A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
56 pág.
Resumo genética de populações

Pré-visualização | Página 16 de 17

Pré-molares Cauda
Infraordem Platyrrhin (macacos novo mundo) Achatado Frente 3 Usada para locomoção
Infraordem Catarrhini (macacos velho mundo) Protuso Baixo 2 Ausente
45
APÊNDICES
Apêndice 1:
Revisão Para a 2° Avaliação
Variação
No essencialismo as características eram fixas. No evolucionismo, tem-se a variação, 
para a evolução.
Após o surgimento de mutação tem-se a formação novos alelos...
*1 gene: com 2 alelos, no caso de dominância completa, tem 2 fenótipos diferentes.
No caso de co-dominância e sobredominância, tem 3 fenótipos diferentes. O 
heterozigoto com valores acima dos demais.
*1 gene: com 3 alelos (Obs.: importante saber calcular Eq. HW).
*2 genes:
Não ligados: Quando tem indivíduos heterozigotos nos 2 loci, a frequência dos 
gametas formados é de ¼ para cada um (AB, Ab, aB, ab).
Ligados: Quando não ocorre recombinação, são formados 2 diferentes gametas, 
metade para cada um. Caso ocorra combinação, vai depender da distância existente ou da taxa 
de CO. Quando a distancia é igual ou maior que 50 centimorgans, não se considera genes 
ligados.
ATRAÇÃO: homozigotos (AB, ab).
REPULSÃO: heterozigoto (Ab, Ab).
Desequilíbrio de Ligação:
D= (p1.p2*q1.q2) – (p1.q2*p2.q2)
É calculado em cima da formação dos diferentes tipos de gametas:
No Eq HW o valor está próximo de 0.
Atração: o valor esta em + ¼ 
Repulsão: o valor está em - ¼ 
Caracteres Quantitativos:
Podemos mensurar a variação deles em cima da variância. 
V= 2pqa²
O a² é o valor do caráter, pode ser altura, peso....
A variância é dada em cima do heterozigoto 2pq.
Ela é máxima quando a frequência de “A” e “a” são iguais a 0,5. 
46
A herdabilidade é dada na função da variância genotípica pela variância fenotípica. 
Quanto maior a influencia do ambiente no caráter, menor a herdabilidade.
Quanto menor a influencia do ambiente no caráter, maior a herdabilidade. Ela é 
máxima quando é igual a 1, significa que a variância fenotípica é = a genotípica.
Variação e Polimorfismo:
Para ter variação ou polimorfismo, tem que ter pelo menos 2 genótipos.
Se o mais raro for inferior a 4%, tem variação. Um fenótipo é comum é o outro é 
variante, a população é monomórfica. Para ter polimorfismo, o genótipo mais raro tem que 
exceder 4%, e a população é polimórfica.
O polimorfismo pode ser transitório ou balanceado:
Transitório: antes das frequências atingirem o Eq HW. Frequências instáveis.
Balanceado: quando as frequências estão em equilíbrio. As frequências são estáveis.
As população podem ser alopátricas ou parapátricas, ambas pertencem a mesma sp 
pois são populações.
Alopátricas: estão separadas, sem fluxo entre elas, a tendencia é que futuramente se 
tornem sp distintas.
Parapátricas: com fluxo em uma zona de hibridização ou contato secundário.
Espécie: o conceito de sp é baseado na capacidade do indivíduo de se reproduzir e 
gerar descendentes férteis. 
Mecanismos de Isolamento Reprodutivo:
Pré- copulatório:
− Geográfico, ou seja, os indivíduos não se encontram.
− Sazonal: se encontram, mas não estão em período férteis.
− Se encontram, estão em período férteis, mas não se cruzam, devido a corte 
diferenciada. (Isolamento etológico)
− Quando a corte é interessante, encontram o isolamento mecânico. 
Pós- copulatório:
− ocorreu a transferência de gametas, porém eles podem morrer.
− O gameta pode sobreviver, fecundando, porém pode ocorrer morte do zigoto.
− O zigoto pode sobreviver, no entanto ocorre a inviabilidade do hibrido. 
− O hibrido é viável, entretanto, é estéril. 
Os mecanismos pós copulatórios são mais difíceis de serem quebrados, pois envolvem 
a genética.
Estrutura POPULAÇÃO e Deriva
No Equilíbrio o tamanho da pop é grande, o cruzamento é ao acaso.
Em pop Endogâmicas, o tamanho da pop é pequeno, o cruzamento é preferencial.
