A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
17 pág.
ANÁLISE DE DADOS

Pré-visualização | Página 1 de 1

ANÁLISE DE DADOS QUALITATIVOS
ANÁLISE DE CONTEÚDO
UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA – UFPB
CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS SOCIAIS E AGRÁRIAS
DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
CURSO DE ADMINISTRAÇÃO
PROFESSORA: DRª GERMANA TAVARES DE MELO
ANÁLISE QUALITATIVA
É baseada na ideia de codificar, que é o processo de analisar os dados.
A análise é feita sobre:
 As notas de campo;
 As entrevistas transcritas;
 Os documentos coletados; e
 Outros artefatos coletados.
ANÁLISE QUALITATIVA
Em pesquisas qualitativas, as grandes massas de dados são quebradas em 
unidades menores e, em seguida, reagrupadas em categorias que se relacionam 
entre si de forma a ressaltar padrões, temas e conceitos .
 Análise é o processo de ordenação dos dados, organizando-os em padrões, 
categorias e unidades básicas descritivas.
 Interpretação envolve a atribuição de significado à análise, explicando os 
padrões encontrados e procurando por relacionamentos entre as dimensões 
descritivas.
ANÁLISE QUALITATIVA
•Processo contínuo de seleção, simplificação, abstração e transformação dos 
dados originais provenientes das observações de campo. Redução dos dados 
•Organização dos dados de tal forma que o pesquisador consiga tomar decisões e 
tirar conclusões a partir dos dados (textos narrativos, matrizes, gráficos, 
esquemas etc.).
Apresentação dos dados
• Identificação de padrões, possíveis explicações, configurações e fluxos de causa 
e efeito, seguida de verificação, retornando às anotações de campo e à literatura, 
ou ainda replicando o achado em outro conjunto de dados.
Delineamento e 
verificação da conclusão 
A análise dos dados em pesquisas qualitativas consiste em três atividades interativas e contínuas:
ANÁLISE DE CONTEÚDO
O QUE É?
Conjunto de técnicas de análise das comunicações visando 
obter por procedimentos sistemáticos e objetivos de 
descrição do conteúdo das mensagens 
indicadores(quantitativos ou não) que permitam a 
inferência de conhecimentos relativos às condições de 
produção/recepção (variáveis inferidas) destas mensagens 
(BARDIN, 2007, p. 44)
FASES
Análise de 
Conteúdo
Pré-Análise
Exploração do 
Material
Tratamento 
(inferência e 
interpretação)
PRÉ ANÁLISE
Consiste em organizar o material que será analisado. (Exemplo: transcrição da entrevista)
ETAPAS:
Escolha dos documentos (demarca o universo do estudo)
Constituição de um corpus ( material para análise)
1. Regra da exaustividade: deve-se esgotar a totalidade da comunicação, não omitir nada (analisar 
todas entrevistas); 
2. Regra da representatividade: a amostra deve representar o universo; 
3. Regra da homogeneidade: os dados devem se referir ao mesmo tema, serem obtidos por técnicas 
iguais e colhidos por indivíduos semelhantes;
4. Regra da pertinência: os documentos precisam se adaptar ao conteúdo e ao objetivo da pesquisa
PRÉ ANÁLISE
Leitura flutuante (impressões e orientações)
primeiro contato com o documento;
permite realizar a chamada decifração estrutural centrada em cada 
entrevista, que busca enxergar a lógica específica, isto é, a organização 
subjacente que existe por trás de cada entrevista e que rege o processo 
mental do entrevistado, mesmo que inconscientemente, já que o relato 
é feito de maneira espontânea e não preparada.
PRÉ ANÁLISE
Escolha de Índices (temas) 
Exemplo: “pais”, “valores”, “aprendizagem”, “independência”, 
“prazer”, “fazer” (sempre o melhor e fazer bem feito), 
“reconhecimento”, “perdas” (vazio e perda financeira), 
“sofrimento”, “tranquilidade”, “incapacidade” e “negação da 
aposentadoria”.
EXPLORAÇÃO DO MATERIAL
Consiste na codificação do material.
A codificação equivale a uma transformação dos dados em bruto do texto, seja 
por meio de recorte, agregação e enumeração, que possibilita o alcance de uma 
representação do conteúdo, ou de sua expressão.
A organização da codificação envolve a escolha de unidades de registro 
(recorte), a seleção de regras de enumeração e a escolha de categorias 
(classificação e agregação).
EXPLORAÇÃO DO MATERIAL
CODIFICAÇÃO
EXEMPLO
1. Unidade de registro: foram recortados trechos (unidades de registro) das entrevistas 
transcritas durante os quais a entrevistada relatava o que significava trabalho para ela. 
Consequentemente, os temas (significados) emergiam a partir desses relatos.
2. Regra de enumeração: frequência
3. Escolha da Categoria: as categorias vão reunir as unidades de registro sob um título genérico 
com os critérios previamente definidos
◦ Exemplo: significado do trabalho durante a infância, adolescência, trabalho no banco, aposentada 
do banco, retorno ao trabalho e o momento atual.
EXPLORAÇÃO DO MATERIAL
CODIFICAÇÃO/EXEMPLO
Trecho Categoria Enunciado
[...] eu acho que é a questão da referência que você tem né. Quando eu
digo que eu acho que tive uma influência muito grande dele é porque
eu sempre via aquele homem lutador, aquele homem trabalhador que
não reclamava, [...], ele trabalhava de inverno a verão e eu via muito ele
reclamando da chuva, quando chovia muito, do sol, quando fazia muito
sol [...] o ano era ruim, mas ele continuava trabalhando e, assim, ele
tinha o maior orgulho de ser considerado o maior produtor rural da
região. [...] Então, assim, a referência do trabalho que eu tenho né é
dele pelo exemplo de vida né que ele foi.
Infância
Ausência de hesitação ao falar do pai como
sendo a referência do trabalho, representado
na figura do homem lutador, trabalhador, que
não reclamava e que era um exemplo de vida.
Não, não, não era trabalho, para mim era um aprendizado. Até porque,
assim, no primeiro ano você aprendia a cozinhar... mas a gente tinha
aula de arte-culinária né, você aprendia a cozinhar, você aprendia a
fazer bolo né, isso era o primeiro ano.
Adolescência
Repetição da palavra aprendizado e suas
derivações: aprendia a cozinhar, aprendia a
fazer bolo.
TRATAMENTO DOS RESULTADOS
Está subdividida em:
Inferência; e
Interpretação
TRATAMENTO DOS RESULTADOS
INFERÊNCIA
◦ Pode remeter para ou apoiar-se nos elementos constitutivos do mecanismo da comunicação: por uma 
lado, a mensagem e o seu suporte ou canal; por outro, o emissor e o receptor, enquanto pólos de 
inferência propriamente ditos.
Exemplo: Baseando-se nesses pólos de comunicação, foi possível fazer inferências sobre o significado do trabalho
TRATAMENTO DOS RESULTADOS
INTERPRETAÇÃO
◦ Feita com base nas teorias sobre a temática estudada.
◦ Exemplo: teorias sobre a centralidade do trabalho (MORIN, 2001; 
MORIN.; TONELLI; PLIOPAS, 2007; VIANA; MACHADO, 2011).
OBRIGADA!