A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
 1000 PERGUNTAS (respostas)

Pré-visualização | Página 19 de 50

- Seção 4 - Mão 283 
268. Resposta correta: b. 
A bursa radial é a extensão proximal da bainha tendinosa do flexor longo 
do polegar, enquanto a bursa ulnar é a extensão proximal da bainha do flexor 
profundo do quinto dedo. Ambas se estendem pelo carpo até a extremidade 
distal do antebraço. 
Referência: Pardini A. "Infecções de mão". ln : Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: lesões não 
traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
269. Resposta correta: d. 
Dor intensa na extensão passiva do dedo é o único sinal que está presente 
na fase inicial. 
Referência: Pardini A. "Infecções de mão". ln: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: lesões não 
traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
270. Resposta correta: d . . 
São indicações: contratura fixa após queimadura, sequela de dedo em mar-
telo, sequela de fraturas e paralisias e alguns casos artrite reumatoide e artrite 
degenerativa. 
Referência: Pardini A. ''Artrodeses da mão e do punho". ln: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: 
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
271. Resposta correta: a. 
As mulheres são acometidas 3 a 4 vezes mais que os homens. O tabagismo 
está estatisticamente relacionado com o risco de desenvolver SDRC. Está relacio-
nada a fatores como instabilidade emocional, depressão, mania e insegurança; 
quando ocorre lesão nervosa, é classificada como SDRC tipo II. 
Referência: Pardini A. "Distrofia simpaticorreflexa e causalgia''. ln: Pardini A, Freitas A. Cirurgia 
de mão: lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
272. Resposta correta: d. 
O dedo em gatilho primário é a forma mais comum de apresentação. Aco-
mete mais o sexo feminino, em uma proporção de 6: 1 com relação ao sexo mas-
culino e é mais comum entre a quinta e a sexta décadas de vida. O dedo mais 
acometido é o polegar, seguido do anular, do indicador, domédio e do mínimo. 
Referência: Pardini A. "Tendinites e tenossinovites''. ln: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: 
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
273. Resposta correta: a. 
Os tendões extensores que se rompem com mais frequência são os dos 
dedos mínimo, anular e médio. Raramente se indica sinovectomia no nível da 
284 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
articulação interfalangeana distal; a artrodese de punho está indicada quando o 
colapso carpal está muito avançado e a sinovectomia do dorso do punho é uma 
das cirurgias mais frequente nos pacientes com artrite reumatoide. 
Referência: Pardini A. "Tendinites e tenossinovites''. ln: Pardini A, Freitas A. Cirurgia de mão: 
lesões não traumáticas, 2.ed. Rio de Janeiro: Medbook, 2008. 
274. Resposta correta: a. 
A doença de Kienbõck é classificada por Lichtman et al. em 4 estágios, 
sendo que o estágio III é subdividido em A e B. No estágio I não se observa alte-
ração radiográfica ou aparece uma pequena fratura linear. No estágio II, verifi-
camos aumento da opacidade do semilunar na radiografia, porém, sem alteração 
na forma do semilunar. No estágio III existe fragmentação, com colapso do se-
milunar, sendo do IIIA sem rotação do escafoide e o IIIB com rotação do esca-
foide. O estágio IV se caracteriza pela presença de artrose. 
As cirurgias de descompressão ( encurtamento do rádio, alongamento da 
ulna e algumas artrodeses) são mais bem indicadas quando não há colapso do 
semilunar, o que permite a revascularização e a manutenção da forma do semi-
lunar. A substituição do semilunar por prótese de silicone tem sido abandonada 
pelas complicações decorrentes de instabilidade e sinovite que se instalam com 
o tempo. A ressecção isolada do semilunar não impede o colapso do carpo e 
uma consequente evolução para artrose. A artrodese triescafoide não é usada se 
há artrose radiocarpiana. 
Referências: Browner J, Jupiter J, Levine A. Traumatismo do sistema músculo esquelético. Baru-
eri: Manole. 2' ed. 
