Sociologia = Oligopólio das mídias no Brasil
8 pág.

Sociologia = Oligopólio das mídias no Brasil


DisciplinaSociologia21.891 materiais270.134 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Adryan Fernando Muller 
 Elton Matias 
 Universidade Estadual de Ponta Grossa 
 Poder e o oligopólio das mídias sobre a população 
 Manipulação e influencia sobre o consumo 
 Introdução 
 Esse artigo tem como foco principal distinguir o poder abstrato que as mídias 
usam para exercer o poder sobre uma determinada classe social, aproveitando-se do fato 
dessas classes terem menos instrução para formar opiniões, passando a induzir essa classe 
ao consumo de bens e a direcionar suas opiniões. Vamos compreender como a mídia 
influencia a população a seguir uma determinada direção e ideologia. 
 Pode-se dizer que os canais de tv aberta representam um oligopólio entre as mídias 
de divulgação de informações e entretenimento. Elas são grandes fontes de informações 
atuais sobre cotação do dólar, bolsas de valores , mercados nacionais e internacionais que 
movimentam constantemente a economia. E por outro lado elas atraem atenções devido ao 
entretenimento como futebol e novelas. Já os jornais colocam em suas principais manchetes 
crises econômicas, Tragédias e catástrofes que geram uma grande comoção por parte da 
população devido ao forte apelo emotivo gerado pelo poder dessas midias sobre a 
população. 
 Existe o poder que elas exercem sobre a população é muito amplo , com vários 
canais de mídias de um mesmo grupo que controlam a maioria dos canais aberta e páginas 
da internet focado num grupo social com a intenção de direcionar as opiniões sobre um fato 
social. Grandes fatos sociais marcam a mídia geram grandes apelos sociais e de um certo 
modo direcionam as opiniões. E propagandas que estimulam o consumo excessivo. 
 Nesse artigo usaremos as linhas de pensamento de dois sociólogos, Michel 
Foucault e Émile Durkheim que nos ajudaram a entender dois temas excenciais para o 
desenvolvimento de nosso artigo, O poder sobre o individuo e os fatos sociais que geram 
grandes discussões. 
 
 
 
 
 
