A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
 1000 PERGUNTAS (respostas)

Pré-visualização | Página 26 de 50

Referência: Mubarak & Davids. Redução fechada e fixação percutânea com pinos das fraturas 
supracondilianas do úmero distal em crianças. ln: Morrey BF. Cotovelo: master techniques in or-
thopaedic surgery. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter; 2005. p.49-81. 
360. Resposta correta: e. 
As fraturas do tipo II de Mason, ou seja, as que acometem menos de 30% 
da cabeça radial, são a melhor indicação para redução aberta e fixação interna. 
Quando associadas a instabilidade, devem ser fixadas praticamente em todas as 
faixas etárias. Nas fraturas do tipo III (cominutivas), pode ser considerada a 
substituição protética da cabeça do rádio. 
Referência: Morrey BF. Fraturas da cabeça radial. ln: Morrey BF. Cotovelo: master techniques in 
orthopaedic surgery. 2. ed. Rio de Janeiro: Revinter; 2005. p.83-102. 
306 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
361. Resposta correta: d. 
O nervo interósseo posterior é um ramo terminal do nervo radial. É pura-
mente motor e inerva os músculos extensores dos dedos e o extensor ulnar do 
carpo. A queixa principal é de dor na face lateral do cotovelo, e o diagnóstico 
diferencial é com a epicondilite lateral. O principal ponto de compressão é sob o 
músculo supinador ao passar pela arcada de Frohse. 
Referência: Santos S. Síndromes compressivas nervosas ao nível do cotovelo. ln: Franco JS. Om-
bro e cotovelo. Rio de Janeiro: Revinter; 2005. p.339-55. 
362. Resposta correta: b. 
A causa mais frequente em crianças é a interposição de um fragmento 
ósseo do epicôndilo medial, que requer tratamento cirúrgico por meio de redu-
çã~ anatômica e fixação interna. 
Referência: Motta Filho GR. Luxações e lesões ligamentares agudas do cotovelo. ln: Franco JS. 
Ombro e cotovelo. Rio de Jan eiro: Revinter; 2005. p.303-22. 
363. Resposta correta: e. 
A tríade terrível do cotovelo, descrita por Hotchkiss, é composta por luxa-
ção do cotovelo, fratura da cabeça do rádio e fratura do processo coronoide. 
Trata-se de uma lesão extremamente complexa, na qual a abordagem do trata-
mento deve objetivar estabilidade articular suficiente para promover mobilização 
precoce. Mesmo com o tratamento adequado, feito por cirurgiões experientes, 
pode levar a resultados insatisfatórios. 
Referência: Mathew PK, Athwal GS, King. Terrible triad injury ofthe elbow: current concepts. J 
Am Acad Orthop Surg. 2009; 17: 137-51. 
364. Resposta correta: d. 
A artroscopia do cotovelo apresentou um grande avanço na última década, 
tornando-se um procedimento cada vez mais seguro e efetivo. Graças a esse 
avanço, houve um consequente aumento em suas indicações, cujas principais são: 
remoção de corpos livres, excisão de osteófitos do olécrano, liberação capsular, 
sinovectomia e, mais recentemente, epicondilite lateral, excisão de placas sinoviais 
e tratamento de fraturas . A principal contraindicação é uma alteração na anato-
mia normal óssea ou dos tecidos moles (por exemplo, transposição prévia do 
nervo ulnar), que dificulte uma entrada segura na articulação para realização da 
artroscopia. 
Referência: Dodson CC, Nho SJ, Williams RJ, Alchek DW Elbow arthroscopy. Journal of the Am 
Acad Orthop Surg. 2008:16:574-85. 
Respostas comentadas - Seção 6 - Ombro e cotovelo 307 
365. Resposta correta: b. 
A tomografia computadorizada de cotovelo está sempre indicada nos casos 
de suspeita de fratura do coronoide em que as radiografias não são elucidativas. 
Referência: Steinmann SP. Coronoid process fracture. Journal of the Am Acad Orthop Surg. 
2008;16:519-29. 
366. Resposta correta: d. 
A técnica cirúrgica de Green consiste em um descolamento extraperioste-
al dos músculos superiores e mediais da escápula, ressecção do osso omovertebral 
(se presente), excisão da porção supraclavicular da escápula, rebaixamento da 
escápula e reinserção da musculatura na nova posição, com manutenção dessa 
posição com fio de tração esquelética. Outra técnica muito utilizada é a descrita 
por Woodward, em que o rebaixamento da escápula é feito por meio de desin-
serção muscular mediana e reinserção mais distal. 
