A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
112 pág.
Aula 03

Pré-visualização | Página 18 de 34

Outro instrumento importante nos consórcios é o contrato de programa. Já 
foi mencionado o contrato de consórcio púbico, que institui o consórcio, e o 
contrato de rateio, que é utilizado para a transferência de recursos pelos entes 
consorciados. O contrato de programa é diferente desses dois, com objetivos 
CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA P/ AFRFB E AFT 
PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 
Prof. Rafael Encinas www.pontodosconcursos.com.br 54 
 
diferentes. Sua existência, inclusive, é independente do consórcio, pois pode 
ser firmado entre entes não consorciados, como num convênio de cooperação. 
Segundo a Lei: 
Art. 13. Deverão ser constituídas e reguladas por contrato de programa, 
como condição de sua validade, as obrigações que um ente da Federação 
constituir para com outro ente da Federação ou para com consórcio público 
no âmbito de gestão associada em que haja a prestação de serviços 
públicos ou a transferência total ou parcial de encargos, serviços, pessoal 
ou de bens necessários à continuidade dos serviços transferidos 
Assim, todas as obrigações que um ente tiver com outro na gestão associada 
de serviços públicos deverão ser descritas no contrato de programa. 
Por exemplo, determinado município celebra convênio de cooperação com o 
governo estadual para que a empresa estadual de saneamento seja 
responsável pela prestação de serviços públicos de abastecimento de água e 
de esgotamento sanitário, que é uma das competências comuns previstas no 
art. 23 da CF88. Assim, ao invés dos dois entes prestarem o serviço 
separadamente, podem optar pela gestão associada. 
Eles assinarão então o contrato de programa, em que serão reguladas as 
obrigações de um ente em relação ao outro e a transferência de encargos, 
serviços, pessoal ou bens necessários à continuidade dos serviços transferidos. 
O contrato de programa pode ser celebrado também com entidades da 
administração indireta dos entes federados conveniados ou consorciados. 
Importante destacar ainda que a lei veda a transferência ao contratado das 
competências de planejamento, regulação e fiscalização dos serviços por ele 
próprio prestados. 
O contrato de programa não seguirá as regras da Lei nº 8.666/1993, mas sim 
a legislação de concessões e permissões de serviços públicos e, especialmente 
no que se refere ao cálculo de tarifas e de outros preços públicos, à de 
regulação dos serviços a serem prestados, bem como deverá prever 
procedimentos que garantam a transparência da gestão econômica e financeira 
de cada serviço em relação a cada um de seus titulares. 
 
3 Pontos Importantes da Aula 
��� A desconcentração compreende o processo de distribuição de competência 
dentro da mesma pessoa jurídica, dentro da hierarquia. Já a 
descentralização envolve a existência de outra pessoa jurídica para quem 
é repassada determinada competência. 
CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA P/ AFRFB E AFT 
PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 
Prof. Rafael Encinas www.pontodosconcursos.com.br 55 
 
��� Agências Reguladoras: criadas no período de privatizações, são 
autarquias em regime especial porque são dotadas de maior autonomia e 
independência que as demais entidades. 
��� Contrato de Gestão: instrumento de gestão por resultados, busca ampliar 
a autonomia do gestor público com a contrapartida de maior 
responsabilidade pelo alcance de resultados. Dois tipos: dentro do poder 
público e com entidades privadas sem fins lucrativos. 
��� Agências Executivas: autarquias e fundações que exerçam atividades 
exclusivas de Estado, que tenham assinado um contrato de gestão e que 
apresentem um plano estratégico de reestruturação organizacional e 
desenvolvimento institucional podem receber essa qualificação para ampliar 
sua autonomia na gestão. 
��� O Brasil caracteriza-se por ser um Estado Federal. A CF88 realizou uma 
ampla descentralização política, transferindo autonomia e poder para os 
governos estaduais e municipais. No entanto, o federalismo brasileiro é 
descentralizado em termos fiscais, mas isso não é acompanhado pela 
descentralização de competências, principalmente nas políticas sociais, que 
foram definidas pela CF88 como de competência comum entre União, 
estados e municípios. 
 
