Queimaduras
35 pág.

Queimaduras


DisciplinaQueimaduras25 materiais82 seguidores
Pré-visualização2 páginas
Queimaduras
Profª Iradir
Conceito
 Queimaduras são lesões da pele, provocadas pelo calor, radiação, produtos químicos ou certos animais e vegetais, que causam dores fortes e podem levar a infecções.
- Variam desde uma pequena bolha (flictena) até formas mais graves podendo desencadear respostas sistêmicas.
- O fogo é o principal agente das queimaduras, embora as produzidas pela eletricidade sejam as mais mutilantes. 
Incidência: 
Predominam no sexo masculino.
Criança, até 6 anos: 60% dos casos de acidentes na cozinha.
Crianças menores de 5 anos e adultos acima de 65 anos têm maior índice de mortalidade.
Queimaduras elétricas, pequena incidência, corresponde ao tipo mais agressivo de lesão térmica.
Nos últimos 20 anos ocorreu aumento da sobrevida de pacientes com queimaduras. Há 50 anos, somente 50% dos queimados, com 40% da superfície corporal, sobreviviam. 
Atualmente, 50% dos queimados, com 80% da superfície corporal sobrevivem, principalmente, se são adolescentes e jovens adultos.
- É significante o impacto na economia e na própria vítima sobre o trabalho. Apenas 37% retornam ao mesmo trabalho.
Para cada 100 doentes queimados, 3 morrem em decorrência das queimaduras.
Classificação: 
 Quanto ao:
1.Agente causador 
2.Profundidade ou grau 
3.Extensão ou severidade 
4.Localização e 
5.Período evolutivo.
1.Agente causador:
Físicos: temperatura: vapor, objetos aquecidos, água quente, chama, etc.
 eletricidade : corrente elétrica, raio, etc.
 radiação : sol, aparelhos de raios X, raios ultra-violetas, nucleares, etc. 
Químicos: produtos químicos: ácidos, bases, álcool, gasolina, etc. 
 
-Biológicos: animais: lagarta-de-fogo, água-viva, medusa, etc. e vegetais : o látex de certas plantas, urtiga, etc. 
2.Profundidade ou grau da queimadura
1º grau , da pele, ou superficial : só atinge a epiderme ou a pele (causa vermelhidão).
2º. grau , da derme, ou superficial : atinge toda a epiderme e parte da derme (forma bolhas).
-3º. grau , da pele e da gordura, ou profunda : 
 atinge toda a epiderme, a derme e outros tecidos mais profundos, podendo chegar até os ossos. 
Queimaduras de 1º grau: 
As lesões restringem-se a epiderme.
Apresenta: hiperemia local 
 ausência de bolhas 
 quadro doloroso pronunciado 
 sem alterações hemodinâmicas.
- Causadas pelo sol ou água quente (sem bolhas)
Queimaduras do 2º grau 
- Atinge epiderme e parte da derme. 
Formação de bolhas.
Queimaduras do 3º grau 
- Atinge epiderme,derme e outros tecidos ( tela subcutânea, tecido muscular e ósseo).
- Seqüelas.
3.Por extensão ou severidade: 
A consequência mais grave das queimaduras é a porcentagem da área do corpo atingida .
 Menos de 15%, portador de queimaduras . Ultrapassando 15% (cerca de 15 palmos), considera-se grande queimado . Atingindo mais de 40% da superfície do corpo, pode provocar a morte . Acima de 70%, as chances de sobreviver são mínimas ! 
O importante na queimadura não é o tipo e nem o grau , mas a extensão da pele queimada. 
Regra prática para avaliar a extensão das queimaduras é compará-las com a superfície da palma da mão do acidentado, que corresponde, aproximadamente a 1% da superfície corporal.
\u201cRegra dos nove\u201d (Polaski & Tennison): divisão do corpo em segmentos que equivalem 9% do total. 
4e5 Localização e período evolutivo 
 Quanto mais próxima a queimadura for de órgãos vitais, mais grave ela é, assim como quanto mais ela evolui pior será o prognóstico.
 Manifestações locais importantes
- não eliminação de toxinas (não há suor) 
- formação de substâncias tóxicas 
dor intensa que pode levar ao choque 
perda de líquidos corporais 
- destruição de tecidos 
- infecção.
 Alterações Metabólicas
 A resposta hipermetabólica após grandes queimaduras é caracterizada por resposta hiperdinâmica.
A resposta ao estresse no paciente queimado é similar a qualquer doente crítico ou com trauma severo, diferenciando-se pela sua severidade e duração. 
Enquanto pacientes com peritonites têm suas taxas metabólicas elevadas de 5% a 25%, trauma severo aumenta de 30% a 70%, o grande queimado tem seu metabolismo
aumentado em até 200%.
Diminuição acentuada da velocidade do metabolismo. 
A resposta hipermetabólica após grandes queimaduras é caracterizada por da temperatura corporal, 
 do consumo de glicose e oxigênio,
 da formação de CO2, 
 glicogenólise, 
 lipólise 
 proteólise.
Temperaturas elevadas podem desnaturar proteínas comprometendo a integridade do organismo.
O consumo de oxigênio guarda relação direta com o gasto energético, considera-se que a cada litro de O2 consumido, aproximadamente 5 Kcal são geradas no organismo.
Aumento da formação de CO2 instala-se um quadro de acidose grave e, em última instância, o coma.
Glicogenólise: quebra sequencial das ligações entre as unidades de glicose armazenadas liberando assim a glicose.
Lipólise: queima da gordura corporal
 
