A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
Concordância verbal e concordância nominal

Pré-visualização | Página 2 de 3

3ª pessoa do plural
  ↨
Pronome pessoal
(núcleo do sujeito)
3ª pessoa do plural
                                         Sintagma verbal
Em alguns casos, o sujeito aparece após o verbo, o que não afeta as relações de concordância. O verbo deve concordar com o núcleo do sujeito em número e pessoa.
Observe o exemplo:
	O prêmio do concurso ganharam todos os alunos inscritos.
                                        ↨                          ↨
                                        ↨                   substantivo (núcleo do sujeito)
                                        ↨                       3ª pessoa do plural (eles)
                                        ↨
                          verbo transitivo direto
                         (núcleo do predicado)
                           3ª pessoa do plural
                                        Sintagma verbal
Casos especiais de concordância verbal com sujeito simples
Expressões partitivas + substantivo/pronome:
Quando o sujeito apresenta expressão partitiva, ou seja, aquela que sugere uma “parte de alguma coisa”, seguida de substantivo ou pronome no plural, o verbo pode ficar no singular ou ir para o plural.
Exemplos:
A  maioria dos alunos  não estuda para o simulado. 
O verbo ficou no singular porque a concordância foi feita com o substantivo 'maioria', que é o núcleo do sujeito da oração.
A  maioria dos alunos  não estudam para o simulado. 
O verbo passa para o plural caso a concordância seja feita com o substantivo que sucede a expressão partitiva, no núcleo do adjunto adnominal.
Porcentagem
Quando o sujeito apresenta apenas a expressão numérica de uma porcentagem, o verbo deve concordar com o valor da expressão numérica.
Exemplos:
  27% deixaram de ir às urnas neste ano.
Apenas 73% compareceram às urnas neste ano.
Aqueles 27% que não votaram terão que se justificar no TRE.
Quando a expressão indicativa de porcentagem for seguida de um substantivo, transforma-se em uma expressão partitiva e, por isso, o verbo poderá concordar com o numeral ou com o substantivo.
Exemplo:
  1% dos eleitores votaram  nulo. 
 1% dos eleitores  votou nulo. 
Expressões fracionárias
Em expressões fracionárias, o verbo deve concordar com o numerador (o número que aparece acima do traço) da fração.
Exemplo:
No município de Tajuí,   1/3   dos eleitores  é homem , ou seja, 2/3 são mulheres.
Expressão indicativa de quantidade aproximada
Quando o sujeito é constituído de qualquer expressão que indique quantidade aproximada, como mais de, menos de, perto de, cerca de, etc., seguida de numeral, o verbo concorda com o substantivo que segue essa expressão.
Exemplos:
Cerca de vinte e sete artistas prestigiaram o evento.
Mais de um aluno ficou de recuperação em Matemática.
Uma semana e um dia se passaram e ainda não tenho notícias dele.
Pronomes relativos
Pronome relativo 'que'
a) Quando o pronome relativo 'que' atua como sujeito e introduz uma oração subordinada adjetiva, o verbo deverá concordar em número e pessoa com o termo da oração principal ao qual o pronome relativo faz referência.
Exemplo:
Foi   Joana que fez   esse bolo.
b) Quando o pronome relativo 'que' for antecedido, na oração principal, pela expressão 'um(a) do(a)', o verbo da oração adjetiva vai para o plural.
Exemplo:
Pastor alemão é   uma das   raças caninas  que  melhor vigiam residências.
c) Quando a intenção é a de destacar o sujeito do grupo, o verbo deve ser utilizado no singular.
Exemplo:
  Pastor alemão é uma das raças caninas  que  mais vigia residências. 
Pronome relativo 'quem'
Quando o sujeito da oração é o pronome relativo 'quem', o verbo pode concordar com o antecedente do pronome ou com o próprio nome na 3ª pessoa do singular (ele/a).
Exemplo:
Fui eu quem reservou/reservei a hospedagem.
Pronomes indefinidos e interrogativos
a) Quando o sujeito apresenta expressões construídas com pronomes indefinidos ou interrogativos no plural, seguidos de preposição  'de' e dos pronomes 'nós' e 'vós', o verbo é flexionado no plural, mas pode também concordar em pessoa tanto com o pronome indefinido – na 3ª pessoa – como com o pronome pessoal.
