Dicionário de Psicologia - RAÚL MESQUITA, FERNANDA DUARTE
217 pág.

Dicionário de Psicologia - RAÚL MESQUITA, FERNANDA DUARTE


DisciplinaPsicologia57.564 materiais424.458 seguidores
Pré-visualização50 páginas
normativa, ciência -- Toda a ciência que procura estabelecer ---@ normas, 
padrões. 
 normativo, método -- Estabelecem normas para o desenvolvimento. Estes 
métodos recorrem a -> testes e analisam estatisticamente (v. --> 
estatí stica) os seus resultados, por exemplo, quando se comparam 
níveis de desenvolvimento em crianças de vários países. Estes 
métodos, apesar de estabelecerem normas, admitem pequenas 
diferenças individuais. 
 nosofobia -- Medo exagerado de contrair uma doença específica ou doenças 
de um modo geral (v. -@ hipocondria). 
 nosologia -- Classificação sistemática de doenças. 
 NREM -- (ing. Non-Rapid Eye Movement) Fase do ---> sono caracterizada por 
uma ausência de movimentos oculares rápidos (cf. -4 REM). 
 obesidade -- Excesso de peso. Pode ter causas tanto fisiológicas como 
psicológicas, que podem ir desde o simples facto de comer de mais 
(obesidade exógena) a problemas endócrinos (obesidade endógena), 
passando por problemas genéticos (v. --> genética), do -4 hipotdIamo 
ou hormonais (v. -> hormona). 
 objectiva, psicologia -- Psicologia científica que só aceita factos que possam 
ser sujeitos a medições físicas, Í .. e., objectivas, com exclusão da -> 
introspecção. O --- > behaviorismo é um exemplo deste tipo de 
psicologia. O experimentador submete-se aos factos e tenta pôr de 
lado quaisquer aspectos de ordem pessoal, tais como preferências ou 
gostos. Outras características de uma psicologia objectiva e do --> 
método experimental são a sistematicidade - o método mantém-se 
inalterável seja qual for o objecto de cada pesquisa experimental e o 
trabalho do psicólogo é guiado por projectos precisos que o orientam 
para o estudo de objectos específicos; a repetição - ao usar o método 
experimental, o experimentador deverá estar consciente da 
possibilidade de repetir uma mesma experiência e de chegar às 
mesmas conclusões, o que lhe permitirá efectuar previsões e, 
finalmente, o controlo - ao prever comportamentos, o psicólogo 
estará apto a controlá-los. O controlo deve ser experimental, 
assegurado por verificações empíricas. 
 objecto, permanência do -- Segundo -> Piaget, o conceito de objecto só se 
desenvolve na criança quando esta percebe que os objectos são 
permanentes, que continuam a existir quer estejam presentes ou 
não. 
 observação -- É um -> método em Psicologia. A observação é directa porque 
observam-se directamente os participantes, podendo as condições da 
observação ser fixadas ou não pelo experimentador. A observação 
científica é a procura da resposta para uma questão. Para se realizar 
uma observação científica dever-se-á descrever o fenómeno e 
verificar todas as características que ajudem a compreendê-lo, 
verificar as circunstâncias a que deve a sua existência e verificar os 
resultados que poderá produzir. O observador tem pois à sua frente 
uma tarefa semelhante à do experimentador, pois a questão posta de 
início nada mais é que uma hipótese, à qual se seguirá um controlo 
de ---> variáveis durante a observação, sendo o objectivo a 
generalização dos resultados. 
 observação, dificuldades de -- Algumas das dificuldades da ---> observação 
são a -> percepção (erros de percepção), a -> motivação do 
observador, as observações simultâneas (uma vez que há um 
número limite de factos que se podem percepcionar 
simultaneamente) bem como a própria presença do observador. 
 observação não participante -- A observação pode ser oculta quando se 
observam grupos pequenos. O observador não se mostra, 
recorrendo, por exemplo, a painéis transparentes apenas num 
sentido (one way screens) ou a circuitos fechados de televisão com 
um sistema de teleobjectivas colocadas em lugares estratégicos e 
bem camufladas. Esta forma de observar é um exemplo da 
observação não participante. É muito útil, por exemplo, em casos de 
escolha de candidatos para lugares-chave em empresas pois o 
observador pode estudar em pormenor cada atitude dos elementos a 
observar. 
