A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
 1000 PERGUNTAS (respostas)

Pré-visualização | Página 28 de 50

a progressão da lesão na ruptura do manguito rotador, 
isto é, não protegem o manguito rotador do aumento da lesão. Por isso, alguns 
autores têm recomendado que as lesões parciais da espessura do manguito rota-
dor sejam reparadas quando acometerem pacientes relativamente jovens ou que 
tenham alta demanda na vida diária. 
Referência: Keener JD. Partial-thickness rotator cuff tears. ln: Orthopaedic knowledge update: 
shoulder and elbow. Am Acad Orthop Surg. 2008, p.161-71 
394. Resposta correta: b. 
A classificação comumente utilizada para as rupturas do manguito rotador 
é descritiva e não se fundamenta na etiologia ou na história natural da doença. 
A classificação mais utilizada é a de Ellman , a qual se baseia na localização (face 
bursal ou articular) e na profundidade e no tamanho da lesão. 
Referência: Keener JD. Partial-thiclrness rotator cuff tears. ln: Orthopaedic knowledge update: 
shoulder and elbow. Am Acad Orthop Surg. 2008:161-71 
Respostas comentadas - Seção 6 - Ombro e cotovelo 313 
395. Resposta correta: d. 
A tendinite calcária é uma doença que, em geral, acomete o ombro. A etio-
logia é desconhecida. Consiste na deposição e na reabsorção de cálcio dentro dos 
tendões do manguito rotador. Os paciente afetados encontram-se na faixa entre 30 
e 50 anos de idade. A grande maioria ocorre 1,5 a 2 cm da inserção do tendão do 
músculo supraespinal. Foram descritos três estágios da doença: fase pré, fase de 
calcificação (formativa, repouso e reabsorção) e fase pós-calcificação. O diagnós-
tico é realizado por meio da anamnese, do exame físico e dos exames de imagem. 
Referência: Sherman, & Marx. "Calcific tendinites". ln: Orthopaedic knowledge update: shoulder 
and elbow. Am Acad Orthop Surg. 2008, p.569-75. 
396. Resposta correta: e. 
É relatado que na capsulite adesiva do ombro ocorre inicialmente a perda 
da rotação medial, seguida pela flexão e pela rotação lateral. 
Com maior frequência os pacientes podem fazer rotação medial até o sacro, 
mantendo 50% da rotação lateral, demonstrando menos de 90º de abdução. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. 2006. p.2350. 
397. Resposta correta: d. 
A fratura do olécrano tipo 2B, da classificação de Mayo, se caracteriza pela 
cominução do foco de fratura, tendo como melhor opção de fixação, placa e 
parafusos, com objetivo de estabilizar e manter o comprimento da ulna, evitando 
o encurtamento ao se aplicar técnicas de compressão ou banda de tensão no foco 
da fratura. 
Referência: Bucholz RW, Heckman JD, Court-Brown CH (eds.) Rockwood and Green's fractures 
in adults. 6.ed., Lippincott Williams & Wilkins. p.1042. 
398. Resposta correta: d. 
Na PBO do tipo ERB-Duchenne o membro superior acometido assume a 
posição de adução do ombro, extensão do cotovelo e pronação do antebraço, em 
decorrência da paralisia dos músculos deltoide, bíceps braquial e supinador. 
Referência: Tachdjian MO. Pediatric orthopaedics. Philadelphia: Saunders. 2. ed. , vol. 3, p.2010-11. 
399. Resposta correta: d. 
Na deformidade de Sprengel ocorre a elevação escapular, sendo mais comum 
no sexo feminino, monolateral, com encurtamento ou fibrose, ou ainda agenesia 
do músculo trapézio, com ou sem a presença do osso omovertebral (47%) . 
Referência: Tachdjian MO. Pediatric orthopaedics. 2. ed. 1990. Philadelphia: Saunders, p.136-38. 
314 1.000 Perguntas e Respostas Comentadas em Ortopedia e Traumatologia 
400. Resposta correta: a. 
Nessa idade, a luxação congênita do quadril tem como principal sinal clí-
nico a limitação assimétrica da abdução do quadril, sendo essencial o exame 
comparativo, realizado de forma delicada, com a criança em decúbito dorsal, 
desnuda, tranquila e relaxada. Esse sinal merece muita atenção, pois em certas 
situações a diferença é mínima e o exame deve ser repetido para se obter confir-
mação. Aos seis meses, o sinal de Ortolani jál pode estar ausente pela condição 
das partes moles e dos demais sinais ainda não estarem presentes. 
