A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
50 pág.
ESTAGIO

Pré-visualização | Página 5 de 14

que trazem para a escola uma nova visão no que se refere à relação existente entre o conhecimento, o aluno e o professor.Essa relação é integrada, construtiva e compartilhada, e tem por finalidade atender às necessidades e expectativas dos alunos, bem como ás questões, que tenham ressonância no seu cotidiano e ás demandas sociais pertinentes ao seu meio. De acordo com o Projeto Politico-Pedagógico da escola, entende-se que a escola é responsável pelo desenvolvimento das competências e habilidades básicas em qualquer aprendizagem e também pela educação moral e ética de seus alunos. Nesse sentido a escola tem oferecido uma educação que privilegia o desenvolvimento sistemático de competências cognitivas e de uma formação humana voltada para a construção de valores, destacando-se entre eles, a autonomia, a solidariedade, a criticidade e a criatividade. Eles aprendem a pensar por meio de relações, num processo dialógico. Acompanhar a evolução através de avaliações é uma pratica de rotina dos educadores, por isso a proposta pedagógica foi criada para atender as necessidades do aluno. A principal meta é fazer com que o estudante encontre respostas para suas indagações e, alem disso, proporcionar ao adolescente o desenvolvimento de sua autonomia cognitiva, emocional e social, levando-os a aplicar com segurança e independência os conceitos construídos. Os alunos constroem, criticam, comparam, deduzem e experimentam. Há o auxilio de profissionais competentes e comprometidos com uma educação atraente e estimulantes, capaz de atender às necessidades de todos. O sucesso da aprendizagem está em explorar talentos, atualizar possibilidades, desenvolver predisposições, pedagogia ativa, dialógica, interativa, integradora, que se contraponha a toda e qualquer visão unidirecional.A escola trabalha muito para manter um bom resultado educacional, atende as necessidades urgentes de todos os indicadores com atribuições bem definidas, realiza práticas constantes referentes à gestão, realiza várias ações com muita ênfase e vive em busca intensa de um potencial e formas práticas para as realizações dos indicadores. Realiza, periodicamente, práticas de avaliação e socialização dos objetivos e metas alcançados pela proposta pedagógica e procura envolver os representantes do segmento na comunidade escolar,tem realizados registros, análises e socialização das taxas procurando programar ações de melhoria, realiza o acompanhamento e controle de frequência dos alunos para assegurar a sua permanência, com sucesso, analisa os resultados do seu desempenho e identifica necessidades, propõe metas de melhoria, levanta, analisa e trabalha índices de satisfação em relação à gestão, às práticas pedagógicas e aos resultados da aprendizagem. Além disso, divulga aos pais e comunidade os resultados de aprendizagem dos alunos e as ações educacionais para a melhoria do ensino. 
Atividade 5: Entrevista com o professor regente
1- Nome completo do professor entrevistado: ANGELA MARIA CIETO. 
2- Ano em que concluiu a graduação:2006 
3- Possui curso de especialização? Área do curso de especialização.
 Após formação em História continuei me capacitando e fiz diversos cursos oferecidos pela Secretaria de Educação de São Paulo e capacitações oferecidas pela Diretoria de Ensino tendo também cursado Pedagogia. 
4- Tempo de magistério e locais de atuação.
Onze anos na Escola Estadual JARDIM SOUZA LIMA onde sou professor efetivo. 
5- Participa de cursos de capacitação ou formação continuada? Citar os últimos cursos realizados.
Sim: Novas Tecnologias na Aprendizagem: Didática Aplicada, Currículo de História no ensino básico e Pedagogia.
6- Visão sobre o ensino de História no Ensino Médio.
