A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
125 pág.
FILOSOFIA JURÍDICA

Pré-visualização | Página 17 de 38

partilham a convicção de que o afeto predominante nesse estado de natureza seria o medo.
III. Um traço comum da filosofia política moderna é a idealização de um pacto que estabeleceria a passagem do estado de natureza para o estado de sociedade.
Em vista da análise acima, assinale a opção CORRETA:
		
	 
	A) apenas a afirmativa I.
	
	E) apenas as afirmativas II e III.
	 
	C) apenas a afirmativa III.
	
	B) apenas a afirmativa II.
	
	D) apenas as afirmativas I e II.
	
Explicação:
A opção correta é a letra C: Um traço comum da filosofia política moderna é a idealização de um pacto que estabeleceria a passagem do estado de natureza para o estado de sociedade.
	
	
	 
	
	 3a Questão
	
	
	
	
	"A justiça e a conformidade ao contrato consistem em algo com que a maioria dos homens parece concordar. Constitui um princípio julgado estender-se até os esconderijos dos ladrões e às confederações dos maiores vilões; até os que se afastaram a tal ponto da própria humanidade conservam entre si a fé e as regras da justiça."
Portanto, de acordo com Locke, até a mais precária coletividade depende de uma noção de justiça, pois tal noção:
		
	
	A) Identifica indivíduos despreparados para a vida em comum.
	 
	B) Contribui com a manutenção da ordem e do equilíbrio social.
	
	E) Representa os interesses da coletividade, expressos pela vontade da maioria.
	 
	D) Determina o que é certo ou errado num contexto de interesses conflitantes.
	
	C) Estabelece um conjunto de regras para a formação da sociedade.
	
Explicação:
Justificativa: Opção correta letra B.
Para JOHN LOCKE a verdadeira justiça surgia de um contrato social que seria um pacto em que todos os homens concordariam livremente em formar uma sociedade com o objetivo de proteger os seus direitos e que obrigatoriamente emanava do exercício da liberdade individual. Segundo o pensamento liberal há uma concepção minimalista de Estado, que teria simplesmente a missão de permitir o exercício dos direitos naturais de cada cidadão (vida, saúde, liberdade e propriedade). Estabelecia-se a prevalência dos direitos individuais sobre o poder do Estado; a plena liberdade do controle substituía o antigo ajuste natural.
	
	
	 
	
	 4a Questão
	
	
	
	
	Nasce a concepção de que o Estado, concebido como sociedade política, decorre de um contrato celebrado pelos indivíduos que, desse modo, se transformam em cidadãos, porque aceitam ceder seus direitos naturais a um poder comum, o próprio Estado - o Leviatã (o soberano), cuja autoridade passam a respeitar, sem qualquer tipo de contestação. Legitima o Estado Absoluto (HOGEMANN, 2015).
Com base no texto e, principalmente, nos conhecimentos sobre a teoria contratualista de Hobbes, é correto afirmar:
		
	
	A) O soberano tem deveres contratuais com os seus súditos.
	
	B) O poder político tem como objetivo principal garantir a liberdade dos indivíduos.
	
	D) O poder soberano não deve obediência à lei da natureza.
	 
	E) Acusar o soberano de injustiça seria como acusar a si mesmo de injustiça.
	 
	C) Antes da instituição do poder soberano, os homens viviam em paz.
	
Explicação:
Justificativa: Para Hobbes, o poder do soberano deve ser absoluto, isto é, total e ilimitado. Cabe ao soberano julgar sobre o bem e o mal, o justo e o injusto, não podendo ninguém discordar, pois tudo o que o soberano faz é investido da autoridade consentida pelo súdito. Por isso é contraditório dizer que o governante abusa do poder, não há abuso quando o poder é ilimitado.
	