Referência: Morrissy RT,' Weinstein SL. Ortopedia pediátrica de Lovell e Winter. 5. ed. Barueri: 
Manole. 2005. 
401. Resposta correta: a. 
A deformidade residual da cabeça femoral pode levar, ou não, à deformi-
dade acetabular, e tem como consequência a alteração mecânica da articulação 
do quadril, contribuindo efetivamente para a osteoartrose. Os demais fatores são 
variáveis, podendo ou não interferir no prognóstico funcional e anatômico do 
quadril com o passar dos anos. 
Referência: Morrissy RT, Weinstein SL. Ortopedia pediátrica de Lovell e Winter. 5. ed. Barueri: 
Manole. 1990. 
402. Resposta correta: d. 
Este ligamento fica sob tensão nesta posição, resistindo à translação infe-
rior. O afrouxamento dessa estrutura do intervalo rotador aumenta a translação 
inferior da cabeça umeral, favorecendo a ocorrência de subluxação. 
Referência: Canale ST, Beaty JH (eds.). Campbell's operative orthopaedics. Vol. 3. 11. ed. Phila-
delphia: Mosby; 2008. 
403. Resposta correta: d. 
Os estudos biomecânicos realizados por Helfet e Hotchkiss, publicados em 
1990, demonstraram maior estabilidade dos implantes quando dispostos em pla-
nos ortogonais, o que deve ser o objetivo do cirurgião quando ele estiver utili-
zando placas de neutralização. 
Referência: Bucholz RW, Heckman JD, Court-Brown CH, et ai (eds.) Rockwood and Green's 
fractures in adults. 6. ed., Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. p. 1083. 
404. Resposta correta: e. 
Rockwood considera, como indicações absolutas de tratamento cirúrgico, 
as fraturas do terço médio da clavícula, onde há encurtamento maior que 2 cm, 
Respostas comentadas - Seção 6 - Ombro e cotovelo 315 
fraturas expostas ou com ruptura iminente da pele, comprometimento vascular, 
lesão neurológica progressiva e em casos de dissociação escapulotorácica. As 
demais alternativas da questão envolvem indicações relativas. 
Referência: Bucholz RW, Heckrnan JD, Court-Brown CH, et ai (eds. ) Rockwood and Green's 
fractures in adults. 6. ed. , Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins. p.1226. 
405. Resposta correta: a. 
O cisto ósseo unicameral decorre provavelmente de um estímulo à ativi-
dade osteoclástica, de causa ainda desconhecida. Não deve, portanto, ser consi-
derado uma neoplasia de fato. Esse estímulo é, em parte, mediado por prosta-
glandinas, especificamente a PGE2, que está presente em altas concentrações no 
líquido aspirado de cistos. 
Referência: Canale ST. Cirurgia ortopédica de Campbell. 10. ed. Barueri: Manole. 2006 
406. Resposta correta: a. 
A ruptura do tendão do bíceps braquial, em sua região distal, é considerada 
uma lesão pouco comum, sendo desencadeada pelo levantamento de grandes pesos 
e estando o cotovelo flexionado em 90º ou a partir de contração do músculo contra 
uma resistência inesperada. Tipicamente afeta homens de meia idade. 
Referência: Canale ST, Beaty JH (eds.). Campbell's operative orthopaedics. Vol. 3. 11. ed. Phila-
delphia: Morby; 2008. p.2772. 
407. Resposta correta: e. 
Na fratura supracondiliana em flexão, que é rara, o nervo ulnar é o mais 
frequentemente lesado em decorrência de sua localização em relação ao desvio 
da fratura. 
Referência: Beaty JH, Kasser JR (eds.). Rockwood and Wilkins fractures in children. 6. ed. 
Philadelphia: Lippincott Williams & Wilkins, 2005. p.573. 
408. Resposta correta: b. 
O ramo sensitivo do nervo radial se torna subcutâneo 5 a 10 cm proximal 
ao estiloide radial, no intervalo entre o músculo braquiorradial e o músculo ex-
tensor radial longo do carpo. A síndrome de Wartenberg caracteriza-se pela com-
pressão do mesmo nesse local. 
Referência: Cohen M. Tratado de ortopedia. São Paulo: Roca; 2007. p.308. 
409. Resposta correta: e. 
A lesão de Bankart é uma lesão !abra! (anteroinferior) após luxações ante-
riores do ombro. A lesão de Hill-Sachs é uma fratura por compressão