 observação participante -- Os casos em que o observador, embora presente, 
assume o papel de espectador anónimo são os casos intitulados em 
Psicologia, de observação-participação; noutros, o observador, para 
além de estar visivelmente presente, participa activamente na 
situação que pretende observar, por exemplo, numa aula fingindo 
ser aluno e comportando-se como tal. De qualquer modo, o grupo 
estudado terá dificuldade em aceitar o observador como sendo um 
deles pelo que a --@ observação fica, de certo modo, condicionada. 
Esta forma de observação, mais comum que a referida 
anteriormente, tem o nome de participação-observação. 
 observação, registo dos dados da -- Algumas das técnicas de registo 
sistemático dos dados da --- > observação são, por exemplo, a 
electrodermografia que serve para analisar os potenciais eléctricos 
cutâneos, a electromiografia, técnica que consiste em medir níveis de 
potencial eléctrico muscular, a electroencefalografia (v. -> 
electroencefalograma) que avalia a actividade eléctrica cerebral, os 
osciloscópios, aparelhos usados no estudo das oscilações eléctricas e 
de fenómenos que nelas se possam transformar. 
 obsessão -- Permanência de uma ideia/ /preocupação. 
 ocupacional, terapia -- Tratamento de perturbações mentais ou de 
inadaptações através de actividades artísticas, desportivas, manuais 
ou recreativas (cf. ---> ergoterapia). 
 ofidiofobia -- Pavor de cobras, bastante comum. Na --> psicanálise, as cobras 
são associadas à ---> libido, havendo também antropólogos que 
associam as cobras à alma e ao cosmos. 
 oligofrenia -- (do gr. oligos, pouco, pouca quantidade) Designação geral para 
distúrbio psíquico. 
 onanismo ---> Coito interrompido, mas também usado vulgarmente com o 
sentido de masturbação. 
 ondinismo -- urofilia. 
 onírico -- (adj.) Referente ao sonho. 
 ontogénese -- Conjunto de processos do desenvolvimento individual que se 
iniciam com a fecundação e que decorrem ao longo da vida, embora 
os mais importantes (maturação biológica e psicológica) culminem 
quando o indivíduo atinge a idade adulta. V. 
- período crítico. 
 operatório, pensamento -- Referente aos dois últimos ---> estádios da 
psicologia do ---> desenvolvimento de --> Piaget: o das operações -> 
concretas e o das operações ---> formais. opiáceo -- Composto 
químico que inclui substâncias sintéticas, semi-sintéticas ou 
naturais derivadas do -> ópio, por exemplo, -> morfina, --> heroína, 
codeína e -> metadona. 
 ópio -- Suco extraído das cápsulas de uma papoila (papaver somniferum) a 
partir do qual se podem obter substâncias --@ psicotrópicas como a 
-> heroína, ---> morfina e ---@ metadona. Como todos os ---@ 
opiáceos, o ópio é um psicotrópico que se utiliza para obter alguma 
forma de anestesia e euforia, causando dependência psíquica e 
física. Todavia, é raramente consumido pelos toxicodependentes 
actuais no mundo ocidental que preferem os opiáceos mais 
concentrados e violentos como a -> heroína. 
 oral, fase -- Segundo S. --@ Freud, prolonga-se pelos primeiros dois anos de 
existência. A boca é a zona erógena, sendo a sucção o modo de 
obtenção do prazer. Cf. fases --- > anal, ---@ fálica, genital e de -> 
latência. 
 Orbisson, ilusão de -- V. ---> ilusão perceptiva organismo -- 1. Tudo o que é 
organizado, que tem uma organização. 2. Em psicologia, os 
organismos vivos, ou melhor, os --.> indivíduos homens e animais. 
 organizacional, psicologia -- Ramo da psicologia -> social aplicada às 
organizações empresariais. Nomeada inicialmente por psicologia 
industrial com o taylorismo (v. ---> Taylor), passou a ter esta nova 
designação pelo interesse crescente