Exemplo:
Alguns de nós poderão/poderemos saber a verdade ainda hoje.
b) Quando o pronome indefinido ou interrogativo estiverem no singular, o verbo concordará com a pessoa pronominal – 3ª do singular.
Exemplo:
Nenhum de nós merece sofrer.
Pronomes de tratamento
Quando o sujeito é constituído de um pronome de tratamento, o verbo vai sempre para a 3ª pessoa (singular ou plural), dependendo do número do pronome.
Exemplo:
Desejo que Vossa(s) Excelência(s) tenha(m) um excelente dia.
Substantivos
a) Quando o núcleo do sujeito é um substantivo coletivo, o verbo deve estar no singular.
Exemplo:
O cardume seguiu a jangada durante vinte minutos.
b) Quando o núcleo do sujeito é um substantivo que apresenta forma plural, mas tem sentido singular, o verbo deve permanecer no singular.
Exemplo:
Férias é essencial para todo trabalhador e estudante.
c) Quando o substantivo é antecedido por determinante, o verbo passará para o plural.
Exemplo:
Meus óculos são indispensáveis para que eu consiga trabalhar.
d) Quando o núcleo do sujeito é constituído de um substantivo próprio que apresenta forma plural, o verbo fica no singular caso o substantivo não seja antecedido por um determinante.
Exemplo:
Amores possíveis é o melhor filme nacional que já vi.
e) Quando o substantivo próprio for antecedido por determinante – artigo, pronome ou numeral, o verbo irá para o plural.
Exemplo:
Os Estados Unidos são o destino perfeito para quem é consumista.
Casos especiais com sujeitos compostos
Sujeito Posposto
a) Quando o sujeito composto é posposto ao verbo, há duas possibilidades de realizar a concordância. A primeira é o verbo no plural concordando com todos os núcleos; a segunda é o verbo no singular concordando apenas com o núcleo mais próximo caso ele esteja no singular.
Exemplos:
Entraram na sala o professor e os alunos.
Entrou na sala o professor e os alunos.
Exercícios
1. Partindo do pressuposto de que algumas classes de palavras se caracterizam como invariáveis, analise as orações abaixo, optando por atribuir-lhes o termo correspondente.
a – A garota parece ------------- confusa. (meio/meia)
b -  Comemos ------------pizza durante o rodízio com amigos. (meio/meia)
c – São -------------------as reclamações sobre a mudança de itinerário. (bastante/bastantes)
d – Por hoje já basta, pois estamos ---------------------cansadas. (bastante/bastantes)
e – Perdemos ----------------------chances de demonstrarmos nosso talento. (bastante/bastantes)
2. (Acafe-SC) Assinale a alternativa que completa corretamente os espaços:
A entrada para o cinema foi..., mas o filme e o desenho... compensaram, pois saímos todos....   
a) caro – apresentado – alegre
b) cara – apresentado - alegre
c) caro – apresentados – alegres
d) cara – apresentados – alegres
e) cara – apresentados – alegre.
3. (TJ-SP) Considerando a concordância nominal, assinale a frase correta:
a) Ela mesmo confirmou a realização do encontro. 
b) Foi muito criticado pelos jornais a reedição da obra.
c) Ela ficou meia preocupada com a notícia.
d) Muito obrigada, querido, falou-me emocionada.
e) Anexos, remeto-lhes nossas últimas fotografias.
4. Assinale a alternativa cujas formas verbais preencham corretamente as lacunas das orações:
I - ____________ - se estes apartamentos. (alugar - presente do indicativo).
II - ____________ - se muitos carros este mês. (pretérito - perfeito do indicativo).
III - ____________ - se de muitos voluntários para a campanha. (precisar - pretérito imperfeito do indicativo).
IV - Todos os dias se ____________ as fechaduras das portas da escola. (consertar – pretérito imperfeito do indicativo).
V - ____________ -se sempre pelas piores notícias. (esperar – pretérito perfeito do indicativo).
a) alugam, venderam, precisava, consertavam, esperou.
b) aluga, vendeu, precisou, consertou, esperava.