Quando existe baixa dispersão, aumenta a endogamia. Quando existe alta dispersão, 
diminui a endogamia.
Coeficiente de Endogamia: (F)
47
F= ½ ^n-1
Olhar caderno....
Endocruzamento:
As frequências alélicas não se alteram.
As frequências genotípicas se alteram, pois aumenta os homozigotos, e diminui os 
heterozigotos.
Endogamia: 
Na endogamia aumenta a variação fenotípica, pois tem somente o fenótipo extremo, a 
variação entre os caracteres se torna maior.
E o fenótipo médio diminui (depressão endogâmica).
• Endocruzamento aumenta a homozigose. Diminui a heterose.
• Exocruzamento mantem a heterose.
Para medir o grau de endogamia usa as frequências genotípicas, pois elas que variam 
ao longo das gerações, e as alélicas, se mantem a mesma.
Quando tem-se os alelos recessivos letais, em pop endogâmicas, ele pode ser 
eliminado mais rapidamente.
Vegetais:
3. Autofecundação: a tendencia é levar a endogamia.
4. Heterostilia: a tendencia é a exogamia. Os órgãos reprodutivos masculinos e femininos 
são diferentes.
5. Incompatibilidade gametofítica: plantas que são s1s2, não permite que s1s2 a fecunde, 
somente pólen s3, portanto ela garante ser sempre heterozigota. Ela possui anticorpo 
(anti – s1 e anti – s2), contra genótipo semelhante.
6. Cleistogamia: tendência a endogamia.
7. Casmogamia: tendência a exogamia, a flor amadurece aberta.
8. Protandria: amadurecimento em épocas diferentes, no caso, tende a exogamia.
Deriva:
É ao acaso, fica um alelo e elimina o outro, fixa qualquer alelo, tanto o mais apto 
quanto o menos apto. A variação intrapopulacional diminui, e a interpopulacional aumenta, as 
pop se tornam cada vez mais diferentes. A deriva tem efeito em pop pequenas.
Tamanho efetivo da população: tem a ver com numero de indivíduos maduros 
sexualmente, que estejam cruzando, e ainda depende da variabilidade genética, tem que ter 
alta variabilidade.
Efeito Gargalo: diminui o tamanho efetivo da população, passa por um período onde 
os recursos se tornam escassos, posteriormente, os recursos se tornam abundantes, a pop 
aumenta, porém o tamanho efetivo não, pois tem baixa variabilidade genética.
48
Efeito Fundador: Uma pequena parte da população migra, formando uma nova 
população. Ele leva parte da genética da pop que ela surgiu.
A deriva ocorre quando tem o efeito gargalo, ou o efeito fundador, pois em pop 
grandes a variação ao acaso é minima, não surgindo portanto nenhum efeito.
A mutação vai contra a deriva, pois a mutação gera novos alelos na população, 
enquanto a deriva fixa um, e elimina outro.
O fluxo gênico contrabalança a deriva, faz as populações se tornarem mais similares.
4. Continente – Ilha: a tendência é as pequenas ilhas serem diferenciadas devido ao efeito 
fundador.
5. Ilhas: a tendência é as ilhas se tornarem mais parecidas, com uma variabilidade intra 
populacional maior.
6. Alpondras: quando mais próximas as populações, mais elas serão parecidas, quanto 
mais distantes, mais serão diferentes.
DISPERSÃO
Pode ser de 2 tipos: Ecológica ou Genética:
Ecológica é maior, pois a sp pode migrar e não se reproduzir, migra apenas em busca 
de alimento. Não adianta migrar e não haver reprodução.
Genética é sempre igual ou menos do que a ecológica.
Seleção Natural
A evolução pode ocorrer através da deriva (ao acaso), ou através da seleção, a seleção 
pode ocorrer a nível de genes até sp. O indivíduo começa a ficar apto, a partir do momento 
que ele começa a se reproduzir. Ela é máxima quando atinge um pico reprodutivo.
A aptidão do indivíduo não é constante, depende também do ambiente, tanto biótico 
(inclusive parceiro sexual), quanto abiótico. 
Modos de Seleção:
− Direcional: ou o “AA” ou “aa” é o mais apto.
− Estabilizador: “Aa” é o mais apto.
− Disruptivo: os homozigotos “AA” e “aa” são os favorecidos. 
Obs.: olhar os gráficos do caderno, referente aos modos de seleção.
Justificando a variabilidade genética:

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.