A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
LIVRO DE ECONOMIA RURAL Utilizado na UFRAACS - Livro gtz[1]

Pré-visualização | Página 14 de 50

o eixo do preço indica o preço em que 
nenhuma unidade de produto é ofertada. Neste ponto, o custo marginal de produção é igual 
ao preço. Portanto, o lucro por unidade produzida e ofertada no mercado seria igual nulo. 
Com efeito, se os produtores tomam decisão com base nos sinais emanados pelo mercado, 
só ofertariam unidades de produto a preços acima deste limite mínimo, iniciando pelas 
empresas mais eficientes. 
 
 
Figura 2.9 – Representação gráfica da oferta do produto X 
 
 
A oferta também pode ser representada por dados tabulados, como na Tabela 2.3. 
 
Tabela 2.3 – Dados hipotéticos de preços e quantidades ofertadas de peixe. 
Quantidade ofertada (kg) 1 2 4 6 9 12 15 
Preço do peixe (R$/kg) 0 2 4 6 8 10 12 
 
 
Como é dado observar nos dados da Tabela 3, à medida que o preço aumenta a quantidade 
ofertada também aumenta. Quando o preço é igual a zero, tem-se que a quantidade ofertada é igual 
a um. Isto significa que há unidades de produção que produz alguma unidade independente do preço. 
É comum encontrar este tipo de situação em economias de subsistência, em que o produtor pensa 
primeiro na segurança alimentar da família e depois no mercado, caso sobre algum excedente, ou em 
economias extrativistas, uma vez que há produção independente do preço. Quando o preço aumenta, 
um número maior de produtores passam a ofertar unidades do produto e assim por diante. 
Plotando-se os dados da tabela acima em um diagrama cartesiano, geram-se o gráfico de 
oferta, como na Figura 2.10 abaixo. 
Sabe-se que além do preço do produto, há outros fatores que determinam a oferta dos bens e 
serviços. Os principais fatores determinantes da oferta, além do preço do próprio produto são: custo 
de produção - C, representado pelos preços dos fatores utilizados na produção; tecnologia – T, 
associado aos novos processos de transformação de insumo em produto; preço de produtos 
relacionados na produção – Py, se o preço do arroz aumenta, é possível que a área plantada de arroz 
aumente e diminua a que seria ocupada por outros grãos cujos preços não se alteraram ou 
P1 
P0 
0 Q0 Q1 Qx/t -c 
Preço 
O 
Lei da oferta: a quantidade 
ofertada apresenta uma relação 
direta ao preço, ceteris paribus. 
A inclinação positiva da linha de 
oferta deve-se às expectativas de 
obter lucro por parte dos 
produtores. Um preço mais alto 
torna a atividade mais lucrativa, 
estimulando os produtores a 
ampliar a capacidade produtiva e 
incrementar a quantidade ofertada, 
mantendo constantes os demais 
fatores que influenciam a oferta. 
Observe que a alteração no preço 
de X, produz ajustamento ao longo 
da linha de oferta. 
Quando o preço aumenta de P0 
para P1, as quantidades ofertadas 
também aumentam de Q0 para Q1. 
 
 
30
diminuíram; precipitações pluviométricas – Ch, dado pela quantidade e regularidade das chuvas ao 
longo do ciclo das culturas; fatores subjetivos – Fs, englobando a qualidade do produto, expectativa 
sobre a economia, influência de políticas, risco e incertezas climáticas e econômicas. Assim, pode-se 
especificar a oferta da seguinte forma: 
 
0
2
4
6
8
10
12
14
0 2 4 6 8 10 12 14 16 18
Quantidade de peixe (kg)
Pr
eç
o 
do
 p
ei
xe
 (R
$/
kg
)
Oferta de peixe
 
Figura 2.10 – Ilustração gráfica da curva de oferta de peixe. 
 
 
Oferta: ),,,,,( FCTCPPQ shyxx f= 
Em que: 
Qx = quantidade ofertada do produto X; 
f = símbolo da forma funcional de oferta; 
Px (+) = preço real do produto X; 
Py (±)= preço dos produtos relacionados na produção de X; 
C (-) = preço dos fatores utilizados na produção; 
T (+) = tecnologia implantada na produção de X; 
Ch (+) = precipitações pluviométricas ou distribuição de chuvas; 
Fs (±) = conjunto de fatores qualitativos que influenciam a quantidade ofertada dos produtos, são: 
Iq (+) = índice de qualidade total do produto X; 
E (+) = expectativas com relação à economia; 
Vp (±) = variáveis de política (imposto, subsídio, juros, etc.). 
 
