A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
apostila de CIÊNCIA POLÍTICA 2014

Pré-visualização | Página 5 de 6

um nexo entre os dois, que é o conhecimento, pelo sujeito passivo, de manifestação do sujeito ativo. Poder Potencial é quando não há uma relação entre o sujeito ativo e o passivo, mas um acumulo ou uma quantidade de condições em um ser que o possibilita a ação do poder, ou seja, quando se refere à capacidade do sujeito ativo de condicionar o comportamento do outro sem que esteja efetivamente condicionado e o poder social que é aquele formado a partir do homem com o homem. Formado à medida que os seres humanos fazem o uso de recursos disponíveis nas relações sociais de condicionar outros seres humanos. A política é a relação do poder decorrente da organização da força ou de consentimentos garantido pelo direito e o seu grau de evolução indicam que a democracia e a construção da sociedade predominante do futuro entre outros é a principal evolução da sociedade política. 1.3 SOCIEDADE CIVIL E O ESTADO A sociedade é o conjunto de indivíduos reunidos por um fim comum e subordinados a uma organização destinada à realização deste fim. A sociedade divide-se em sociedades de fins gerais onde os seus fins são genéricos, não são individualizados e de uma forma ou de outra vão interagir nas relações políticas e a sociedade de fins particulares que são constituídas pelas pessoas para a realização de um fim especifico. A Sociedade Civil é o conjunto social que, no plano formal do Estado contemporâneo, não ocupa uma função oficial da estrutura pública, é também o conjunto social que completa, como sujeito passivo, a relação de poder político interno do Estado como a igreja, a empresa, a família, o partido político e a mídia.Quanto à natureza do poder político elas podem dividir em: Sociedades Governativas têm por essência a função de tomar as decisões, orientam os rumos da vida em sociedades e as sociedades privadas que assumem funções que não são decisórias, de governo. O Estado é uma sociedade governativa de fins gerais, que se propõe a um comportamento político e a promover o governo, o principal conjunto preponderante para a política e o direito do Estado é o Poder. O Estado é o sujeito ativo e a sociedade civil é o sujeito passivo de uma relação de poder político, ou seja, o Estado é o sujeito com condições para modificar o comportamento da sociedade civil. 
2. ORIGEM DO ESTADO Estado teve origem em causas econômicas ou patrimoniais onde o Estado seria formado para se aproveitarem os benefícios da divisão de trabalho ele também teve origem no desenvolvimento interno da sociedade.O Estado não existe sem território e as cinco evoluções do Estado são: Estado Antigo, Grego, Romano, Medieval e Moderno. Soberania é o poder absoluto e perpétuo de uma república, palavra que se usa tanto em relação aos particulares quanto aos que manipulam todos os negócios de Estado de uma república é quando o Estado dá a sua última palavra. A Soberania pode ser uma quando não se admite em um mesmo Estado a convivência de duas soberanias; indivisível quando se aplica à universalidade dos fatos ocorridos no Estado; inalienável, pois aquele que a detém desaparece quando fica sem ela, seja o povo, a nação ou o Estado; imprescritível porque jamais seria verdadeiramente superior se tivesse prazo certo de duração; originária porque nasce do próprio momento em que o Estado nasce; exclusiva porque só o Estado o possui; Coativa no seu desempenho, o Estado não só ordena, mas dispõe de meios para fazer cumprir suas ordens coativamente. Território é um âmbito de validade da ordem jurídica soberana, mas ele só foi necessário para compor o Estado Moderno através de duas noções que é a da soberania e a do território.Os territórios se classificam em fronteiras mortas que há estão definidas; fronteiras vivas as que estão em questionamento e as fronteiras esboçadas sem muito interesse. Povo é o conjunto dos indivíduos que, através de um momento jurídico, se unem para constituir o Estado, estabelecendo com este o vinculo jurídico de caráter permanente, participando da formação da vontade do Estado e do exercício do poder soberano adquirindo a condição de cidadãos.População é mera expressão numérica, demográfica, ou econômica, que abrange o conjunto das pessoas que vivam no território de um Estado ou mesmo que se achem nele temporariamente.Nação é uma expressão usada inicialmente para indicar origem comum, ou comunidade de nascimento. 
