A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
206 pág.
LIVRO DE ECONOMIA RURAL Utilizado na UFRAACS - Livro gtz[1]

Pré-visualização | Página 7 de 50

culturas 
perenes, árvores, pequenos animais, grandes animais) permite alocar de forma adequada a 
mão-de-obra da família ao longo do ano. Pratica-se o consórcio agrícola ou, em alguns 
casos, o sistema agroflorestal. 
f) Tipo de produto: arroz, feijão, mandioca, milho, hortaliças, frutas, lenha, carvão, galinha, 
porco, gado, ovinos e caprinos. Esses produtos são cultivados em pequena escala individual, 
mas no conjunto, o excedente comercializado abastece boa parte do mercado. 
g) Impacto ambiental: de moderado a alto. Como não são empregadas as práticas 
conservacionistas de solo (curva de nível, terraço, plantio no sentido contrário ao declive, 
áreas próximas a igarapés, etc.) e o uso do fogo para limpar a área, causa importante 
impacto na fertilidade do solo e na flora e fauna, pois, na Amazônia, as queimadas, 
geralmente, ultrapassam á área a ser queimada e destrói parte da floresta e sua 
biodiversidade. 
 
 
8
A Figura 1.4 ilustra uma produção de galinha caipira, típica da produção familiar. Observa-se 
que há várias raças de galinhas, inclusive a galinha-d’angola. Esta diversificação de produtos permite 
atender aos diferentes gostos e preferências do consumidor e da própria família. O cercado de 
madeira próximo à casa serve para reunir o rebanho, alimentá-lo com milho, escolher os animais para 
venda e para proteger de predadores durante a noite. A Figura 1.5 mostra um rebanho de animais da 
produção familiar, onde também predomina a diversidade de animais sem raça definida, são os 
mestiços (mistura de gado zebu como gado europeu) e raçados (mistura entre raças zebuínas). Este 
tipo de animal é criado pela sua rusticidade e grande capacidade de sobrevivência ao manejo 
extensivo. Porém, no que tange ao mercado, a carne apresenta baixo padrão de qualidade, não 
atendendo aos requisitos dos consumidores internacionais. 
 
 
Figura 1.4 – Produção familiar de galinha caipira no Pará. Foto de Antônio Menezes. 
 
 
 
 
Figura 1.5 – Produção familiar de gado no Pará. Foto de Antônio Menezes. 
 
A Figura 1.6, por sua vez, mostra o transporte de banana da produção familiar, em lombo de 
burro. Esta prática causa grande prejuízo, pois apenas 40% da produção colhida chegam ao mercado 
em condições de consumo. 
 
 
9
 
 
Figura 1.6 – Transporte de banana da produção familiar no Pará. Foto de Antônio Menezes. 
 
 
1.3.2 Agricultura sustentável ou ecológica 
A produção sustentável engloba um grande leque de sistemas de produção, como a orgânica, 
em que não se utilizam insumos químicos na produção, também conhecida como produção 
ecológica, com uso de tecnologia biológica para manejo do solo e das plantas, e produção 
sustentável, em que é permitida a utilização de insumos químicos rigorosamente dentro das 
recomendações técnicas. 
As características deste tipo de agricultura, bastante utilizada nas regiões Sul e Sudeste do 
Brasil, e iniciadas na Amazônia, são apresentadas em seguida. 
a) Tamanho da unidade de produção ou porte do produtor: pequeno porte. 
b) Força de trabalho: mão-de-obra familiar em algumas unidades produtivas e em outras 
utilizam predominantemente mão-de-obra contratada. 
c) Tecnologia de produção: tecnologia biológica para manejo do solo, manejo de pragas e 
doenças e de plantas invasoras. Emprega-se tecnologia motorizada também e uso de 
agrotóxico, porém em níveis reduzidos e obedecendo a todas as recomendações técnicas do 
fabricante. 
d) Destino da produção: boa parte da produção se destina ao mercado consumidor. É um 
nicho de mercado, em que o produto é identificado, com preço mais alto, mas que uma 
parcela de consumidor está disposta a pagar esse preço mais alto para obter produtos 
saudáveis, sem produtos químicos prejudiciais à saúde. 
e) Forma de produção: diversificada. Combinam-se vários tipos de plantas e animais em uma 
mesma unidade de produção. É uma atividade própria das granjas próximas ao mercado 
consumidor. As chácaras produtoras de hortaliças, frutas, leite, ovos, permitem integrar a 
produção e empregar a tecnologia biológica. 
f) Tipo de produto: hortaliças, frutas, queijo, leite, ovos, galinha caipira. A produção se destina 
à feira do produtor e atende a um nicho de mercado. Nos supermercados, o produto é 
diferenciado para os consumidores que demandam esse tipo de produto. O nicho de mercado 
é formado por consumidores de renda mais elevada e com maior nível de conhecimento 
 
