A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
71 pág.
Slides de Aula, artes visuais brasileiras

Pré-visualização | Página 1 de 5

Unidade I
ARTES VISUAIS BRASILEIRAS
Profa. Selma Rofino
A arte rupestre no Brasil
 A história da arte rupestre é o ponto de partida para analisar o 
princípio da transformação de nossa sociedade sob os 
aspectos midiático e imagético.
 Os grupos étnicos foram evoluindo culturalmente, a princípio 
como desenhistas, na sequência, escultores e, após, pintores, 
tendo em vista a maior capacidade de abstração que foram 
adquirindo, exigida pela pintura.
 Tais mudanças não eram resultado de eventualidades, 
mas de uma mutação social que se manifestou 
gradativamente de diversas maneiras no ser humano.
A Pré-história
 A Pré-história é marcada como uma das épocas mais 
extraordinárias da evolução humana.
 Os historiadores a dividiram, de acordo com a evolução 
técnica, em três períodos significativos: Paleolítico, 
Neolítico e Idade dos Metais.
 A linguagem gráfica observada na arte rupestre era o 
manifesto do código social dos grupos étnicos.
 A abundância de sítios arqueológicos encontrados até hoje 
decifra as diferentes culturas.
 Temáticas dominadas pela crença nos poderes mágicos, 
pelo cotidiano que envolvia a luta pela sobrevivência.
 A abundância de sítios arqueológicos encontrados decifra as 
diferentes culturas que se formaram a partir dessas 
manifestações artísticas.
 Características particulares incluem o tipo da tinta, 
representações humanas pequenas ou grandes, cores 
dominantes, traçados geométricos cuidadosamente 
executados, animais desenhados por uma linha de contorno 
aberta, entre outras.
 O apogeu da arte rupestre paleolítica foi descoberto em 1880, 
nas cavernas de Altamira, na Espanha.
 Duvidava-se que grupos étnicos e selvagens dispusessem de 
arte e cultura, pois arte era sinônimo de civilização.
 Foram reproduzidos desenhos coloridos de bisões, cavalos e 
outros animais, em repouso e em movimento.
 Símbolos sexuais e religiosos, ritos de fertilidade, cerimônias 
de súplicas aos deuses, bem como batalhas entre clãs.
 Demonstram planejamento e organização, e apontam o 
processo cognitivo pelo qual as tribos buscavam codificar 
suas informações, registrando-as em símbolos gráficos.
 Apesar da importância histórica da gruta de Lascaux, um 
complexo de cavernas ao sudoeste de França, ela é 
relativamente pequena se comparada à gruta de Altamira.
 As cavernas espanholas proporcionaram maior impacto social 
no século XX, diante de sua variedade de riqueza cultural e 
artística.
 Apelidada de Capela Sistina da Arte Paleolítica, ela foi 
declarada Patrimônio da Humanidade pela Unesco, em 1985.
Figura 1 – Bisonte – La Cueva
de Altamira, Espanha
Fonte: livro-texto 
Figura 2 – Bull – State XI, Pablo Picasso, 1946
Fonte: livro-texto 
 Na era Neolítica, o homem começa a desenvolver um novo 
estilo de expressão artística. Foi nessa época que o ser 
humano fixou residência e iniciou-se na agricultura e na 
domesticação de animais.
 Uma característica que predominou na pintura foi a ausência 
da imitação da natureza, passando para a representação do 
cotidiano em grupos coletivos.
 Outra transformação foi sugerir movimentos; com essa 
preocupação, o artista desenvolveu figuras cada vez mais 
leves, ágeis, pequenas e com poucas cores.
 Com o domínio do fogo, o homem cria peças metálicas,
ornamentos, esculturas e armamentos, com riqueza de 
detalhes impressionantes.
 A arte rupestre pode ser definida como um domínio técnico 
associado às demais características da história social do 
grupo que a elaborou.
 Era uma forma de comunicação em que as experiências eram 
trocadas, como complemento da expressão verbal e gestual.
A Pedra Lavrada, de Inga (PB): tradição Geométrica 
(setentrional) - Fonte: livro-texto 
 A habilidade exclusiva do homem de desenvolver mensagens 
