A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
15 pág.
Fundamentos e Metodologia da Educação de Jovens e Adultos

Pré-visualização | Página 4 de 7

consoante às demandas do povo. A proposta de Freire, tomada a partir de um contexto mais atual, pode ser equiparada a um processo pedagógico que tenha como base a metodologia dialética, nesse sentido não aplicada somente à alfabetização, como proposto inicialmente, mas a qualquer prática educativa, pois a dialética contida nessa metodologia pressupõe um movimento que se origina da prática social e se amplia para conceitos mais elaborados. Priorizando-se, portanto:A resposta correta é: O diálogo, a formação ética e o desenvolvimento da autonomia intelectual e do pensamento crítico, a Educação de Jovens e Adultos objetiva formar cidadãos capazes de lutar por seus direitos e de se apropriar dos conhecimentos mediados pela escola..
Questão 7
Para o aluno da EJA, o tempo de permanência na escola constitui um importante fator para o seu desenvolvimento e sua manutenção no ambiente escolar. Muitos deles trabalham fora e estudam, outros são responsáveis pela organização da casa e pelo cuidado da família. Sendo assim, esses educandos necessitam que os encaminhamentos pedagógicos sejam:A resposta correta é: Organizados conforme sua realidade temporal..
Questão 6
Para Álvaro Vieira Pinto (2005), o analfabeto é alguém que não necessita ler. De acordo com esse autor, são as condições do mundo do trabalho que determinam a necessidade ou não da leitura. “O importante é compreender que o analfabeto adulto atual, ao qual nos dirigimos, vive numa sociedade letrada e por isso suas exigências culturais implícitas são as da linguagem alfabética, que é a do seu meio” (PINTO, 2005, p. 92). Sobre a construção do conhecimento por sujeitos em processo de escolarização, Oliveira afirma que:
A resposta correta é: Parece haver um acordo sobre a existência de uma diferença entre formas letradas e não letradas de pensamento; é importante reiterar, entretanto, que essa diferença não está claramente definida na literatura, não apenas pela falta de investigações mais específicas a respeito do funcionamento cognitivo dos grupos “pouco letrados”, mas também pela ausência de uma teoria consistente sobre os processos intelectuais dos adultos plenamente inseridos na sociedade letrada..
Questão 8
Para Álvaro Vieira Pinto (2005), o analfabeto é alguém que não necessita ler. De acordo com esse autor, são as condições do mundo do trabalho que determinam a necessidade ou não da leitura. “O importante é compreender que o analfabeto adulto atual, ao qual nos dirigimos, vive numa sociedade letrada e por isso suas exigências culturais implícitas são as da linguagem alfabética, que é a do seu meio” (PINTO, 2005, p. 92). Sobre a construção do conhecimento por sujeitos em processo de escolarização, Oliveira afirma que:
O autor Oliveira afirma que há diferença entre as formas letradas e não letradas de pensamento, contudo não está claramente definida na literatura, por falta de investigações a respeito do seu funcionamento cognitivo dos sujeitos pouco letrados.
A resposta correta é: Parece haver um acordo sobre a existência de uma diferença entre formas letradas e não letradas de pensamento; é importante reiterar, entretanto, que essa diferença não está claramente definida na literatura, não apenas pela falta de investigações mais específicas a respeito do funcionamento cognitivo dos grupos “pouco letrados”, mas também pela ausência de uma teoria consistente sobre os processos intelectuais dos adultos plenamente inseridos na sociedade letrada..
O
Questão 2
O Primeiro guia de leitura, distribuído pelo ministério em larga escala para as escolas supletivas do país, orientava o ensino pelo método silábico. Consistia no uso de uma cartilha padronizada, com lições de ênfase na organização fonética das palavras. As lições partiam de palavras-chave selecionadas e organizadas segundo as características fonéticas. A função dessas palavras era remeter aos padrões silábicos, como foco de estudo. As sílabas deveriam ser memorizadas e remontadas para formar outras palavras. As primeiras lições também continham pequenas frases montadas com as mesmas sílabas. Nas lições finais, as frases compunham pequenos textos contendo orientações sobre preservação da saúde, técnicas simples de trabalho e mensagens de moral e civismo (RIBEIRO, 1997, p. 29).
