A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
AVALIANDO PENAL lll

Pré-visualização | Página 1 de 1

AVALAIDNO O APRENDIZADO – DIREITO PENAL lll
Marcos, querendo matar seu vizinho, faz um disparo em sua direção. No entanto, não chega nem a lesioná-lo. Marcos:
Responderá por tentativa de lesão corporal.
Responderá por homicídio tentado, pois trata-se de tentativa cruenta.
Responderá por homicídio tentado, pois trata-se de tentativa branca.
Responderá lesão corporal consumada.
Não responderá por crime algum, pois sequer chegou a atingir seu vizinho.
Marta, parteira do distante lugarejo denominado Xavantinho, para salvar a vida de gestante, realiza aborto sem o seu consentimento. Diante desta hipótese é CORRETO afirmar:
A Parteira agiu acobertada pela causa de exclusão da ilicitude prevista no art. 128, inc. I, do Código Penal.
A Parteira agiu acobertada pela causa de exclusão da ilicitude estrito cumprimento do dever legal.
A parteira cometeu o crime previsto no art. 125 do Código Penal (provocar aborto sem o consentimento da gestante).
A Parteira agiu acobertada pela causa de exclusão da ilicitude estado de necessidade.
A parteira agiu acobertada pela causa de exclusão da ilicitude exercício regular do direito.
João Paulo Cruz, morador do apartamento 13 do Edifício Cartago, subtraiu, para uso de sua filha, brinquedo de diversão infantil pertencente à área de lazer do Edifício. Pode-se afirmar sobre a conduta de João Paulo, que: (OAB/SP. Dezembro/2003):
Não praticou crime algum, visto que os bens comuns são de livre disposição dos moradores do edifício;
Praticou o delito de furto de coisa comum;
Praticou o delito de apropriação indébita
Praticou o delito de estelionato;
Jonas, dono de uma loja revendedora de peças de informática, frequentemente, compra mercadorias sem nota fiscal de revendedores de atitudes duvidosas. Ante exposto, é correto afirmar que a conduta de Jonas configura:
Delito receptação;
Coautoria do delito de apropriação indébita
Coautoria do delito de furto;
Delito de apropriação indébita;