 Para começar vamos entender o que é oligopólio: É uma estrutura de mercado em 
que apenas poucos vendedores oferecem produtos ou serviços similares, que podemos 
aplicar as emissores que geram o sinal aberto, Fazendo com que essas pessoas tenham uma 
quantidade x de canais, mas com a programação quase na mesma linha, ou seja os jornais 
batem os horários, mas a quem prefira jornal x e quem prefira o y, isso vai dos costumes de 
cada um e de acordo com a linha de pensamento. 
 O poder está no fato de ter o controle da situação, forçar ou coagir um elemento a 
seguir uma determinada religião ou pensamento, ele pode ser convencido por ideias e 
interesses que geram uma opinião comum ou forçar esse elemento a seguir essa linha, ou 
seja coagir o elemento a seguir esse caminho mesmo que ele não aceite. 
 Com a Ascenção das classes mais baixas, a mídia passou a coagir e a exercer seu 
poder sobre essa classe, influenciando essa classe com o consumo de bens e serviços que 
antes eles não tinham acesso. Assim as propagandas começam a ter um papel de grande 
importância para o convencimento e ao estímulo ao consumo e consequentemente o 
aumento das dívidas que aumentam ano a ano devido a essa influencia que se torna 
negativa. 
 Vejamos a linha de pensamento do sociólogo Émile Durkheim que via a 
sociologia como uma fonte de estudos no campo acadêmico. Assim podemos entender 
que a sociologia deveria fazer parte da formação dos indivíduos que frequentam a escola 
para eles terem uma linha ideológica traçada e uma opinião mais abrangente com mais 
argumentos para debaterem temas sociais. 
 Diariamente vivemos conectados a diversos serviços de mídia e com isso a um 
enorme leque de notícias e acontecimentos que nos arrodeiam e nos levam a formar 
argumentos para debater, mas não é isso que vem ocorrendo nos últimos anos, a uma 
manipulação de opiniões e teses. 
 A mídia brasileira vive em um oligopólio ou seja existem poucos canais na tv 
aberta exibindo em alguns horários os mesmos produtos ou seja os telejornais que são 
nossa fonte de informação e com fatos sociais recorrentes eles no dia, poderiam trazer 
opiniões de fora para deixar o jornal com mais visibilidade a todos os grupos sociais com 
mais ênfase a informação com qualidade. Os fatos são os mesmos, porém poderiam usar 
mais questões sociais entorno desse fato gerando um ciclo de ideias e pensamentos para que 
a população interagisse mais. 
 Com opiniões formadas , Haveria uma grande chance de mudança para melhor em 
todos os quesitos, desde a escolha para um politico, não pelo partido e sim pelas propostas 
e trabalho prestado a sociedade, A educação num amplo sentido da palavra, não ocorreria 
mais a violência, pois com a impunidade gera violência e falta de uma infraestrutura 
também. A mídia em geral tem um papel muito importante no desenvolvimento 
socioeconômico de um país, com informações a todo momento de várias partes do mundo 
ficamos informados sobre o preço do barril de petróleo, a taxa de juros que pode estar em 
baixa ou em forte alta, com essas informações vemos como está nossa situação financeira. 
 A partir desse ponto abrangemos nosso artigo, o poder de influenciar os indivíduos 
de uma forma que não se perceba. A mídia principalmente a Tv, tem um poder de 
convencimento altíssimo, que induz o indivíduo a seguir tendências do momento tais como 
roupas, Que foram usadas por um personagem adorado pela população, uma música que 
está fazendo muito sucesso, de preferência de letra vulgar e fácil, e principalmente produtos 
eletrônicos que satisfazem os desejos do individuo, que ao comprar uma Tv de última 
geração ou um celular sua autoestima vai lá em cima , mas se esquece dos boletos que fez 
para se sentir melhor. O consumo está aumentando cada vez mais, o ter está se tornando 
uma febre sem limites e não há espaço para poupar e fazer investimentos futuros a partir 
das taxas de juros. Mas as informações sobre poupança são muitas vezes ignoradas pela 
mídia que em seu interesse de dominar a sociedade induzindo ao consumo e a uma linha 
ideológica centralizada pela mídia para que não haja debates de pensamentos entre os 
indivíduos, assim fica mais fácil abranger sua dominação, ou seja impondo regras de 
etiqueta e costumes para que a população mais limitada entre nessas tendências a partir 
consumo. 
 As classes sociais mais baixas estão comprando cada vez mais, e não por 
necessidade e sim para mostrarem que podem ter bens que satisfazem seus desejos de terem 
uma roupa de marca famosa, uma tv de última geração, um celular entre outros bens. 
 O ser humano está cada vez mais vulnerável e a mídia está percebendo isso 
colocando em suas propagandas, produtos que não são necessários para a sobrevivência, 
com isso a dívida do brasileiro está aumentando cada dia mais devido ao excessivo número 
de compras com cartão de crédito que as pessoas erroneamente acham que é dinheiro e 
você só está adiantando uma dívida para frente e existem as taxas de juros que aumentam 
significativamente as dívidas. Os gastos estão cada vez mais excessivos e as propagandas 
com taxas menores e maiores prazos para as parcelas serem quitadas, com essas escolhas a 
população fica com o orçamento comprometido e muitas vezes deixam de pagar essas 
dívidas, com o passar do tempo ficam mais altas, e muitas vezes impossível de se pagar ,e 
seus nomes vão para serviços de proteção ao crédito. 
 A influencia vem crescendo muito nos últimos anos , principalmente após a 
criação de programas por parte do governo que estimulam as compras, voltando ao poder