Minimonografia do curso de Engenharia Física
69 pág.

Minimonografia do curso de Engenharia Física


DisciplinaEngenharia Fìsica10 materiais534 seguidores
Pré-visualização17 páginas
[1] )
No mundo atual está difícil definir um profissional diretamente vinculado a uma profissão. Em poucos anos muitas
novas profissões deverão surgir e não é mais possível formar um indivíduo na universidade para exercer determinada
função. Deve-se sim, formar um indivíduo para exercer funções novas. Para isso ele deve estar preparado para aprender.
Uma formação básica solida e atualizada, adquirida na universidade, servirá de base ao profissional para que ele
aprenda a aprender. Para atender essa nova demanda de profissionais que a sociedade/mundo está exigindo, que o
ensino sofra modificações profundas nos conceitos do que é ensinar e/ou aprender. Os alunos e os professores devem
formar uma equipe para atuarem nesse novo processo de aprendizado. Os professores devem entender que o modelo em
que bastava o educador ficar na frente da sala de aula passando informações ou experiências vividas, não pode
continuar. Também os alunos, que antes atuantes passivos deverão atuar de uma forma mais ativa querendo aprender.
Foi nesse período de transformações que teve inicio o curso de Engenharia Física (EF) na UFSCar (Araújo Moreira
F.M, Póvoa. J.M, [2]). Esse curso foi criado visando formar um profissional mais capacitado a acompanhar as
mudanças que estão ocorrendo na sociedade. Acreditamos que muito há por ser feito, e esperamos contribuir com uma
pequena parcela na formação adequada de profissionais para o mercado atual e futuro.
Para que alunos e professores possam atuar como equipe/parceiros, necessitamos minimamente conhecê-los. Em parte,
estamos fazendo isso desde o seu primeiro dia na universidade, através de um contato bastante intenso, em particular
nas disciplinas oferecidas pelo Departamento de Física (Póvoa, J.M, Araújo Moreira, F.M [3]). Este é um privilégio
desse curso pois o aluno já inicia cursando disciplinas no departamento responsável pelo curso.
Acreditamos que esse contato com os alunos nos permitirá diagnosticar possíveis problemas desde os primeiros
semestres do curso, os quais procuraremos em conjunto, resolvê-los da melhor forma possível.
Procurando conhecer um pouco mais nossos estudantes iniciamos neste ano (2
o
 ano de existência do curso) um processo
de busca de mais informações sobre eles. Para isso estamos acompanhando a pontuação e classificação no exame
seletivo para ingresso no curso, assim como também fazendo uma série de perguntas que, acreditamos, poderá nos
auxiliar no bom desenvolvimento do curso.
2. ALGUNS DADOS DO EXAME SELETIVO.
Analisando a pontuação geral e a classificação dos alunos que estão cursando EF percebemos pela dispersão da
classificação que os primeiros classificados conseguiram aprovação em outras Universidades/cursos. Oferecemos 30
vagas e como pode ser visto na figura 1 e 2 a maioria dos alunos que estão cursando EF obtiveram classificação entre
20
o
 e 80
o
 tanto no ano 2000 (figura 1) quanto 2001 (figura 2). Esses dados nos levam a concluir que os alunos
classificados nos primeiros lugares optaram, por diferentes motivos, por outras Universidades/cursos. No último exame
seletivo dos 27 cursos da UFSCar os únicos a fazerem uma segunda chamada foram os cursos de Engenharia Física e
Engenharia de Computação, todos os outros 25 cursos preencheram suas vagas na primeira chamada. A grande maioria
dos alunos classificados que optaram por outros cursos estão cursando-os na USP/Poli, ITA, UNICAMP, etc.
Comparando os gráficos mostrados nas figuras 1 e 2 percebe-se um aumento na nota de corte. No ano de 2000 a
pontuação do último colocado chamado para o curso foi de 164,5 pontos e em 2001 foi de 189,5 pontos. Esse aumento
pode ter sido, pelo menos em parte, devido ao aumento da procura pelo curso. Em 2000 essa demanda foi de 16,3
candidatos por vaga e em 2001 foi de 21,2 candidatos por vaga, número esse que fez com que o curso de Engenharia
Física ficasse em segundo lugar dentre as Engenharias da UFSCar, ficando atrás somente da Engenharia de
Computação.
