A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
PIM V

Pré-visualização | Página 3 de 3

enraizadas o valor vai para R$20.000,00
	PROCESSO
	CUSTO IMPLANTAÇÃO 
	CUSTO MANUTENÇÃO
	ETE COMPACTA TIPO FOSSA-FILTRO
			14.962,50
	3.000,00 ao mês
	ETE ENRAIZADAS
	20.000,00
	8.000,00 ao mês
	VALOR TOTAL
	34.962,50
	11.000,00
.
Com relação aos lucros da empresa podemos verificar na tabela abaixo:
Através dos valores orçados para o sistema de tratamento de esgoto e comparando aos dados de lucro da empresa podemos dizer que a implantação do sistema não interferirá muito nos lucros da empresa, sendo um investimento viável de ser realizado. 
.
CONCLUSÃO
A pesquisa feita em relação aos temas propostos conseguiu comparar as práticas de gestão com as teorias vistas durante curso, criando um link entre a prática e a teoria. Com base nessa discussão, o que se propõe é a implantação de um sistemas de tratamento de esgotos, que viabilizará a criação de uma complementação das ações da política ambiental dentro da empresa. 
É importante ressaltar os aspectos positivos que a implantação do tratamento do tipo compacto com complementação de enraizadas proporcionará para empresa como: minimização da poluição, redução de desperdícios e perdas, com a possibilidade de reuso deste esgoto tratado, cumprindo com a legislação ambiental.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 13969- Tanques sépticos - Unidades de tratamento complementar e disposição final dos efluentes líquidos - Projeto, construção e operação. Rio de Janeiro: 1997.
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 7229 - Projeto, construção e operação de sistemas de tanques sépticos. Rio de Janeiro: 1993. 
NOGUEIRA ALTINO, Heitor Otacílio et al. Sistema fossa-filtro anaeróbico aplicado ao tratamento de efluentes do processamento de leite. Disponível em: <https://www.tratamentodeagua.com.br/artigo/sistema-fossa-filtro-anaerobico-aplicado-ao-tratamento-de-efluentes-do-processamento-de-leite>. Acesso em: 12 abr. 2018.
JORDÃO, E.P.; PESSOA, C.A. Tratamento de esgotos domésticos, 6º. Edição, Rio de Janeiro: ABES, 2011.
PATO, D.C.S.. Gestão de Resíduos Sólidos, efluentes e emissões. Cadernos e Estudos da UNIP, Série didática, ano XVII, n.2-02215. São Paulo: editora Sol. 2015
PHILIPPI, L. S.; SEZERINO, P. H. Aplicação de sistemas tipo wetlands no tratamento de águas residuárias: utilização de filtros plantados com macrófitas. Florianópolis: Editora do autor, 2004. 
VAN KAICK, T. S. Estação de tratamento de esgoto por meio de zona de raízes: uma proposta de tecnologia apropriada para saneamento básico no litoral do Paraná. Curitiba, 2002. Dissertação (Mestrado em Tecnologia)-PPGTE, CEFET-PR.