4 Questões Comentadas 
1. (ESAF/SEFAZ-RJ/2010) Sobre a Parceria Público-Privada (PPP), assinale 
a opção correta. 
a) São modalidades de PPP a concessão patrocinada e a concessão de uso. 
b) É possível que o objeto do contrato de PPP seja atividade regulatória. 
c) A modalidade de licitação para a PPP é a concorrência, não se admitindo, 
portanto, a realização de lances em viva voz no processo licitatório. 
d) O prazo de vigência do contrato de PPP pode ser de até quarenta anos. 
e) Antes da celebração do contrato de PPP, deverá ser constituída sociedade 
de propósito específico, incumbida de implantar e gerir o objeto da parceria. 
A letra “A” é errada, é concessão patrocinada e administrativa. 
A letra “B” é errada, a atividade regulatória é exclusiva de Estado, é 
indelegável. 
A letra “C” é errada. Segundo a Lei 11.079/2004: 
CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA P/ AFRFB E AFT 
PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 
Prof. Rafael Encinas www.pontodosconcursos.com.br 56 
 
Art. 10. A contratação de parceria público-privada será precedida de 
licitação na modalidade de concorrência, estando a abertura do processo 
licitatório condicionada a: 
Art. 12. O certame para a contratação de parcerias público-privadas 
obedecerá ao procedimento previsto na legislação vigente sobre licitações e 
contratos administrativos e também ao seguinte: 
III – o edital definirá a forma de apresentação das propostas econômicas, 
admitindo-se: 
a) propostas escritas em envelopes lacrados; ou 
b) propostas escritas, seguidas de lances em viva voz; 
A letra “D” é errada. Segundo a Lei: 
I – o prazo de vigência do contrato, compatível com a amortização dos 
investimentos realizados, não inferior a 5 (cinco), nem superior a 35 (trinta 
e cinco) anos, incluindo eventual prorrogação; 
A letra “E” é certa. Segundo a Lei: 
Art. 9º Antes da celebração do contrato, deverá ser constituída sociedade 
de propósito específico, incumbida de implantar e gerir o objeto da parceria. 
§ 2º A sociedade de propósito específico poderá assumir a forma de 
companhia aberta, com valores mobiliários admitidos a negociação no 
mercado. 
Gabarito: E. 
 
2. (ESAF/ISS-RJ/2010) Sobre a organização da administração pública 
brasileira, é correto afirmar que: 
a) por serem qualificadas como autarquias de natureza especial, as agências 
reguladoras integram a administração direta. 
b) ao contrário do que ocorre em relação às autarquias, a lei não cria 
empresas públicas, apenas autoriza sua instituição. 
c) agências reguladoras e agências executivas são categorias de entidades 
pertencentes à administração indireta. 
d) a Constituição Federal veda, aos municípios, a criação de autarquias. 
e) no âmbito federal, as empresas públicas subordinam-se, 
hierarquicamente, aos ministérios a que se vinculem. 
CURSO ON-LINE – ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA P/ AFRFB E AFT 
PROFESSOR: RAFAEL ENCINAS 
Prof. Rafael Encinas www.pontodosconcursos.com.br 57 
 
A letra “A” é errada porque as agências reguladoras, assim como as autarquias 
comuns, fazem parte da administração INDIRETA. 
A letra “B” é certa. Segundo a CF88: 
XIX - somente por lei específica poderão ser criadas empresa pública, 
sociedade de economia mista, autarquia ou fundação pública; 
XIX – somente por lei específica poderá ser criada autarquia e autorizada a 
instituição de empresa pública, sociedade de economia mista e de fundação, 
cabendo à lei complementar, neste último caso, definir as áreas de sua 
atuação; 
Assim, autarquias e fundações públicas de direito público são criadas por lei. 
Fundações públicas de direito privado,