A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
186 pág.
inpermeabilizante

Pré-visualização | Página 1 de 5

Tecnologia das Construções II
Prof. Felipe Branco
Prof. Felipe Branco
Introdução
• A umidade sempre foi uma preocupação para o homem 
desde o tempo em que habitava as cavernas. 
• O homem primitivo passou a se refugiar em cavernas para 
proteger das chuvas, animais, frio. 
• Percebeu que a umidade 
ascendia do solo e penetrava
pelas paredes, o que tornava
a vida dentro delas insalubre.
Prof. Felipe Branco
Introdução
• Esses problemas fizeram com que o homem fosse sempre 
aprimorando seus métodos construtivos e isolando a sua 
habitação. 
• A água, o calor e a abrasão
foram e serão os mais ponderáveis 
fatores de desgaste e depreciação 
das construções
• A água em particular, dado o seu 
extraordinário poder de penetração.
Prof. Felipe Branco
Objetivos
• Impedir a passagem indesejável de águas, fluidos e vapores, 
podendo contê-los ou escoá-los para fora do local que 
necessitamos proteger.
• Aumentar a vida útil das estruturas;
• Impedir a corrosão das armaduras do 
concreto;
• Proteger as superfícies de umidade, 
manchas, fungos, etc.
• Preservar o patrimônio contra o 
intemperismo
Prof. Felipe Branco
Prof. Felipe Branco
Estatísticas
• Estimado em 2% a 3% do custo total de uma obra. 
• Responsável por 50% dos problemas em edificações
• Custo de Reparos: 
até 20% do custo total 
de um empreendimento
Prof. Felipe Branco
Custo
• Envolve quebra de pisos 
cerâmicos, granitos, 
argamassas, etc.
• Há também altos custos 
de recuperação estrutural quando ocorre o pré-
colapso estrutural, causado pela não correção das 
falhas em tempo hábil.
Prof. Felipe Branco
Consequências
• Quando não dada a devida importância, tem como 
conseqüência infiltração de água num primeiro 
instante seguido de uma serie de patologias como:
▫ corrosão de armaduras
▫ eflorescência
▫ degradação do concreto e argamassa
▫ empolamento e bolhas em tintas
▫ curtos circuitos
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Eflorescência causada pela presença de pressão hidrostática da caixa d'água
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Eflorescência devido à infiltração de água na fissura
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Carreamento de sais inorgânicos solúveis presentes no concreto.
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Cristalização dos sais provenientes da eflorescência
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
Prof. Felipe Branco
Eflorescência
• Causa: Umidade devido a infiltração 
• Origem: Má impermeabilização da Caixa D’água
• Reparo: Impermeabilizar internamente a Caixa D’água 
utilizando argamassa polimérica (Impermeabilização 
Rígida)
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Empolamento
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Empolamento
Descolamento com empolamento causado devido à infiltração de água,
descolando gradativamente a camada de revestimento do emboço.
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Empolamento
Descolamento causado devido à pressão hidroestática da caixa d'água. 
Observa-se a presença de fissura que futuramente ocasionará o descolamento total. 
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Empolamento
• Causa: Infiltração de água entre o reboco e o emboço 
• Origem: Má impermeabilização da Caixa D’água;
• Reparo: Refazer a camada de reboco, utilizando um 
aditivo impermeabilizante na argamassa;
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Pulverulência
Descolamento com pulverulência devido à argamassa fraca, com pouco 
aglomerante, ocasionando no esfarelamento da mesma.
Prof. Felipe Branco
Descolamento com Pulverulência
• Causa: Argamassa fraca, com pouco aglomerante na presença 
de umidade;
• Origem: Erro no traço da argamassa e má impermeabilização 
da Caixa D’água;
• Reparo: Renovar a camada de reboco;
Prof. Felipe Branco
Bolhas devido à Umidade
Bolhas formadas durante a vida útil da tinta, ocasionadas devido à percolação de 
água por osmose através da parede do banheiro.