Analisando esse breve apanhado pode-se ter uma idéia do aluno que procura e está cursando Engenharia Física na
UFSCar.
APP - 132
Fig. 1 \u2013 Pontuação e classificação dos alunos que ingressaram em Engenharia Física em 2000
Fig. 2 \u2013 Pontuação e classificação dos alunos que ingressaram em Engenharia Física em 2001.
Pontuação dos Alunos Ingressantes em 2000
0.0
20.0
40.0
60.0
80.0
100.0
120.0
140.0
160.0
180.0
200.0
220.0
240.0
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29
Pontuação
Classificação
Alunos Ingressantes em 2001
0.0
20.0
40.0
60.0
80.0
100.0
120.0
140.0
160.0
180.0
200.0
220.0
240.0
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30
Pontuação
Classificação
APP - 133
3. CONHECENDO UM POUCO MAIS NOSSOS ALUNOS
Nessa parte do trabalho, baseamo-nos na experiência do curso de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de
Santa Catarina (Bazzo W. A, Pereira L.T. [4]). Fizemos uma série de perguntas aos alunos que ingressaram no curso
afim de conhece-los um pouco mais.
Das duas turmas existentes observamos que as respostas às questões são bastante semelhantes. Dessa forma
apresentaremos os resultados de uma forma geral, não especificando se o ano de ingresso foi 2000 ou 2001.
Muitas das perguntas que fizemos aos alunos já nos têm sido feitas por alunos do ensino médio através de e-mail e/ou
em palestras realizadas sobre o curso nas escolas ou feiras de vestibulares da região.
Do questionário apresentado, selecionamos algumas questões mais relevantes.
A primeira pergunta que fizemos foi: \u201cPor que você escolheu fazer Engenharia Física?\u201d
Em torno de 40% dos alunos disseram que é por gostar de física mas, por não quererem fazer (ou os pais não
quererem que façam) o curso de física, e o curso de Engenharia Física foi a opção de se fazer engenharia e estudar a
física que gostariam.
57% acharam que é pelo desafio de fazer um curso novo no Brasil;
86% acharam que é por ser um curso com um enfoque um pouco diferente;
e 87% acharam que é por acreditar que o curso poderá propiciar uma formação mais condizente com a realidade que
o mercado está exigindo.
Esses dados mostram como os jovens estão em busca de cursos diferentes na esperança de que essa diferença possa
contribuir para seu futuro.
A grande maioria (mais de 80%) não tiveram influência dos pais e/ou professores na escolha do curso.
Isso pode caracterizar uma certa independência do jovem atual na escolha do curso que será a base para sua vida
profissional.
Perguntamos; \u201c quais as expectativas deles sobre o curso?\u201d.
74% acham que estão fazendo um curso bom e só 10% já pensaram em mudar de curso.
97% acreditam que o curso está ou vai oferecer uma boa bagagem de conhecimentos para sua vida profissional.
60% estão achando o curso muito difícil e 62% acham que não conseguirão concluir o curso em 5 anos. Essa é uma
das características do curso de Engenharia Física não só na UFSCar, mas em todo o mundo. Geralmente os cursos de EF
são mais difíceis do que a maioria dos cursos de Engenharia.
Para sabermos sobre a divulgação do curso perguntamos; \u201cOnde você se informou sobre o curso?\u201d
Para a nossa surpresa a maioria (76%) se informou sobre o curso através do manual do candidato e só 17% obtiveram
informações de outros cursos de Engenharia Física no exterior.
Esse dado nos preocupa, pois, poucos alunos procuraram informações sobre o curso fora do Brasil. Na realidade, no
mundo existem variações nos cursos de Engenharia Física. Por exemplo, em particular em Portugal, a maioria dos
cursos de Engenharia Física é bastante semelhante aos nossos cursos de Engenharia de Materiais.
Algumas perguntas que fizemos visavam uma auto avaliação dos alunos sobre sua