2014310_161828_Aula+5+-+REFERÊNCIAS+BIBLIOGRÁFICAS+e+fichamento
2 pág.

2014310_161828_Aula+5+-+REFERÊNCIAS+BIBLIOGRÁFICAS+e+fichamento


DisciplinaLtp I17 materiais40 seguidores
Pré-visualização1 página
\ufffd
CURSO: CIÊNCIAS CONTÁBEIS - 1° período
DISCIPLINA: Leitura e produção de textos I
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
NORMAS DA ABNT
SOBRENOME (caixa alta) do(s) autor(es), Nome ou apenas as iniciais (sem destaque) do(s) autor(es). Título (destacado em negrito ou itálico ou sublinhado: subtítulo (sem destaque). Número da edição. Local: Editora, ano de publicação, páginas (início-fim das páginas, quando for o caso de artigo de Livro, Coletânea, Revista, Anais de Congressos, etc.).
EXEMPLOS:
1. Livro com um autor:
SANTOS, B. de S. Pela mão de Alice: o social e o político na pós-modernidade. 2ed.São Paulo: Cortez, 1995.
2. Livro com dois autores:
VEIGA, I.P.A.; CASTANHO, M.E.L.M. Pedagogia universitária: a aula em foco. Campinas, SP: Papirus, 2000.
3. Livro com três autores ou mais:
AZEVEDO, J. C. et al (org.). Utopia e democracia na educação cidadã. Porto Alegre: Ed.Universidade/UFRGS/Secretaria Municipal de Educação, 2000.
4. Monografias, Dissertações de Mestrado ou Teses de Doutorado:
LELIS, Ivan A.O.M. A polissemia do magistério: entre mitos e história. 1993. Tese (Doutorado em Educação) \u2013 Pontifícia Universidade Católica, Rio de Janeiro.
5. Capítulo de livro, monografia etc.:
ARROYO, Mariza. Conversas sobre o ofício de mestre. In: ______. Ofício de mestre: imagens e auto-imagens. Petrópolis \u2013 RJ: Vozes, 200, p.17-26.
SCHON, D. A. Formar professores como profissionais reflexivos. In: NÓVOA, A. (org.). Os professores e a sua formação. 3.ed. Lisboa: Dom Quixote Ltda, 1997, p. 77-92.
6. Autor entidade ou instituição:
BRASIL. Ministério da Educação e Cultura. Estatísticas da Educação Nacional 1960-1971. Brasília, 1972.
7. Artigo de Revista:
NUNES, C. Formação docente no Brasil. Teias: Revista da Faculdade de Educação/UERJ, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, p. 16-30, jan./jun. 2000.
8. Artigo de Jornal:
CHAUÍ. Maria Helena. A universidade operacional. Folha de São Paulo, São Paulo, 09 de maio de 1999, Caderno Mais!, p.3-5.
9. Documentos em meio eletrônico:
GOMES, P. A. Ambivalência da sociedade da informação. Ciência da Informação, Brasília, v.29, n°2, mai/ago. 2000. Disponível em http://www.scielo.br. Acesso em: 06 jun. 2009. 
10. Decreto, Parecer, Resolução:
BRASIL. Presidência da República. Decreto n° 3.276, 06 de dezembro de 1999. Dispõe sobre a formação de professores para atuar na educação básica e dá outras providências. Brasília, 1999.
FICHAMENTO
\u201cFICHAMENTO\u201d é uma forma de investigação que se caracteriza pelo ato de fichar (registrar) todo o material necessário à compreensão de um texto ou tema. Para isso, é preciso fazer anotações em fichas ou pastas no computador que facilitam a consulta e a execução do trabalho. Não só, mas é também uma forma de estudar / assimilar criticamente os textos / temas de sua formação acadêmico-profissional. 
Deve-se ter o cuidado de sempre colocar entre aspas qualquer informação que seja uma citação, isto é, uma cópia direta de qualquer trecho escrito por outra pessoa. Entretanto, se a anotação na ficha for redigida com suas palavras, não se usam aspas, mas será necessária uma indicação entre parênteses de que é uma síntese própria, indicando, também, o autor, a obra e as páginas que foram resumidas.
Existem dois tipos de fichamentos, que podem vir juntos na mesma ficha ou serem feitos em fichas separadas:
Bibliográfico (assunto e autor)
Conteúdo (resumo e cópia-citação)
Alguns autores de técnica de ensino acrescentam mais dois tipos de fichas de conteúdo: 3. Comentário; 4. Ideação. Mas, sugerimos aqui, que esses dois tipos venham inseridos nos modelos de fichamento citados anteriormente. O interessante é que um único tipo de ficha (ou fichamento) inclua as diversas modalidades de apuração de investigação acadêmica.
Para se elaborar um fichamento, em primeiro lugar deve-se apresentar objetivamente as ideias do autor (resumo e citação), em seguida deve-se discutir de modo pessoal as ideias fichadas (comentário e ideação), não esquecendo a indicação bibliográfica.
Em outras palavras, um fichamento completo deve apresentar os seguintes dados:
1) Indicação bibliográfica - mostrando a fonte da leitura.
2) Resumo - sintetizando o conteúdo da obra. Trabalho que se baseia no esquema (na introdução , pode-se fazer uma pequena apresentação histórica ou ilustrativa).	.
3) Citações - apresentando as transcrições significativas da obra.
4) Comentários - expressando a compreensão crítica do texto, baseando-se ou não em outros autores e outras obras.
5) Ideação - colocando em destaque as novas ideias que surgiram durante a leitura reflexiva.