Prof. Felipe Branco
Bolhas devido à Umidade
Verifica-se a ausência de revestimento cerâmico ou qualquer outro tipo 
de impermeabilização na parede interna do banheiro
Prof. Felipe Branco
Bolhas devido à Umidade
• Causa: Percolação de água por osmose através da parede do 
banheiro;
• Origem: Má impermeabilização do banheiro, que está 
constantemente em presença de vapor de água;
• Reparo: Substituição do reboco do banheiro por reboco com 
aditivo impermeabilizante ou aplicação de revestimento 
cerâmico com rejunte impermeabilizante;
Prof. Felipe Branco
Mofo
Mofo em ambiente úmido com pouca circulação de ar e pouco iluminado
Prof. Felipe Branco
Mofo
Prof. Felipe Branco
Mofo
Prof. Felipe Branco
Mofo
Mofo devido à falta de inclinação e pingadeira, 
resultando em um acúmulo de água localizado. 
Prof. Felipe Branco
Mofo
O ambiente úmido e com pouca insolação intensifica a proliferação de fungos. 
Prof. Felipe Branco
Corrosão de Armadura
Ocorrência de corrosão devido ao pouco cobrimento de concreto
Prof. Felipe Branco
Corrosão de Armadura
Corrosão da armadura no pilar da caixa d’água
Prof. Felipe Branco
Corrosão de Armadura
Corrosão por despassivação da armadura, ocasionando um aumento de volume da 
barra (porém com perda de seção) e desagregamento da camada de cobrimento
Prof. Felipe Branco
Corrosão da Tubulação de Incêndio
Prof. Felipe Branco
Corrosão da Tubulação de Incêndio
Prof. Felipe Branco
Corrosão da Tubulação de Incêndio
Prof. Felipe Branco
Onde Aplicar??
• Subsolos
• Playgrounds
• Cozinhas
• Banheiros
• Áreas de serviço
• Varandas
• Lajes descobertas
• Jardineiras
• Caixas d’água e cisternas
• Piscinas
• Calhas
• Terraços
• Marquises
• Coberturas
Prof. Felipe Branco
Prof. Felipe Branco
1. Projeto de Impermeabilização
• Deve fazer parte integrante dos 
projetos de uma edificação, como 
arquitetura, hidráulica
• A impermeabilização necessita ser 
estudada e compatibilizada com 
todos os componentes de uma 
construção, de forma a não sofrer 
ou ocasionar interferências.
Prof. Felipe Branco
2. Qualidades de Materiais e Sistemas
• Existem no Brasil diversos produtos 
impermeabilizantes, de qualidade e desempenho 
variáveis, de diversas origens e métodos de aplicação
• Deverão ter suas características 
profundamente estudadas para 
se escolher um adequado 
sistema de impermeabilização.
Prof. Felipe Branco
• produtos cancerígenos utilizados em 
impermeabilização de reservatórios, 
• produtos que sofrem degradação 
química do meio a que estão expostos, 
• produtos de baixa resistência a água,
• baixa resistência a cargas atuantes, 
• não suportam baixas ou altas temperaturas, 
• dificuldade ou impossibilidade de aplicação em determinados locais 
ou situações, 
• baixa resistência mecânica, etc.
2. Qualidades de Materiais e Sistemas
Prof. Felipe Branco
3. Qualidade da Execução
• Por melhor que seja o material ou o sistema de 
impermeabilização, de nada adianta se o mesmo e aplicado 
por pessoa não habilitada 
Prof. Felipe Branco
3. Qualidade da Execução
• Deve-se sempre recorrer a equipes 
especializadas 
▫ A mesma devera ter conhecimento do projeto 
de impermeabilização; 
▫ ser recomendado pelo fabricante do material; 
▫ possua equipe técnica e suporte financeiro 
compatível com o porte da obra;
▫ que ofereça garantia dos serviços executados, 
etc.
Prof. Felipe Branco
4. Qualidade da Construção da Edificação
• A impermeabilização deve sempre ser