• Custo de produção - C: para produzir grãos, os agricultores utilizam diversos fatores de 
produção como terra, mão-de-obra, sementes, adubos, defensivos, combustível, máquinas e 
implementos. Quando o preço de um ou mais desses fatores aumenta, a produção de grãos 
se torna menos lucrativa e os agricultores produzem menos. Dependendo da magnitude do 
aumento, alguns produtores podem até mesmo abandonar a atividade. Portanto, a 
quantidade ofertada do produto ou serviço se relaciona negativamente ao preço dos fatores 
utilizados na sua produção. 
• Preço de outros produtos – Py: o que está em observação é a forma como as mudanças 
nos preços de produtos como soja e milho, por exemplo, influenciam nas decisões de plantar 
arroz, algodão, uma vez que a área plantada com milho não pode ser cultivada com algodão 
simultaneamente. Portanto, se o preço de um produto Y aumenta, a área a ser cultivada com 
X diminui, apresentando uma relação negativa. Por outro lado, em se tratando de produção 
conjunta como consórcio de culturas ou produção de animais em associação (suíno e peixe) 
a relação é positiva. 
 
 
31
• Tecnologia – T: a tecnologia para transformar os fatores de produção em produto é um dos 
principais determinante da oferta. A invenção de novas variedades de plantas mais produtivas 
e máquinas que aumentam o rendimento do trabalho fazem a produção aumentar para um 
mesmo custo ou o custo diminuir para uma mesma produção. Isto significa que os avanços 
tecnológicos aumentam a quantidade ofertada. 
• Precipitação pluviométrica – Ch: a quantidade de chuva e sua distribuição ao longo do 
período de safra das culturas, associada com outros fatores climáticos como vento, umidade 
e radiação solar, contribui para se obter boas colheitas e produtos de qualidade. A 
associação é positiva entre chuvas e quantidade ofertada. 
• Fatores subjetivos – Fs: desse conjunto de fatores, a qualidade do produto é fundamental 
para a conquista de novos nichos de mercado e atender às exigências cada vez mais 
elaboradas dos consumidores, apresentando uma relação positiva com a quantidade 
ofertada; as expectativas sobre a economia sendo favorável com respeito às taxas de juros, 
inflação, crescimento da economia, leva a aumentos de oferta; os riscos de preço, de 
epidemias, de medidas protecionistas, etc. afetam negativamente a oferta; aumento de 
imposto reduz a oferta. 
Desse conjunto de forças, tem-se que o preço do produto induz ajustamento ao longo de uma 
mesma curva de oferta, como ilustrado anteriormente, enquanto que os demais fatores produzem 
mudanças de toda a curva de oferta. 
• Mudança na oferta: quando a tecnologia melhora, a produtividade aumenta para o mesmo 
nível de utilização dos fatores, de modo que se os produtores a adotarem, a produção de 
cada um deles tende a aumentar e a oferta se desloca para baixo e para a direita, ceteris 
paribus. 
Como a tecnologia gera mudanças na oferta? 
O impacto direto da tecnologia é sobre o custo dos fatores de produção. A utilização de uma 
variedade de sementes melhorada que seja ao mesmo tempo resistente a pragas e doenças e com 
maior capacidade de absorver os nutrientes disponíveis no solo, contribui para reduzir os custos com 
defensivos e com mão-de-obra, tornando a produção mais lucrativa. 
Igualmente, a utilização da técnica de inseminação artificial, permite elevar a taxa de 
natalidade do rebanho e melhorar o padrão genético em menor tempo, reduzindo o investimento na 
aquisição de reprodutores, diminuindo o ciclo de produção e aumentando a produtividade, torna a 
atividade mais lucrativa, induzindo aumentos na oferta de animais para abate. 
Na produção de frangos de granja, o melhoramento genético produziu raças de maior 
conversão alimentar (capacidade de transformar ração em carne), menor ciclo de produção e mais 
produtivos, tornando

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.