 
10
sobre saúde, alimentação e meio ambiente. Este nicho de mercado cresce a taxas superiores 
a 20% ao ano no mundo. 
g) Impacto ambiental: baixo a muito baixo. No caso da agricultura orgânica, o impacto 
ambiental é muito baixo, chegando a zero no que tange ao uso de produtos químicos. 
Os produtos ilustrados nas Figuras 1.1 e 1.3, produção de galinha caipira e banana, são 
orgânicos, pois não empregam produtos químicos, porém a tecnologia não é biológica, no caso da 
banana. 
1.3.3 Agricultura integrada ou moderna 
A agricultura integrada ou moderna predomina no Brasil e em algumas atividades na 
Amazônia, como pecuária de corte, produção de grãos (arroz, milho e soja) e dendê. Esta agricultura 
faz uso intensivo de agrotóxico e de máquinas em todas as fases da produção. A produção se vincula 
diretamente ao mercado consumidor, a uma agroindústria ou a uma cooperativa. As decisões são 
tomadas de acordo com as regras do mercado. 
Os principais traços desta atividade são apresentados a seguir. 
a) Tamanho da unidade de produção ou porte do produtor: pequeno, médio e grande porte. 
Não há discriminação quanto ao tamanho, pois os pequenos produtores, se organizados em 
associação ou cooperativa, podem empregar de forma eficiente a tecnologia motorizada 
(mecânica e química). Na Amazônia, há associações de produtores produzindo grãos 
mecanizados em áreas entre 5 e 10 ha por unidade produtiva. 
b) Força de trabalho: mão-de-obra contratada e com habilidade técnica. Da mão-de-obra da 
família, geralmente, apenas com o produtor ou filho que respondem pela gestão das 
atividades constam como empregados. 
c) Tecnologia de produção: mecanizada e química. Faz uso da mecanização em todas as 
fazes da cultura (preparo de área, plantio, tratos culturais, colheita e beneficiamento). Utilizam 
produtos químicos em larga escala para combate de pragas e doenças na lavoura e no 
rebanho. 
d) Destino da produção: A maior parte ou toda a produção é destinada ao mercado. 
Dependendo da característica do produto, vende-se a produção no mercado físico ou no 
mercado de futuros, mediante negociações em bolsa de mercadorias. No mercado físico, 
geralmente, a produção é entregue a traders (grandes intermediários da produção e 
comercialização como a Cargil, Bunge, no caso de milho e soja), a uma agroindústria de 
beneficiamento como usina de arroz, frigorífico para abate de gado, indústria de óleo, etc. 
e) Forma de produção: monocultura. Este tipo de agricultura empresarial necessita de escala 
mínima para tornar o uso das máquinas, instalações, insumos químicos e a gestão eficiente. 
Assim, faz-se o cultivo de um único produto em dada área contínua. 
f) Tipo de produto: grãos mecanizados (arroz, milho e soja); pomares de laranja, manga, 
maçã; pecuária à base de pasto; avicultura e suinocultura integradas, etc. 
g) Impacto ambiental: alto a muito alto. O grau de revolvimento do solo é grande, levando à 
compactação e/ou à perda por erosão. Uso intensivo de agrotóxico leva à contaminação do 
meio ambiente por poluição do ar e contaminação do lençol freático, além de eliminar parte 
dos insetos inimigos naturais das pragas, assim como reduzem os insetos que servem de 
alimentos para os pássaros. Demais disso, afeta a saúde do homem. 
 Figura 1.7 mostra o gado da raça nelore sendo alimentado à base de pasto, formada 
artificialmente, no município de Rurópolis no Estado do Pará. Nota-se que

Crie agora seu perfil grátis para visualizar sem restrições.