A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
A IMPUGNAÇÃO DOS CRÉDITOS HABILITADOS À LUZ DA LEI 11.101

Pré-visualização | Página 2 de 5

do art. 7o desta Lei.	 Parágrafo único. Caso, na data da publicação da relação de que trata o caput deste artigo, não tenha sido publicado o aviso previsto no art. 53, parágrafo único, desta Lei, contar-se-á da publicação deste o prazo para as objeções.]
Vale ressaltar que o administrador judicial será profissional idôneo nomeado pelo juiz falimentar, preferencialmente advogado, economista, administrador de empresas ou contador, ou pessoa jurídica especializada.
No caso da Falência, o prazo também é de 15 (quinze) dias para os credores apresentarem suas habilitações (se ainda não habilitados) e divergências sobre as informações constantes na verificação feita pelo Administrador Judicial.
Após o prazo de 15 (quinze) dias, tanto na falência, quanto na recuperação judicial, contando da publicação do primeiro Edital, fará publicar novo Edital, em 45 (quarenta e cinco) dias, contendo a relação de todos os credores habilitados. Este segundo edital, conterá o local, horário e o prazo comum, para que o Comitê de Credores, qualquer credor, o devedor e o Ministério Público Estadual (MPE), tenham acesso a todos os documentos juntados e sistematizados pelo Administrador Judicial, relativos à recuperação judicial ou à falência, conforme artigo 7º, parágrafo 2º da Lei 11.101.[10: 	   Art. 7o A verificação dos créditos será realizada pelo administrador judicial, com base nos livros contábeis e documentos comerciais e fiscais do devedor e nos documentos que lhe forem apresentados pelos credores, podendo contar com o auxílio de profissionais ou empresas especializadas. 	§ 2o O administrador judicial, com base nas informações e documentos colhidos na forma do caput e do § 1o deste artigo, fará publicar edital contendo a relação de credores no prazo de 45 (quarenta e cinco) dias, contado do fim do prazo do § 1o deste artigo, devendo indicar o local, o horário e o prazo comum em que as pessoas indicadas no art. 8o desta Lei terão acesso aos documentos que fundamentaram a elaboração dessa relação.][11: MORAES, Francisco de Assis Basilio. Manual de Direito Falimentar. Niterói-RJ. Impetus, p. 107, 2013.]
O artigo 9º da Lei 11.101 informa os requisitos para a habilitação judicial na recuperação judicial ou na falência, no qual deve conter o nome, o endereço do credor e o endereço em que receberá comunicação de qualquer ato do processo. Deve conter o valor do crédito, atualizado até a data da decretação da falência ou do pedido de recuperação judicial, sua origem e classificação. Deve conter também os documentos comprobatórios do crédito e a indicação das demais provas a serem produzidas. Indicar a garantia prestada pelo devedor, se houver, o respectivo instrumento. Especificar o objeto da garantia que estiver na posse do credor. Caso o credor não cumpra com os requisitos para a habilitação do crédito, o juiz deverá indeferir a sua habilitação.[12: Lei nº 11.101 de 09 de fevereiro de 2005 (Lei de Falência). Disponível em: <http://www.planalto.gov.br/ccivil_03_ato2004-2006/2005/lei/l11101.htm]
Ao ser publicado o segundo edital, o Comitê de Credores, qualquer credor, o devedor e o Ministério Público Estadual, poderão impugnar a relação dos credores, apresentando ao juízo falimentar ou de recuperação, petição que será autuada em separado. Esta impugnação poderá versar apenas sobre a ausência de qualquer crédito, a legitimidade do credor, o valor do crédito e a classe do crédito.[13: MORAES, Francisco de Assis Basilio. Manual de Direito Falimentar. Niterói-RJ. Impetus, p. 108, 2013.]