	
	 
	
	 5a Questão
	
	
	
	
	Locke parte da concepção que os indivíduos isolados no estado de natureza unem-se mediante contrato social para constituir a sociedade civil onde apenas o pacto torna legitimo o poder do Estado e onde os direitos naturais humanos subsistem para limitar o poder deste Estado. Em vista disso, observado o pensamento acerca da teoria de Locke analise as assertivas abaixo, assinalando a alternativa que condiz com tal pensamento:
I. A passagem do estado de natureza para a sociedade política ou civil, segundo Locke, é realizada mediante um contrato social, através do qual os indivíduos singulares, livres e iguais dão seu consentimento para ingressar no estado civil.
II. O livre consentimento dos indivíduos para formar a sociedade, a proteção dos direitos naturais pelo governo, a subordinação dos poderes, a limitação do poder e o direito à resistência são princípios fundamentais do liberalismo político de Locke.
III. A violação deliberada e sistemática dos direitos naturais e o uso contínuo da força sem amparo legal, segundo Locke, não são suficientes para conferir legitimidade ao direito de resistência, pois o exercício de tal direito causaria a dissolução do estado civil e, em consequência, o retorno ao estado de natureza.
IV. Os indivíduos consentem livremente, segundo Locke, em constituir a sociedade política com a finalidade de preservar e proteger, com o amparo da lei, do arbítrio e da força comum de um corpo político unitário, os seus inalienáveis direitos naturais à vida, à liberdade e à propriedade.
V. Da dissolução do poder legislativo, que é o poder no qual "se unem os membros de uma comunidade para formar um corpo vivo e coerente", decorre, como consequência, a dissolução do estado de natureza.
 
Portanto, das afirmativas feitas acima, a opção CORRETA é:
 
		
	
	D) As afirmações II e III estão corretas.
	
	C) As afirmações III e IV estão corretas.
	 
	A) Somente a afirmação I está correta.
	
	B) As afirmações I e III estão corretas.
	 
	E) As afirmações III e V estão incorretas.
	
Explicação:
Justificativa: Para Locke, os riscos da paixão e da parcialidade são muito viáveis no estado de natureza e podem desestabilizar as relações entre os indivíduos; portanto, visando a garantia da segurança e tranquilidade necessária ao uso da propriedade e segundo ele, "propriedade" abarca a concepção acerca da conservação da vida, da liberdade e, consequentemente, dos bens, daí todos consentirem em instituir o corpo político.
	
	
	 
	
	 6a Questão
	
	
	
	
	Os contratualismo de Thomas Hobbes (1588-1679)  e de Jean-Jacques Rousseau (1712-1778) são formas distintas de instituir e legitimar  o Estado.  Sendo que para Hobbes o objetivo é garantir a paz e para Rousseau, a essência do homem, a liberdade.  Desta forma é correto afirmar que 
		
	
	Para Hobbes e Rousseau a monarquia é a melhor forma de governo;
	
	Para Hobbes e Rousseau não há direito sem o Estado;
	
	Para Hobbes a verdadeira liberdade é a "natural", em oposição à "dos súditos" e para Rousseau a verdadeira liberdade é a "natural" em oposição à "convencional".
	 
	Para Hobbes e Rousseau o mais racional é viver no Estado justo;
	 
	Para Hobbes e Rousseau o contrato é o meio através do qual se estabelece os direitos e deveres do Soberano e dos súditos. 
	
Explicação:
Para Hobbes e Rousseau o mais racional é viver no Estado justo;
	
	
	 
	
	 7a Questão
	
	
	
	
	Assinale a opção correspondente ao imperativo categórico de Kant.
		
	 
	Age de tal modo que a máxima de tua ação possa ser sempre erigida em princípio de uma legislação universal.
	
	Age de tal modo que a tua ação atenda ao princípio da razão e da igualdade entre os homens.
	
	Age de tal modo que a tua ação esteja de acordo com os mandamentos de Deus.
	
	Age de tal modo que a tua ação esteja de acordo com os mandamentos de Mohamed.
	 
	Age de tal modo que tua ação respeite as regras estabelecidas pela comunidade em que tu vives.
	
Explicação:
	Age de tal modo que a máxima de tua ação possa ser sempre erigida em princípio de uma legislação universal.
	
	
	
	 
	
	 8a Questão