Sociologia = Oligopólio das mídias no Brasil
8 pág.

Sociologia = Oligopólio das mídias no Brasil


DisciplinaSociologia21.865 materiais268.295 seguidores
Pré-visualização3 páginas
ao vivo para ajudar as vítimas dessas tragédias, e 
diante de seu poder de convencimento somado ao fato social ter um forte apelo emocional, 
as doações começam a surtir um efeito positivo, em pouco tempo eles conseguem 
reconstruir e ajudar financeiramente esses indivíduos. Nesse sentido abrangemos o fato da 
comoção ou seja o povo fica perplexo e ao mesmo tempo emocionado devido a esse fato 
social, a partir desse momento a uma união gerada por esse fato que podemos compreender 
como a mídia tem um forte poder de dominar uma classe ou várias usando o lado 
emocional. 
 \u201cA imprensa nativa não gosta de debater o jornalismo brasileiro, e há mesmo \u201ccerta resistência 
da parte dos jornalistas em admitir a legitimidade da análise de mídia\u201d. Marcus Figueiredo (Iesp-Uerj) 
 Vejamos essa citação acima, o jornalismo e a mídia brasileira em geral, quando 
vão noticiar algum fato social, seja de grande ou pequena repercussão não gera um debate 
de opiniões, no contexto ajuda a população a discernir melhor a notícia do seu ponto de 
vista e elaborar seus argumentos sem manipulação para privilegiar um grupo social. Por 
isso há manipulação da mídia em fatos sociais que há grandes repercussões, temos grandes 
exemplos de fatos sociais que são manipulados até serem divulgados para não manchar a 
imagem de um indivíduo influente e com um capital alto, muitas vezes patrocina eventos 
dessas grandes corporações de mídias. 
 Devido a esses fatos a credibilidade vem caindo, no entanto o poder sobre a 
população continua amplo e difícil aceitação, onde a mídia coage o indivíduo a seguir uma 
linha ideológica proposta e imposta por esses meios de comunicação. 
 Chegamos a uma conclusão que nos deixa cada vez mais complexos, o poder que 
a mídia tem sobre o indivíduo é cada vez maior, quando sai uma notícia de grande impacto 
social há uma imposição de forma abstrata no tom que a notícia é anunciada que a pessoa 
sem perceber vai ao encontro de uma determinada ideologia. A partir disso começamos a 
perceber a elevação no consumo de bens e produtos de beleza devido a grande condição de 
informação e propagandas que passam diariamente na mídia. 
 As propagandas são colocadas em intervalos de novelas, onde há um número 
maior de telespectadores e assim fica dinâmico e abrangente as propagandas de carros, 
casas, móveis e com isso coagir fica fácil, pois há um enorme apelo para financiamentos e 
as próprias frases da propaganda que induzem ao consumo como uma tradicional\u201d ter seu 
carro nunca foi tão fácil\u201d e isso reflete na mente humana, A partir desse momento o 
indivíduo faz um plano e vai comprar um bem, mesmo que isso lhe comprometa parte de 
sua renda por 24 ou mais meses. O poder de convencer o indivíduo é uma das grandes 
jogadas da mídia, sabendo que as classes mais baixas são mais frágeis intelectualmente e 
são dominadas e manipuladas facilmente, Usam essas propagandas tendenciosas para 
estimular o consumo nessas classes, na minha visão deveria haver uma educação financeira 
e socióloga nos primeiros anos de escola para haver um desenvolvimento social. Assim 
haveria um desenvolvimento mais amplo e uma educação financeira que estimule a 
poupança ou a um investimento seguro. 
 Assim chegamos a uma conclusão que o consumo sem limites pode ser muito 
prejudicial ao indivíduo, cada vez mais endividado e com orçamento limitado, Com um 
pouco mais de informação e não ser induzido facilmente, suas contas iriam estar em dia e 
seu nome limpo. Mas a mídia está para nos ajudar a evoluir e a ter argumentos próprios. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 Bibliografia 
http://www.cartacapital.com.br/revista/765/a-globo-queria-o-monopolio-1295.html 
http://elo.com.br/portal/colunistas/christianelima/ver/230989/a-midia-em-nossas-vidas-info
rmacao-ou-manipulacao-.html 
 
http://www.observatoriodaimprensa.com.br/news/view/_ed752_a_derrocada_do_monopoli
o_da_televisao 
Introdução a economia Pág 349- Oligopólio Cencage Learning \u2013 N Gregóry Mankiw