3. ESTADO E DIREITO O Estado na personalidade jurídica é atribuída ao contratualistas, que através da idéia de coletividade ou povo como unidade, dotada de interesses diversos dos de cada um de seus componentes e onde o Estado é a personificação da ordem jurídica. Assim como o direito pode atribuir ou não personalidades jurídicas aos homens, o mesmo pode fazer em relação às comunidades que encontra diante de si. O Estado é uma organização destinada a manter, pela aplicação do direito, as condições universais de ordem social. O Direito é o conjunto das condições existenciais da sociedade, que ao Estado cumpre assegurar.Em relação ao direito existem três grupos doutrinários que são: A Teoria Monística ou estatismo jurídico onde só admite a existência do Direito estatal que confundem-se em uma só realidade onde o Estado é a fonte única do direito, porque quem dá vida ao Direito é o Estado através da "força coativa".Teoria Dualística ou pluralística que sustenta que o Estado e o Direito são duas realidades distintas, independentes e inconfundíveis e para os dualistas, o Estado não é a fonte única do Direito nem com este se confunde, provindo do Estado apenas uma categoria especial do Direito.Teoria do Paralelismo que preconiza que o Estado e o direito são realidades distintas, porém necessariamente interdependentes. 3.1 O ESTADO, DIREITO E A POLÍTICA O relacionamento do Estado com o direito é quando o Estado deve o máximo de juridicidade. Assim é que se acentua o caráter de ordem jurídica do Estado e da existência de limites jurídicos à ação do Estado. Enquanto sociedade política voltada para fins políticos, o Estado participa da natureza jurídica, influenciando-a e sendo influenciada, devendo, portanto, exercer um poder político. Poder Político é o poder social que se focaliza no Estado, tratando da obtenção do controle dos homens para o fim de influenciar o comportamento do Estado. Política é o conjunto de esforços feitos com vistas a participar do poder ou a influenciar a divisão do poder, seja entre Estados, seja no interior de um único Estado.A função do Estado é o seu caráter político lhe dá a função de coordenar os grupos e os indivíduos em vista de fins a serem atingidos, impondo a escolha dos meios adequados. 3.2 O ESTADO E A NAÇÃO O estado é uma sociedade e a nação é uma comunidade, o conceito de nação surgiu com um artifício para envolver o povo em conflitos de interesses alheios, jamais teve significação jurídica, entretanto, como realidade sociológica, a nação é de inegável importância, influindo sobre a organização e o funcionamento do Estado. A diferença entre Estado e Nação é que o primeiro é uma sociedade, enquanto a nação é a comunidade. Estabelecida essa distinção pelo sociólogo alemão Ferdinand Tonnies onde a sua teoria é a indicação da sociedade e da comunidade com as suas possibilidades irredutíveis de convivência humana e todo grupo social que tenha existência permanente será ou uma sociedade ou uma comunidade. 
4. O ESTADO MODERNO E A DEMOCRACIA Estado democrático moderno é a noção de governo do povo, revelada pela própria etimologia do termo democracia ela nasceu das lutas contra o absolutismo, sobretudo através da afirmação dos direitos naturais da pessoa humana.Existe três grandes movimentos político-sociais que transpõem do plano teórico para o prático que iriam conduzir ao Estado Democrático que são: A revolução Inglesa, que influenciada por Locke e que teve sua expressão mais significativa no Bill of Rights em 1689; A Revolução Americana, cujos princípios foram expressos na Declaração de Independência das treze colônias americanas em 1776; A Revolução Francesa, que teve sobre os demais a virtude