A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
6 pág.
Trabalho da disciplina Teoria do desenvolvimento organizacional.

Pré-visualização | Página 2 de 2

ocupando grande parte das gôndolas. A BRF comercializava outras marcas, como Batavo e sobremesas Miss Daisy. 
 Antes da decisão da CADE, a Sadia e Perdigão já combinavam as operações exportadoras com grande satisfação, operando em mais de 140 países com 24 escritórios comerciais fora do Brasil.
 A Visão da BRF era dobrar suas receitas entre 2011 e 2015, chegando à marca de R$ 50 bilhões. O CEO, José Antônio do Prado Fay, imaginava que tais receitas viessem das vendas internas e exportações e aquisições no exterior. Nas vendas internas, o foco era no varejo , no reforço à fidelidade da marca e preservação de seu Market share e nas vendas para o me rcado de foodservice, como MC Donald’s e Burger King. No mercado Internacional, a BRF pretendia lançar bases de uma presença de multinacional, contando com operações na África, Ásia, Oriente Médio e América Latina.
 A oportunidade interna veio com as tendências e hábitos dos consumidores criando mercado para alimentos refrigerados e processados. A medida que as pessoas se mudavam para as cidades, entravam para força de trabalho e aumentavam as suas rendas. A conveniência e o poder aquisitivo foram pretextos para decisões de compra de alimentos. 
 Com restrições impostas pelo CADE, a BRF procurava por oportunidades internacionais para venda de produtos à base de proteína e processados para aumentar sua receita, especialmente em países com sua classe média em expansão. 
 A intensão da BRF era ser como a Nestlé, Danone, Hyundai e LG, por 
causa das capacidades que essas empresas demonstram de serem globais.
Local: Biblioteca Virtual da Universidade Estácio.
 
5