Dessa forma, a educação de adultos desenvolveu-se a partir de atividades de alfabetização, que forneciam, além dos códigos linguísticos, os valores culturais que permitiam a participação social, pois essa alfabetização era orientada para integrar os adultos iletrados ao meio em que viviam, ensinando-lhes: A resposta correta é: A leitura, a escrita e o cálculo matemático..
Questão 7
O Mobral esteve presente por um longo período na história recente do nosso país e ainda hoje encontramos alunos e professores que vivenciaram esse período da história da Educação de Jovens e Adultos no Brasil. Em relação ao Mobral, que foi extinto em 1985, assinale as sentenças com V para Verdadeiro e F para Falso:
I.As administrações de alguns estados e municípios maiores passaram a ganhar autonomia com relação ao Mobral. II.Desacreditado nos meios políticos e educacionais. III.Não conseguia manter os programas educativos. IV.Propunha uma metodologia considerada ultrapassada. V.Seu lugar foi ocupado pela Fundação Nacional para Educação de Jovens e Adultos (Fundação Educar). A resposta correta é: V, V, V, V, F..
Questão 9
Os desafios da EJA exigem do educador um olhar cuidadoso sobre as questões que norteiam a relação entre professor, aluno e conhecimento e que podem interferir no sucesso escolar. Essas questões implicam a consideração de fatores importantes no processo de ensino e aprendizagem, como o contrato didático, a gestão do tempo, a organização do espaço, os recursos didáticos, a interação e a cooperação, e a interação da escola com as práticas sociais. Assim sendo, analise a citação a seguir e determine as alternativas em V para Verdadeiro e F para falso: [...] a inovação curricular não consiste apenas em mudar, ou tentar mudar, o que se ensina e se aprende na escola. Tão importante quanto o que se ensina e se aprende é como se ensina e como se aprende. Na verdade, hoje sabemos que ambos os aspectos são indissociáveis. O que finalmente os alunos aprendem na escola depende em boa medida de como o aprendem; e o que finalmente nós professores conseguimos ensinar aos nossos alunos é indissociável de como lhes ensinamos (COLL SALVADOR, 1999, p. 30).
A resposta correta é: V, F, F, V, F..
Questão 7
O paradigma pedagógico proposto por Freire baseava-se em um novo entendimento da relação entre as problemáticas educacional e a social. “Antes apontado como causa da pobreza e da marginalização, o analfabetismo passou a ser interpretado como efeito da situação de pobreza gerada por uma estrutura social não igualitária.” (PAIVA, 1987, p. 216). Freire (1996) criticou a chamada “educação bancária”, que considerava o analfabeto como alguém que não possui cultura ou conhecimento, uma espécie de banco onde o educador deveria depositar o conhecimento. Como contraponto a esse modelo, Freire fez referência à educação problematizadora. A educação apregoada por Freire não se caracteriza pela transmissão de conhecimentos, como se o processo de ensino e de aprendizagem circulasse em uma rua de mão única. Tomando o alfabetizando como sujeito de sua aprendizagem, assinale a alternativa correta sobre o que Freire propunha em seu método:
Tomando o alfabetizando como sujeito de sua aprendizagem, ele propunha uma ação educativa que não negasse a cultura, mas que fosse transformando-a através de um diálogo ancorado no tripé educador/ alfabetizando/objeto do conhecimento. Dessa forma se busca a excelência e a aprendizagem efetiva dos adultos dentro da proposta de educação popular de Paulo Freire. Com uma proposta conscientizadora de alfabetização de adultos, prescindindo da utilização de cartilhas, valorizando os saberes dos alfabetizandos, dos quais se originavam os conteúdos de ensino, e considerando que “a leitura do mundo precede a leitura