Os estudantes só aprendem a disciplina quando relacionam fatos, confrontam pontos de vista e consultam diversas fontes de pesquisa. Para desenvolver a postura crítica da turma e dar aulas consistentes, é fundamental que o professor entenda esse processo. História é uma disciplina passível de múltiplas abordagens - que até há pouco tempo não estavam em sala de aula, mas que hoje devem ser vistas com destaque. Por isso, tornou-se premente o trabalho com diversas fontes e o relacionamento do passado com o presente para que se entenda que contra fatos há, sim, argumentos. Tudo depende do olhar que se lança sobre eles. Ter consciência de que a História não é estática nem feita de verdades absolutas é essencial para o professor e para a formação do aluno
7- Rotina de trabalho nas aulas de História. Gerencio as classes, organizando o tempo, o espaço e o agrupamento dos estudantes, de modo a potencializar as aprendizagens.
Seleciono e utilizo diferentes recursos didáticos, ajustando-os às necessidades de aprendizagem dos estudantes.
Avalio a eficiência de situações didáticas para a aprendizagem dos estudantes, envolvendo diferentes conhecimentos presentes no currículo escolar.
Avalio a aprendizagem dos estudantes por meio de estratégias diversificadas e utilizo a análise dos resultados para reorganizar as propostas de trabalho.
Peço que os estudantes explorem várias fontes para que compreendam a história como sendo um fruto de transformações. Uso Livros didáticos, filmes e revistas, mas estou sempre aberta a receber sugestões da turma. Trabalho com livros e apostilhas da SEE que somos obrigados a usar.
Diversifico as atividades e seus modos de organização: situações didáticas em grande grupo, pequenos grupos, duplas e de forma individual.
8- Trabalha com mapas, imagens, vídeos (filmes/ desenhos), músicas, livros didáticos, computador, internet, história em quadrinhos? Como? Na sala de informática na sala de vídeo e na sala de aula. Hoje as novas tecnologias são usadas largamente nas aulas história como em outras disciplinas também. As imagens como a fotografia, pinturas, gravuras e filmes povoam as aulas de História há um certo tempo e trouxeram um novo desafio ao professor de História levar os alunos a refletirem com uma análise crítica dos fatos.
9- Em sua opinião quais as diferenças existentes entre o ensino de História no Ensino Fundamental e no Ensino Médio? Quais as diferenças em relação à seleção e abordagem dos conteúdos?
No ensino fundamental através das apostilhas da SEE/SP trabalho I) ‘História das relações sociais, da cultura e do trabalho’, subdividida em ‘as relações sociais, a natureza e a terra’, e ‘as relações de trabalho’; II) ‘História das representações e das relações de poder’, desdobrada também em dois subitens: ‘nações, povos, lutas, guerras e revoluções’; ‘cidadania e cultura no mundo contemporâneo’.No ensino médio também através das apostilhas da SEE/SP trabalho História Geral e História do Brasil. As aulas de Ensino Médio também ajudam o aluno a se preparar para o Vestibular e o Enem. Qualquer estudo de História do Brasil, nos ensinos Fundamental e Médio, deve começar pela situação atual do país a partir de noticiários televisivos, pesquisa em jornais, revistas, livros didáticos e para-didáticos, filmes históricos, entrevistas com membros de determinados segmentos sociais, de acordo com a localização e possibilidades de cada escola.
Buscar as conexões entre presente e passado da História brasileira, enriquecerá, sobremaneira, os conhecimentos dos alunos.Faz-se necessário o estudo das desigualdades: distribuição de renda, da propriedade da terra- seus avanços e retrocessos (a questão do latifúndio e as novas formas de exploração agrícola), buscando as relações entre os problemas do presente com os fatos que deram origem a eles, nos diversos períodos históricos.Se a miséria, englobando grandes bolsões da sociedade brasileira, constitui, ainda, um grave problema social brasileiro, inegavelmente, o país evoluiu socialmente nos últimos 30 anos, sob todos os aspectos. Pesquisa sobre a evolução econômica brasileira, durante o século XX, demonstrariam os avanços sociais dela decorrente, obtidos nas últimas décadas. De fundamental importância será o estudo da escravidão, responsável pelo atraso econômico-social