
CORROSIVAS
FEZES LÍQUIDAS
MUITO CORROSIVAS
FEZES SÓLIDAS OU FORMADAS
NÃO CORROSIVAS
ILEOSTOMIA 
LOCALIZAÇÃO ASPECTO NORMAL DO ESTOMA ILEAL
Deve ser protuso, entre 2,5 a 4 cm do plano da parede
abdominal. Evita retração posterior e favorece drenagem do
efluente no dispositivo coletor.
ILEOSTOMIA
Volume de drenagem dos efluentes: está relacionado
com os alimentos ingeridos (500 a 800 ml / dia). Os
gases e cheiros são reduzidos.
Característica das fezes: líquidas / semi-líquidas, de cor
castanho esverdeadas. Elimina grande quantidade de
eletrólitos e enzimas, devido a diminuição de absorção
pelo trato digestivo.
PH muito alcalino CORROSIVO.
COLOSTOMIAS 
DESCRIÇÃO DAS COLOSTOMIAS 
LOCALIZAÇÃO
COLOSTOMIAS 
DESCRIÇÃO DAS COLOSTOMIAS 
TEMPO DE 
PERMANÊNCIA
Temporária / Provisória
Definitiva / Permanente
em alça
FORMA DE EXTERIORIZAÇÃO
DESCRIÇÃO DAS COLOSTOMIAS 
terminal ou uma boca
DESCRIÇÃO DAS COLOSTOMIAS 
FORMA DE EXTERIORIZAÇÃO
COMPLICAÇÕES DOS ESTOMAS INTESTINAIS
Estão relacionadas com a estrutura orgânica da
colostomia e sua funcionalidade. São classificadas em
dois grupos:
IMEDIATAS TARDIAS
• necrose
• retração
• infecção 
• sangramento
• edema
• estenose
• enterorragia
• dermatites
• prolapso 
• hérnia para-estomal
ESTENOSE E RETRAÇÃO
DESCOLAMENTO, 
RETRAÇÃO E DERMATITE
RETRAÇÃO E DERMATITE
PROLAPSO E EDEMA
PROLAPSO GIGANTE E DERMATITE
PROLAPSO, EDEMA E DERMATITE
DERMATITE SEVERA
HÉRNIA PARA ESTOMAL
...mesmo que estas não se manifestem, o estomizado passa a
conviver com mudanças fisiológicas...
COMPLICAÇÕES...
eliminação das fezes
odor e ruídos
dispositivo aderido ao 
abdome

DISTORÇÃO DA IMAGEM 
CORPORAL
OBSERVAÇÃO DO ESTOMA 
• Cor
• Forma
• Tamanho
• Umidade
• Protrusão
• Integridade da mucosa
OBSERVAÇÃO DA PELE 
PERIESTOMA 
Características do estoma
Estoma protruso
Estoma plano
OBSERVAÇÃO DO ESTOMA 
ESCOLHA DO DISPOSITIVO
 1 peça:
 2 peças:
ESCOLHA DO DISPOSITIVO
COLOCAÇÃO DO DISPOSITIVO
intra operatório
preparo para alta 
hospitalar
PRINCÍPIOS DO CUIDAR 
• Processualidade
• Respeito à singularidade de cada ser
• Cuidado adequado em cada fase
• Enfoque biopsicossocial
• Competência do profissional
• Prática educativa
• Complementaridade
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
• Bellato R, Maruyama SAT, Silva CM, Castro P. A condição crônica ostomia e 
as repercussões que traz para a vida da pessoa e sua família. Cinc Cuid
Saúde. 2007 Jan-Mar; 6(1):40-50.
• Cascais AFMV, Martini JG, Almeida PJS. O impacto da estomia no processo 
de viver humano. Rev. Texto e Contexto Enferm. 2007 Jan-Mar; 16(1):163-7.
• Crema E, Silva R. Ostomas: uma abordagem interdisciplinar. Uberaba: Pinti; 
1997.
• Dal Poggetto M.T. Temáticas de Aprendizagem de Clientes Colostomizados:
estratégias norteadoras da assistência de enfermagem. 2002. 151p.
Dissertação (Mestrado) – Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto,
Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.
• Santos VLCG, Cesaretti IUR. Assistência em estomaterapia: cuidando do
ostomizado. São Paulo: Atheneu; 2005.
• Santos VLCG. Reabilitação do ostomizado: em busca do ser saudável. Texto
e Contexto Enf. Florianópolis, v.1, n.2, p.180-190, 1992.
• Sonobe HM, Barichello E, Zago MMF. A visão do colostomizado sobre o uso
da bolsa de colostomia. Rev Brasileira de Cancerologia. 2002 Jul-Ago-Set;
48(3):341-8.