275. Resposta correta: a. 
Na doença de Dupuytren, a corda espiral se forma pelo envolvimento e 
pela contratura de quatro estruturas: a banda pré-tendinosa, a banda espiral, a 
bainha lateral digital e o ligamento de Grayson. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10' ed. 
276. Resposta correta: d. 
A indicação terapêutica da deformidade em "pescoço de cisne" dos dedos 
da mão, em pacientes reumáticos, é baseada na classificação proposta por Nale-
buff et ai. No tipo I, as deformidades são flexíveis e as opções de tratamento ci-
rúrgico incluem dermodese, tenodese da articulação interfalângica proximal, 
artrodese da interfalângica distal e reconstrução do ligamento retinacular. No 
tipo II, existe contratura dos músculos intrínsecos e a necessidade de se associar 
algumas das técnicas citadas à liberação dos intrínsecos. O tipo III caracteriza-se 
Respostas comentadas - Seção 4 - Mão 285 
por rigidez articular sem alteração radiográfica, situação que requer prévia libe-
ração de partes moles para ganho de amplitude de movimento. O tipo IV carac-
teriza-se pela presença de artrose interfalângica proximal e é tratado por artro-
dese ou artroplastia. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10" ed. 
277. Resposta correta: e. 
Os ramos para os músculos braquiorradial e extensor radial longo do car-
po estão localizados proximalmente à bifurcação do nervo radial em ramos su-
perficial e profundo. Assim, a compressão no nível dessa bifurcação caracteriza-
se pela manutenção da função dos músculos acima citados. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. Barueri: Manole. 10" ed. 
278. Resposta correta: e. 
A síndrome da intersecção se caracteriza por uma tenossinovite causada 
por atrito dos músculos abdutor longo e extensor curto, ambos do polegar, com 
os músculos extensores radiais do carpo longo e curto. É um dos diagnósticos 
diferenciais da doença de Quervain. 
Referência: Tratado de Ortopedia - SBOT. Roca, 2007, p.274. 
279. Resposta correta: d. 
No antebraço, os músculos extensores dos dedos, do dedo mínimo e ulnar 
do carpo são inervados pelo ramo profundo do nervo radial, após a passagem 
pelo músculo supinador. O músculo extensor radial curto do carpo é inervado 
proximalmente, junto à bifurcação do nervo radial, em ramos superficial e pro-
fundo. 
Referência: Pardini AG. Traumatismos da mão. 4° ed. Rio de Janeiro: Medbook. 
280. Resposta correta: a. 
Na mão torta radial, o nervo de maior significância clínica é o mediano. 
Na maioria das vezes ele está engrossado e se localiza superficialmente na borda 
lateral do antebraço, ficando em risco de lesão durante a cirurgia. O nervo radial 
geralmente termina no nível do epicôndilo lateral e o nervo musculocutâneo, 
com frequência, é ausente. O nervo ulnar é normal. 
Referência: Canale ST, Beaty JH. Campbell's operative orthopaedics. ll •h ed., Mosby. p.4377. 
281. Resposta correta: b. 
Todos os músculos interósseos palmares são fusiformes. O primeiro e o 
segundo músculos lumbricais são fusiformes e originam-se nas bordas radiais 
286 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortoped ia e Traumatologia 
dos tendões flexores profundos do indicador e do médio, respectivamente. O 
terceiro e o quarto lumbricais são bipenados e se originam das bordas adjacentes 
dos tendões flexores profundos, entre os quais eles se localizam. 
Referência: Pardini AG, Freitas A. Cirurgia Traumatismos da mão. 4. ed., Rio de Janeiro: Med-
book, 2008. p.60. · 
' 282. Resposta correta: d. 
A recorrência da contratura após a fasciectomia na doença de Dupuytren 
acontece em até 50% dos casos e é mais frequente em pacientes jovens e em pa-
cientes com algum fator associado (epilepsia, alcoolismo, Peyronie, etc.). A fas-
ciectomia com ressecção da pele adjacente e enxertia de pele evita a recorrência 
da lesão. 
Referência: Canale