Referência: Lech R. Deformidade de Sprengel (escápula alada). In: Lech R. Defeitos congênitos 
nos membros superiores. Rio de Janeiro: Medsi; 2003. p.75-83. 
367. Resposta correta: e. 
O teste de Speed é feito com o cotovelo estendido e o antebraço supinado, 
fazendo uma elevação contra resistência até 60°. O resultado é considerado positi-
vo quando o paciente refere dor na área do sulco bicipital. A associação correta dos 
outros testes é: Jobe - supraespinal, Patte - infraespinal e Gerber - subescapular. 
Referência: Lech O, Piluski PCF. Diagnóstico do ombro e cintura escapular - anatomia aplicada 
e exame físico. In: Franco. Ombro e cotovelo. Rio de Janeiro: Revinter; 2005. p.51-70. 
368. Resposta correta: d. 
Sempre que possível, devem ser corrigidas ambas as lesões. Essa associação 
é mais comum em pacientes acima de 40 anos de idade, e as vias de acesso pre-
feridas são a deltopeitoral ou a artroscópica, pois permitem abordar ambas as 
lesões. 
Referência: Checchia S, Doneux S. Luxação anterior recidivante do ombro e lesão do manguito 
rotador em pacientes acima dos 40 anos. Revista Brasileira de Ortopedia, 2005;40(8):153-61. 
369. Resposta correta: a. 
A incidência de Zanca é feita centralizando-se os raios na articulação acro-
mioclavicular, porém com uma inclinação cefálica de 10° para não haver sobre-
posição de imagem com a espinha da escápula. Na incidência de Stryker, com o 
paciente em posição supina, o ombro é flexionado em aproximadamente 120° 
308 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
para que a mão possa ser colocada no topo da cabeça; uma inclinação de 10° 
cefálica é feita no tubo de raios X. 
Referência: Rockwood Jr & Jensen. Avaliação radiográfica dos problemas do ombro. ln: Rock-
wood CA Jr., Matsen FA. Ombro. Rio de Janeiro: Revinter; 2002. p.199-231. 
370. Resposta correta: a. 
O os acromiale é resultante da falta de fusão dos centros de ossificação do 
acrômio. A localização mais frequente é entre o mesoacrômio e o meta-acrômio, 
sendo mais bem visualizado na incidência radiográfica axilar. 
Referência: Escápula. ln: : Rockwood CA Jr., Matsen FA. Ombro. Rio de Janeiro: Revinter; 2002. 
p.391-427. 
371. Resposta correta: e. 
A presença de lesões de Hill-Sachs e Bankart com acometimento de mais 
de 25% da cabeça umeral ou glenoide, respectivamente, está relacionada com um 
maior índice de recidivas pós-artroscopia nos casos de instabilidade anterior 
traumática do ombro. 
Referência: Godinho GG, França FO, Freitas JMA, Menezes CM, Freire SG, Wanderley AL, 
Santos LGC. Tratamento artroscópico da instabilidade anterior traumática do ombro: resultados a 
longo prazo e fatores de risco. Rev Bras Ortop. 2008;43(5):157-66. 
372. Resposta correta: b. 
A maioria das lesões parciais não se cura por si só e tende a aumentar de 
tamanho com o passar do tempo. As rupturas da superfície articular geralmente 
estão envolvidas com fatores intrínsecos, enquanto as bursais estão mais relacio-
nadas a fatores extrínsecos. A acromioplastia deve ser feita apenas nos casos em 
que houver sinais de compressão extrínseca, retirando-se o mínimo de osso para 
alcançar um acrômio plano. Em atletas de arremesso acima da cabeça, o trata-
mento deve ser inicialmente clínico, por meio de alongamento da cápsula poste-
rior, fortalecimento do manguito rotador, anti-inflamatórios e treinamento da 
mecânica do arremesso. O tratamento cirúrgico fica reservado para os casos de 
falha no tratamento clínico. 
Referência: Wolff AB, Sethi P, Sutton KM, Covey AS, Magit DP, Medvecky M. Partial-thickness 
rotator cuff tears. J Am Acad Orthop Surg. 2006; 14(13):715-25. 
373. Resposta correta: a. 
São fatores associados: trauma, diabetes melito, idade acima de 49 anos, 
infarto do miocárdio, AVC, hipertireoidismo