Proteólise: processo de degradação de proteínas
O débito cardíaco cai entre 50 e 60% dos valores basais. 
Diminuição da imunidade. 
Após queimaduras, os mediadores da inflamação liberados promovem edema.
Tratamento rápido e agressivo, com precoce fechamento das feridas, debridamento e enxertia de pele, bem como pela alimentação enteral, com meio de melhorar a imunidade e o processo de cura.
As catecolaminas estão envolvidas neste processo de hipermetabolismo, com forte influência na falência de múltiplos órgãos e na mortalidade.
Catecolaminas são quaisquer aminas que ocorram naturalmente e funcionam como neurotransmissores. A dopamina, a epinefrina (adrenalina) e a norepinefrina (noradrenalina) são exemplos de catecolaminas.
Produzem efeitos hemodinâmicos, metabólicos e humorais.
Vasoconstricção dos vasos da pele, rins, tecido conjuntivo e território esplâncnico.
 No coração aumenta a FC, contratilidade miocárdica e o débito cardíaco. 
 Alterações na secreção de hormônios reguladores do processo metabólico ( diminui a produção de insulina).
 Aumenta a produção hepática de glicose
Nos queimados acima de 10% de área corporal total, os mediadores da inflamação resultam em respostas sistêmicas.
Ocorre diminuição nas taxas de testosterona, que tem interferência no anabolismo protéico da musculatura esquelética. 
Quando ocorre quebra da integridade da derme, compromete todas as camadas (queimaduras acima de 40% da área total corporal) a possibilidade de infecção ocorre por muitos agentes bacterianos por causa do desarranjo da resposta imunológica.
Hiperglicemia e o alto catabolismo protéico, no grande queimado impedem na função imunológica e na cicatrização das feridas, perdas repetidas de enxerto cutâneos, com grande prevalência de septicemia e aumento da mortalidade.
A temperatura ambiente tem efeito na taxa metabólica do paciente; baixas temperaturas devem ser evitadas por aumentarem o metabolismo.
 - Para melhorar a taxa metabólica deve-se iniciar de imediato o suporte nutricional. Atingida a fase de estabilidade hemodinâmica, inicia-se 4 horas após o período de estabilidade.
- Por fim, controle da dor, alívio da ansiedade, controle térmico do ambiente, controle eficaz da liberação de catecolaminas para fornecimento de energia para a cicatrização tecidual.
Danos Respiratórios e Queimadura Inalatória 
- O dano pulmonar resulta de trauma direto, aumento do líquido extravascular pulmonar e pela inalação do ar superaquecido.
A exposição da epiglote ou laringe ao ar seco com temperatura de 300ºC ou vapor com temperatura de 100ºC, provoca maciço