A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
Aula 04. Memoriais escritos

Pré-visualização | Página 1 de 1

PRÁTICA PENAL
Prof. Me Alonso Duarte
1
 
MEMORIAIS ESCRITOS
FUNDAMENTO/PREVISÃO LEGAL: 
Art. 403.  Não havendo requerimento de diligências, ou sendo indeferido, serão oferecidas alegações finais orais por 20 (vinte) minutos, respectivamente, pela acusação e pela defesa, prorrogáveis por mais 10 (dez), proferindo o juiz, a seguir, sentença.
§ 3o  O juiz poderá, considerada a complexidade do caso ou o número de acusados, conceder às partes o prazo de 5 (cinco) dias sucessivamente para a apresentação de memoriais. Nesse caso, terá o prazo de 10 (dez) dias para proferir a sentença. 
 
MEMORIAIS ESCRITOS
 REGRA: Declarada encerrada a audiência de instrução e julgamento, a acusação e a defesa devem proceder nesta sequencia, com seus debates orais;
MEMORIAIS ESCRITOS
 EXCEÇÃO: No entanto, o CPP autoriza a substituição das alegações finais orais por memorais escritos nas seguintes situações:
	A) Complexidade da causa (art. 403, § 3º, do CPP);
	B) Excessivo número de réus (art. 403, § 3º, do CPP);
	C) Quando requerida diligência em audiência (art. 404, parágrafo único, CPP).
MEMORIAIS ESCRITOS
 Palavra mágica: Audiência de instrução  encerrada a instrução;
 PEÇA  MEMORIAIS ESCRITOS;
 PRAZO: 05 dias
MEMORIAIS ESCRITOS
 Não há previsão para substituição dos debates por memoriais nem no rito sumário e nem no rito do júri;
 A quem é dirigido os memoriais escritos: ?????????
 Quem são os legitimados para o oferecimento de memoriais: 
 O defensor do réu;
 O representante do Ministério Público ou o querelante;
 O assistente da acusação.
MEMORIAIS ESCRITOS
 Conteúdo: os memoriais podem conter questões PRELIMINARES e/ou MATÉRIAS DE MÉRITO; 
MEMORIAIS ESCRITOS
 Questões preliminares (arguição de nulidade)  vão questionar os atos realizados que não tenham observado as formalidades exigidas por lei.
MEMORIAIS ESCRITOS
 Teses principais (teses de mérito): são teses que guardam relação direta com as hipóteses de absolvição previstas no art. 386 do CPP;
MEMORIAIS ESCRITOS – teses principais
São as teses que buscam a absolvição do réu – art. 386 do CPP:
Art. 386. O juiz absolverá o réu, mencionando a causa na parte dispositiva, desde que reconheça:
I - estar provada a inexistência do fato; MATERIALIDADE
II - não haver prova da existência do fato; MATERIALIDADE
III - não constituir o fato infração penal; TIPICIDADE
IV –  estar provado que o réu não concorreu para a infração penal; AUTORIA 
V – não existir prova de ter o réu concorrido para a infração penal; AUTORIA
VI – existirem circunstâncias que excluam o crime ou isentem o réu de pena (arts. 20, 21, 22, 23, 26 e § 1o do art. 28, todos do Código Penal), ou mesmo se houver fundada dúvida sobre sua existência; ILICITUDE e CULPABILIDADE
VII – não existir prova suficiente para a condenação.
      
TESES DE MÉRITO
M materialidade – inciso I e II
A autoria – incisos IV e V
T tipicidade – inciso III
I ilicitude – inciso VI
C culpabilidade – inciso VI
S subsidiariedade – permitem ao réu ter sua situação amenizada.
Inciso VII – absolvição por insuficiência de provas.
Teses de mérito
 Inciso I – há prova robusta da inexistência da materialidade do delito; 
 Inciso II – nesse caso, existe uma dúvida em relação a existência ou não do fato;
 Inciso III – a instrução revelou causas de exclusão de elementos do tipo penal;
 Incisos IV – restou comprovada a existência do delito, mas o réu não concorreu para a sua prática;
 Inciso V – o fato ocorreu, mas não existem provas que ele participou;
 Inciso VI – existem circunstancias que excluem o crime;
 Inciso VII – absolvição por insuficiência de provas – absolvição genérica – quando não couber as hipóteses anteriores.
Teses SUBSIDIÁRIAS
 Nas teses subsidiárias, o advogado/defensor reconhece a possibilidade da condenação;
 A tática consiste em buscar AMENIZAR A SITUAÇÃO DO RÉU, combatendo:
A quantidade de pena – sistema trifásico/dosimetria da pena;
Regime carcerário mais brando;
Substituição da PPL por PRD;
 SURSIS;
Desclassificação do delito;
MEMORIAIS ESCRITOS – teses subsidiárias
1. Quantidade pena: analisar a dosimetria da pena;
 Destacar a presença de atenuantes (art. 65 do CP) e afastar eventuais agravantes (art. 61 e 62 do CP);
 Apontar também a presença de causas de diminuição e afastar causas de aumento;
 Afastar eventuais circunstancias qualificadoras;
MEMORIAIS ESCRITOS – teses subsidiárias
2. Regime carcerário mais brando: art. 33 e art. 59, inciso III, ambos do CP; 
3. Substituição da PPL por PRD: art. 44 e art. 59, inciso IV, ambos do CP;
4. SURSIS: art. 77 do CP.
5. Desclassificação do delito.
MEMORIAIS ESCRITOS
Pedidos: 
 Nulidades (acompanhar a ordem das preliminares);
 Absolvição (art. 386, CPP);
 Diminuição da pena, definição do regime inicial de cumprimento da pena, etc.;
MEMORIAIS ESCRITOS
Pedidos: 
	1. A acusação e defesa devem ficar atentos para realizarem pedidos específicos para cada uma das teses arguidas na petição;
	2. O pedido de absolvição encontra guarita legal no art. 386 do CPP, não se confundindo com o pedido de absolvição sumária do art. 397 do mesmo diploma legal;