visuais só virá pelo desenvolvimento de sua inteligência visual.
 Espirais, círculos, ondas e outros grafismos comuns na arte 
rupestre, por exemplo, são simples desenhos geométricos que 
representam um significado realista.
Grafismo da tradição Litorânea 
Catarinense. Ilha dos Corais (SC) 
Fonte: livro-texto
Tradições da arte rupestre brasileira
 No Brasil, a arqueologia classifica o ordenamento das 
diferentes manifestações iconográficas da arte rupestre em 
tradições, respeitando as semelhanças no estilo e na técnica 
de elaboração. 
 Identificar as características estéticas de cada grupo permite 
perceber as identidades culturais pré-históricas por região e 
das condições de vida daquele homem.
 São interpretações subjetivas, tendo em vista os significados 
das pinturas como algo difícil de determinar. 
 Tradição agreste:
 Surgiu por volta de 9 mil anos atrás na região da Serra da 
Capivara.
 Tem predominância de grafismos de imagens humanas, 
em geral, masculinas e estáticas.
 São raras cenas de ação.
 Possui pouco refinamento nas pinturas, o que dificulta a 
identificação das figuras.
Antropomorfos e animais estáticos da 
tradição Agreste. Parque Nacional Serra 
da Capivara (PI)
Fonte: livro-texto
 Tradição nordeste:
 É a mais antiga, surgiu por volta de 23 mil anos atrás.
 Concentra-se no Parque Nacional Serra da Capivara. 
 Espalhou-se para outros estados do Nordeste, do 
Centro-oeste e do Sudeste.
 São pinturas monocromáticas com acerca de 15 cm.
 Representa homens, animais, plantas e algumas figuras 
geométricas com conotação narrativa e interativa.
 Apresenta cenas de caça, guerra, dança, sexo, entre outras, 
em que se nota movimento na ação.
A tradição Nordeste é marcada por representações de 
figuras humanas e de animais como emas e cervídeos. 
Toca do Boqueirão da Pedra Furada (PI)
Fonte: livro-texto 
Tradição planalto
 Planalto Central, desde a Bahia até 
o Paraná; seu principal foco 
encontra-se nos sítios de Lagoa 
Santa e da Serra do Espinhaço, 
em Minas Gerais.
 Tem a predominância de peixes 
e cervídeos muito coloridos.
 Uso frequente da cor vermelha.
 Existem formas geométricas e 
humanas em tamanho menor ao 
dos animais.
Essa pintura encontra-se no abrigo
de Santana do Riacho (MG) 
Fonte: livro-texto
Tradição São Francisco
 Extrema habilidade compositiva. 
 Combinava em painéis figuras com cores vivas mesmo 
com a pouca variedade temática. 
 Possuía grafismos situados em lugares visíveis. 
 Concentrada na região do Vale do Rio São Francisco, 
além de alguns focos na Bahia, em Minas Gerais e Goiás.
Figuras com decoração interna simétrica 
demonstram forte sentido de efeito dos 
pintores. Lapa do Boquete, Januária (MG) 
Fonte: livro-texto
Tradição geométrica
 Grafismos abstratos com gravuras complexas e diversificadas. 
 Concentram-se na região central do país, atravessando o 
Centro-Oeste e o Sudeste, chegando à região Sul. 
 Na parte setentrional próximos a rios e cachoeiras. 
 Na região meridional, longe das águas e retocados com 
pigmentos, predominantemente círculos, setas e linhas 
tracejadas.
Itaquatiaras de Cachoeira do 
Letreiro, em Carnaúba dos Dantas 
(RN): exemplo da tradição 
Geométrica 
Fonte: livro-texto
Interatividade
A arte rupestre possui a característica de expressar elementos 
da cultura do homem pré-histórico. Assinale a alternativa que 
indica uma característica presente nas pinturas rupestres:
a) O retrato das famílias monogâmicas feito com o uso 
de carvão.
b) Cenas relacionadas com a vida política dos governantes.
c) A descrição das trocas monetárias intercontinentais.
d) A descrição de cenas de caça, rituais e símbolos 
cosmológicos.
e) A submissão das mulheres, representando 
a sociedade da época.
As artes indígenas
 A arte indígena, também denominada

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.