O prazo para apresentar a impugnação é de 10 (dez) dias contados da data de publicação do segundo edital, conforme artigo 8º da Lei 11.101. Após o término do prazo, os credores cujo os créditos foram impugnados, terão 05 (cinco) dias para apresentarem sua contestação, podendo juntar documentos necessários e requisitar produção de provas para elucidar a questão, conforme o disposto no artigo 11 da Lei de Falência. Passado este prazo para os credores impugnados se manifestarem, o juízo de recuperação ou falimentar intimará o devedor e o Comitê, para se manifestarem no prazo comum de 05 (cinco) dias, conforme artigo 12 da lei 11.101. Então, ao final do prazo, o juízo determinará que o Administrador Judicial, apresente em 05 (cinco) dias o parecer e junte mais documentos e informações sobre a questão. Se não houver impugnações, o juiz homologará o Quadro Geral de Credores e dispensará a publicação de um novo edital.[14:  Art. 8o No prazo de 10 (dez) dias, contado da publicação da relação referida no art. 7o, § 2o, desta Lei, o Comitê, qualquer credor, o devedor ou seus sócios ou o Ministério Público podem apresentar ao juiz impugnação contra a relação de credores, apontando a ausência de qualquer crédito ou manifestando-se contra a legitimidade, importância ou classificação de crédito relacionado.  Parágrafo único. Autuada em separado, a impugnação será processada nos termos dos arts. 13 a 15 desta Lei.][15:  Art. 11. Os credores cujos créditos forem impugnados serão intimados para contestar a impugnação, no prazo de 5 (cinco) dias, juntando os documentos que tiverem e indicando outras provas que reputem necessárias.][16:     Art. 12. Transcorrido o prazo do art. 11 desta Lei, o devedor e o Comitê, se houver, serão intimados pelo juiz para se manifestar sobre ela no prazo comum de 5 (cinco) dias. Parágrafo único. Findo o prazo a que se refere o caput deste artigo, o administrador judicial será intimado pelo juiz para emitir parecer no prazo de 5 (cinco) dias, devendo juntar à sua manifestação o laudo elaborado pelo profissional ou empresa especializada, se for o caso, e todas as informações existentes nos livros fiscais e demais documentos do devedor acerca do crédito, constante ou não da relação de credores, objeto da impugnação.][17: MORAES, Francisco de Assis Basilio. Manual de Direito Falimentar. Niterói-RJ. Impetus, p. 109, 2013.]
Após, o juiz prolatará a decisão interlocutória, na qual irá decidir acerca das impugnações, cabendo agravo de instrumento, conforme elucidado no artigo 17 da lei falimentar[18:  Art. 17. Da decisão judicial sobre a impugnação caberá agravo.]
3 AS IMPUGNAÇÕES AO QUADRO GERAL DE CREDORES
O quadro geral de credores é composto pela relação nominal de credores, onde é discriminado o valor atualizado e a devida classificação de cada crédito respectivo, conforme dispõem os artigo 52, § 1º, inciso II e 99, inciso II e § único da Lei 11.101/05:
Art. 52. Estando em termos a documentação exigida no art. 51 desta Lei, o juiz deferirá o processamento da recuperação judicial e, no mesmo ato:
 § 1o O juiz ordenará a expedição de edital, para publicação no órgão oficial, que conterá:
 II – a relação nominal de credores, em que se discrimine o valor atualizado e a classificação de cada crédito;
 Art. 99. A sentença que decretar a falência do devedor, dentre outras determinações:
 III – ordenará ao falido que apresente, no prazo máximo de 5 (cinco) dias, relação nominal dos credores, indicando endereço, importância, natureza e classificação dos respectivos créditos, se esta já não se encontrar nos autos, sob pena de desobediência;
        Parágrafo único. O juiz ordenará a publicação de edital contendo a íntegra da decisão que decreta a falência e a relação de credores.
São 06 (seis) etapas para verificação e habilitação dos créditos. Na primeira etapa o juiz determina a publicação do primeiro edital que deverá conter a relação dos credores da massa falida ou do devedor recuperando. Com base nos documentos trazidos pelo devedor é publicado o primeiro edital com um esboço provisório do quadro geral de credores que é elaborado pelo administrador judicial, conforme determina o artigo 22, inciso I, alínea f, da Lei de Falência: 
  Art. 22. Ao administrador judicial compete, sob a fiscalização do juiz e do Comitê, além de outros deveres que esta Lei lhe impõe:
        I – na recuperação judicial e na falência:
        f) consolidar o quadro-geral de credores nos termos do art.

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.